A dark web é cada vez mais procurada por cibercriminosos em busca de dados vazados ou ferramentas de ataque. A busca crescente não é à toa. Um estudo da Bitglass mostrou um aumento de 1.100% no compartilhamento de dados fora da superfície da rede desde 2015.

Entre as empresas mais visadas pelos invasores estão as de varejo e as ligadas ao governo. O levantamento recria um experimento para comparar os dados. Nele, um conjunto falso de informações foi criado e publicado em diferentes fóruns cibercriminosos, de forma que o volume de acessos pudesse ser monitorado.

O resultado foi a noção de que esse ritmo aumentou mais de 11 vezes em seis anos, com mais gente acessando a dark web e uma disseminação maior das informações obtidas por meios ilegais. 

Invasores tentam despistar autoridades

Telão com números

De acordo com a Bitglass, foram 13,2 mil visualizações nas postagens originais apenas nos primeiros oito meses deste ano, contra 1,1 mil registradas em 2015. O volume pode parecer pequeno se comparado com as visualizações da superfície da web, mas levando em conta que o acesso foi feito por indivíduos especializados o total ganha contornos mais tensos.

A Bitglass acredita que os números devem aumentar à medida que o cibercrime ganhe espaço e mais bandidos acessem os fóruns abaixo da rede comum. Cerca de 37% dos cliques registrados no experimento vieram de volumes relacionados a empresas de varejo, enquanto 32% eram de pacotes teoricamente ligados a órgãos do governo.

Segundo a empresa, a dark web é um meio cada vez mais frutífero no compartilhamento de bancos de dados, que também são disseminados de forma cada vez mais ágil. O levantamento mostrou ainda que os hackers, na mesma medida em que se especializam cada vez mais nos ataques, usam mais ferramentas para despistar as autoridades. 

Deixe um comentário
Você também pode gostar