A comunicação de maneira nenhuma se mantém restrita a palavras. Esse importantíssimo conceito pode-se refletir em muitas outras abordagens, incluindo imagens, símbolos e figuras, afinal, não é à toa que existe a famosa frase que diz que uma imagem vale mais do que mil palavras. Com isso, lhe apresentamos a comunicação visual. 

Com empresas consolidando-se cada vez mais no terreno digital, a comunicação visual tornou- se obrigatória. Logo, esse é um conceito que toda equipe de Marketing deve estar ciente e levar em consideração, por exemplo. 

Para aprender mais sobre esse tipo de comunicação, conhecer seus tipos e como aplicá-la em seu negócio, marca ou empresa, preparamos um material completo sobre o assunto. Confira:

Boa leitura!

O que é comunicação visual?

comunicação visual, desenho de um porta retratos com imagem

Comunicação visual é um termo que se dá para a prática de se transmitir uma mensagem para um determinado público por meio de recursos visuais. Esses recursos visuais podem ser imagens, símbolos, desenhos, gráficos, etc. 

A comunicação visual utiliza determinados elementos para traduzir informações de uma forma que seja ao mesmo tempo relevante e interessante para determinado público. Geralmente, esses elementos podem ser:

  • dados para melhor visualização de um processo;
  • formas geométricas para padronizações, relações e categorizações;
  • cores para separação, ilustração e delineamento de prioridade e importância;
  • entre outros.

Quais são os 3 tipos de comunicação?

A comunicação visual é um dos três principais tipos de comunicação existentes. Como já dissemos acima, esse tipo de comunicação se baseia inteiramente em elementos comunicativos que sejam visuais. Os outros dois tipos de comunicação são:

Comunicação verbal

Comunicação verbal

A comunicação verbal é o tipo de comunicação que é baseada em signos linguísticos, que, por sua vez, são elementos que contém significado, como as palavras! Então a comunicação verbal inclui qualquer coisa que esteja dentro do âmbito da conversação e que seja estruturada por uma língua. Apesar de a fala ser amplamente reconhecida nessa categoria, ela também inclui outras modalidades, como a comunicação escrita. 

Comunicação não verbal

Comunicação não verbal

A comunicação não verbal é todo elemento não estruturado dentro de uma língua que comunica algo para alguém. Sabe quando você faz uma pergunta a uma pessoa colega e ela lhe responde simplesmente dando de ombros, com uma cara confusa? Sem precisar dizer uma palavra, ela indicou que também não sabia a resposta. Esse é um exemplo de comunicação não verbal. 

Logo, esse tipo de comunicação pode abarcar olhares, gestos, balbucios, movimentos, expressões faciais e corporais, etc. 

Por que comunicação visual é importante?

A comunicação visual é uma forma mais direta, rápida e impactante de transmitir uma informação. A depender do caso, ela também pode ser universal. 

Para deixar essa relação mais explícita, vamos dar um exemplo prático e cotidiano:

Vamos supor que você decide fazer uma viagem por conta própria para um país durante as férias. Você consegue se comunicar verbalmente na língua nativa, mas só o suficiente. A caminho do seu hotel, você se perde e não sabe muito bem como pedir informações e, para piorar, você não tem acesso à internet ainda. Tudo estaria perdido? Não! Você conseguiria chegar a salvo em seu hotel sem muitos problemas com a ajuda de placas, símbolos e outras informações visuais presentes no meio do caminho e em mapas. 

Esse é um exemplo da universalidade de algumas mensagens transmitidas via comunicação visual. Não importa em que lugar do mundo você esteja, um sinal de “proibido fumar” sempre será igual, assim como uma placa com ícones que indicam que o banheiro fica naquela direção. 

Além disso, informações visuais são muito melhor processadas pelo cérebro. De acordo com diversas fontes, nosso cérebro pode interpretar informações contidas em imagens muito mais rapidamente do que em textos, sem contar que a maior parte das informações que a gente obtêm não provêm de fontes verbais. 

Isso é um indicativo de que esse é um recurso poderosíssimo em diversas áreas, principalmente para aquelas cujo objetivo seja transmitir uma mensagem. Geralmente, áreas de Marketing e afins se beneficiam e muito desse recurso. 

Como funciona a comunicação visual?

A comunicação visual acontece a partir da forma como nosso cérebro reconhece e traduz as imagens que visualizamos. Nossos olhos captam a luz e sombra, levando essa informação até uma parte de nosso cérebro responsável por transformar o que é visto em formas reconhecíveis. Depois de uma série de transformações, somos capazes de memorizar informações, reconhecer rostos, identificar objetos e perceber se há movimentação ou não. Como isso acontece precisamente ainda é um mistério para a ciência. 

Esse reconhecimento e utilização da comunicação visual é tão poderoso que ele pode influenciar diretamente em nossas memórias e na maneira como nos comportamos. 

Um exemplo a ser indicado é um experimento em que pessoas foram expostas a um material de divulgação do parque de diversões Disneylândia em que havia imagens de pessoas cumprimentando a personagem Pernalonga. Depois disso, diversas das pessoas relataram lembranças de ter cumprimentado o Pernalonga quando visitaram a atração turística. O único ponto é que o Pernalonga pertence a uma marca completamente distinta da Disney. 

Isso demonstra que a comunicação visual também pode atuar diretamente nas nossas memórias, em como vemos o mundo e, consequentemente, pode levar pessoas a mudarem seus comportamentos por conta disso

Qual a relação entre a comunicação visual e os símbolos?

A melhor definição de símbolo vem do psicólogo suíço Carl Jung, que estudou atentamente esse conceito. Em suas próprias palavras, ele o define como:

“Um termo, um nome ou mesmo imagem que nos pode ser familiar na vida cotidiana, embora possua conotações especiais além de seu significado evidente e convencional.”

O que ele quis dizer com isso é que um símbolo é uma imagem comum para todas as pessoas de um determinado contexto que extrapola seu significado direto e apresenta outros aspectos mais amplos que não são explicados (E, muitas vezes, nem precisam!), se tornando vagos, desconhecidos e ocultos. 

Então, o símbolo serve para transmitir e fazer referência a algo que está além do poder da descrição das palavras e da compreensão racional. É por isso que diversas vezes essa representação simbólica se dá por meio de uma imagem ou ícone. Por consequência, o símbolo é o elemento que permite que a comunicação visual atinja um nível de transmissão de mensagem e informação que supera a razão e a codificação em palavras

Para ficar mais simples de entender o que está sendo dito, vamos trazer um exemplo: religiões são elementos importantes da vida cotidiana de diversas culturas e sociedades, sejam elas quais forem. Por tratarem diretamente de algo que não pode ser visto, sentido ou traduzido, que é a experiência divina, a grande maioria delas usa símbolos e imagens representativas para isso. 

Representação egípcia do deus Rá, o sol
O Sol aparece como um símbolo de representação divina em diversas religiões, incluindo cristianismo e xintoísmo, e outras culturas antigas, como a grega e a egípcia. 

Em que situações a comunicação visual é efetiva?

Não é tão simples resumir em uma breve lista em quais contextos a comunicação visual é efetiva, uma vez que há uma dificuldade em identificar alguma área em que isso não ocorra. A comunicação visual pode apresentar benefícios em praticamente qualquer tarefa que você deseje fazer. No entanto, normalmente esse recurso é amplamente utilizado em situações como:

Engajar uma audiência

Com sinceridade, é muito difícil manter a atenção em alguma informação se ela for somente um monte de números e dados dispostos em uma tela ou papel. Com a ajuda dos recursos visuais certos, qualquer informação pode ser transmitida e absorvida muito mais facilmente

Transmitir informação complexa

Muitas vezes, estamos diante de um desafio que é fazer com que pessoas de outras especialidades e áreas tenham uma visão sobre nosso trabalho que necessita ser mais específica. Ao quebrar essa informação em fluxogramas, gráficos e trilhas, a informação pode ser muito melhor compreendida, independentemente da dificuldade que ela apresente. 

Contar uma história

Sabemos da força do Storytelling em narrativas orais e escritas. No entanto, essa força pode ser melhor aproveitada e até mesmo maximizada com a ajuda de recursos visuais. Dessa forma, é mais fácil direcionar a imaginação das pessoas para determinado espaço, possibilitando a indução a um tipo específico de emoção que se deseja despertar na audiência

Isso é uma realidade também se você tiver dados complexos que parecem difíceis de serem compreendidos ou pouco interessantes, afinal, é possível utilizar uma técnica denominada Storytelling com Dados

Qual a relação da comunicação visual e do Marketing?

A comunicação visual é um dos pilares do Marketing de conteúdo. Afinal, é uma tarefa difícil pensar em uma estratégia ou campanha que não utilize nenhum elemento sequer da comunicação visual.

Por meio dela, o Marketing é capaz de construir uma identidade visual, uma logomarca, pensar nas cores, na estética e em toda a mensagem que esses elementos vão passar para a audiência na estruturação de uma marca. 

Posteriormente, o Marketing trabalhará com campanhas e anúncios direcionados ao público-alvo, levando em consideração toda a identidade visual já construída previamente. 

Esse casamento é essencial para qualquer empresa que deseja se consolidar no mercado e diferenciar-se da concorrência, pois somente isso fará com que ela seja capaz de contar sua própria história e demonstrar que é única. 

Como aplicar uma boa comunicação visual na sua empresa?

A comunicação visual pode prover um atalho bem útil para diversos processos dentro da empresa, especialmente aqueles que envolvem troca de informação. Por exemplo:

1. Mantenha o interesse da equipe no assunto

Para que todos os setores e áreas trabalhem em conjunto, é importante que todo mundo compreenda e tenha a mesma quantidade de informação. No entanto, por vezes, é difícil saber se as pessoas estão prestando atenção ou interessadas no assunto. 

A comunicação visual permite que você possa trazer ícones e figuras para ilustrar processos que sejam complexos, informar números por meio de gráficos coloridos e de fácil interpretação e inovar na forma de transmitir informações, mesmo que elas não sejam novidade. 

2. Comunique mudanças, melhorias e inovações

Uma outra aplicação efetiva da comunicação visual no ambiente de trabalho é para realinhar pessoas colaboradoras e colocá-las a par da atual situação e das mudanças. Como aprendemos muito mais rápido com imagens, isso pode ser benéfico também nesse momento de transição. 

Caso você deseje implementar as mudanças, você pode primeiramente mostrar quais foram as principais alterações na rotina de trabalho por meio de um gráfico ou fluxograma hierárquico. Após a comunicação, a disponibilização de um guia visual com os principais pontos abordados pode ajudar na memorização. É importante que eles fiquem armazenados e sejam atualizados cada vez que houver alguma alteração no processo.

Com o tempo, para garantir que as mudanças estão sendo aplicadas com sucesso, você pode disponibilizar também um checklist para garantir que a equipe esteja conseguindo seguir a nova estrutura. 

3. Ajude sua equipe a visualizar dados e ter insights

Utilizar técnicas como Storytelling com dados e comunicação visual em reuniões para divulgação de dados e de brainstorming pode ser muito proveitoso. O motivo para isso é que trabalhar a forma de transmitir os dados poderá fazer com que sua equipe os compreenda mais fácil e tenha maiores insights relacionados a eles. 

Nesse caso, uma aplicação correta dos gráficos e de situações visuais metafóricas poderá conduzir um processo de insight e levar a equipe a melhores resultados.

Como criar a comunicação visual da sua marca?

Se você decidiu criar uma empresa, começar um negócio (por menor que seja) ou quer dar uma repaginada em uma marca, você pode investir cada vez mais nos elementos da comunicação visual. Abaixo, você encontrará dicas de como criar uma comunicação visual eficiente para sua marca.

DICA #1: Entenda seu público-alvo

Concorda que, caso você trabalhe com produtos infantis ou brinquedos, apresentar uma marca com cores neutras e mais sérias não prenderá a atenção de nenhuma criança? Então, o primeiro passo é entender o que pensam as pessoas que são consumidoras em potencial. Entenda o que elas querem ver e pense em alguma estratégia oficial que seja efetiva. 

DICA #2: Entenda a personalidade da sua marca

Para que uma comunicação visual seja efetiva, ela deve ser coesa com a imagem que você deseja transmitir (ou já transmite) no mercado. Uma importante dica para esse passo é realizar pesquisas de mercado, entender como as pessoas enxergam a marca e quais elementos elas associam a ela. 

DICA #3: Escolha um arquétipo de marca

Arquétipos de marca são moldes pré-concebidos de marcas pautados na teoria dos arquétipos de Jung, que foi incorporada em diversos campos posteriormente, como o marketing. Existem 12 principais arquétipos de marca, eles são:

  • Herói: a marca que impele à ação, movimento e a realização de algo por meio do esforço;
  • Cuidador: a marca que deseja cuidar e transmitir cuidado;
  • Mago: a marca que deseja transformar a realidade;
  • Amante: a marca que deseja proporcionar carinho, intimidade e amor para o mundo;
  • Inocente: a marca que deseja um mundo melhor e mais feliz;
  • Explorador: a marca que deseja desbravar novos territórios e ter histórias para contar;
  • Rebelde: a marca que quer desafiar a normalidade e os padrões;
  • Sábio: a marca que deseja saber e transmitir a verdade;
  • Soberano: a marca que quer estipular a ordem e estabelecer-se como monarca no mercado;
  • Pessoa Comum: a marca que deseja fazer parte do dia a dia cotidiano das pessoas;
  • Criador: a marca que deseja inovar e inventar com criatividade;
  • Louco: a marca que não dá muito ouvido à concorrência, e quer arrancar de você umas boas risadas.

Por que escolher um arquétipo de marca?

Por serem baseados em imagens primordiais que estão conosco sendo transmitidas desde o começo da humanidade, eles apresentam uma estrutura comum e confiável que a pessoa consumidora será capaz de compreender de imediato. Isso proporcionará um plano e um “esqueleto” para que você possa continuar construindo a comunicação visual da sua marca.

DICA #4: Pense nos elementos da sua marca

Pautado nas pessoas consumidoras, na personalidade da sua marca e em um arquétipo, você pode começar a tecer uma narrativa que seja linear, verossímil e faça sentido na cabeça de quem compra

Assim, vamos a um exemplo:

Vamos supor que você possua uma loja de cosméticos e maquiagem. Seu público-alvo são pessoas maquiadoras e, em grande maioria, pessoas que se enquadram no gênero feminino. Adicionalmente, as pessoas veem sua marca como algo forte e impactante. A partir desses dados, você decidiu arquitetar tudo em torno do arquétipo do Soberano, que envolve poder, ordem, disciplina e soberania no mercado. 

A partir disso, você deve pensar:

  • Como sua logomarca pode traduzir essa força e impacto?
  • Quais cores podem ser usadas para representar e estruturar a marca?
  • Quem serão as pessoas escolhidas para propagandas, anúncios ou posts em redes sociais? Quais deverão ser os perfis delas?
  • Quais símbolos podem ser usados para remeter à marca?

Partindo desses elementos, você pode ir tecendo como funcionará toda a estética em torno da sua marca. 

DICA #5: Seja consistente

De nada adianta construir uma comunicação visual forte e eficaz se, nas seguintes campanhas e projetos, a marca for apresentada de uma ótica totalmente diferente e sem conexão com a imagem construída anteriormente. Adicionalmente, de nada adianta fazer uma comunicação visual eficaz em sites ou outros canais de venda, mas nas redes sociais não haver um nível equivalente e consistente desse tipo de comunicação.

Assim, uma vez criada e apresentada ao público, as próximas propagandas, anúncios e até mesmo reinvenções mais robustas da marca devem apresentar uma consistência em relação ao que foi apresentado antes. Pense que a conexão uma vez criada com as pessoas consumidoras não pode jamais se perder. 

Como analisar uma imagem em 6 passos!

Grande parte da tarefa de uma pessoa que deseja trabalhar com comunicação visual é ser capaz de entender a mensagem que uma imagem transmite e como ela poderá ser entendida ao aplicar em determinada campanha. Isso é muito importante até mesmo para evitar mal-entendidos e situações embaraçosas que podem custar a imagem da empresa. 

Logo, abaixo, confira 6 passos para analisar, interpretar e compreender uma imagem.

1. Analise a perspectiva pessoal

A perspectiva pessoal é aquela que é proporcionada pela pessoa que vê a partir de suas próprias experiências, opiniões e visão de mundo. É particularmente impossível fazer essa análise do ponto de vista de outras pessoas, pois não somos capazes de compreender inteiramente como elas pensam. No entanto, podemos perceber o que enxergamos em determinada imagem a partir da nossa perspectiva própria. Se você achar que uma imagem não combina com determinada marca, pode ser que outra pessoa também não ache, por exemplo.

2. Cheque o histórico da imagem

Ao utilizar um recurso visual para algo, você deve considerar algumas coisas. Primeiramente, você deve saber se aquela imagem, símbolo, gráfico, etc. é original, se ele passou por alterações, edições, etc. Adicionalmente, quem ou qual marca já utilizou esse recurso antes? Como ele foi utilizado? Foi efetivo?

3. Procure por uma opinião técnica

Isso diz respeito à parte mais específica da imagem. Se for uma fotografia para um banner, por exemplo, será que a iluminação está bem empregada e combina com o fundo ou os demais elementos? Será que a forma como os elementos estão dispostos está sendo feita de maneira profissional e adequada?

Caso você não tenha conhecimento da área técnica, você pode contar com uma pessoa especialista em edição e criação de imagem.

4. Considere a ética por trás do recurso

A dimensão ética e moral atualmente é importantíssima para a construção imagética de uma marca ou empresa. Você não quer se indispor com uma determinada parcela da sociedade ou acabar sendo taxada como uma marca “antiquada”, certo? Então, é importante respeitar os valores que são exigidos atualmente em sociedade. Confira se a imagem ou recurso não fere nenhum valor, ponto ético ou moral cobrado pela sociedade. 

Se você for a pessoa que criou ou desenvolveu o recurso visual, é importante que você saiba que é inteiramente responsável por ela nesses âmbitos

5. Analise a perspectiva simbólica

Dentro de determinada sociedade e dos acordos linguísticos de determinado sistema, diversas imagens se tornam símbolos. Por conta disso, é importante saber qual é a sociedade para qual você está analisando determinada imagem ou recurso visual. Se for uma imagem com origem em outra sociedade, com cultura distinta, você deve considerar esse ponto para fazer a análise simbólica. 

A partir disso, veja quais símbolos essa imagem representa ou poderia a vir representar.

6. Faça uma crítica consistente

Diferentemente do primeiro passo, em que a gente analisava uma opinião pessoal nossa, devemos considerar o que uma sociedade pensaria e analisar a imagem ou recurso de maneira crítica. Assim, seremos capazes de compreendê-la melhor. 

A partir de considerar todas essas perspectivas e lados, você será capaz de tirar insights e interpretar o que determinada imagem transmite em diversos aspectos. Esse processo é importante para equipes de Marketing, afinal, é importantíssimo manter todo o controle da mensagem que você está transmitindo. 

5 tipos de comunicação visual!

1. Infográficos

Infográfico comunicação visual
Exemplo de Infográfico recente. Retirado do Researchgate

Infográficos são recursos visuais utilizados com objetivo de informar e educar sobre determinado assunto. Como geralmente abordam um tema importante porém complexo, as imagens servem para engajar a audiência e tornar a compreensão da mensagem mais fácil. 

2. Gráficos e tabelas

Gráfico de barrats e tabelas comunicação visual
Exemplo de gráficos e tabelas. Fonte: JpGraph

Gráficos e tabelas são formas de organizar dados visualmente para que sejam mais fáceis de serem compreendidos. Existem diversos tipos de gráficos, utilizados para distintas finalidades. Já as tabelas organizam dados por categorias em colunas e linhas. 

3. Fotografias

Exemplo de comunicação visual fotografia
Famosa fotografia do fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado.

Fotos são uma excelente forma de contar uma história e apresentar um ponto de vista único sobre o mundo. É por isso que existem diversos prêmios para fotografias que consigam impactar de alguma maneira. 

4. Vídeos

YouTube Logo
YouTube é a mais famosa plataforma de compartilhamento e armazenamento de vídeos. 

Vídeos são uma excelente forma de comunicar e passar uma mensagem, já que consiste de uma exibição de imagens em sequência de algo ou alguém, substituindo a experiência visual presencial. Assim, você pode ver o que precisar, bastando alguém filmar e compartilhar.

5. GIFs

via GIPHY

O GIF seria um intermediário entre o vídeo e uma imagem, já que consiste de um arquivo semelhante a uma imagem, porém, que contém movimento. Evidentemente, o formato GIF não tem suporte a áudio. Porém, é uma excelente forma de comunicar uma reação ou situação engraçada em uma conversa. 

Qual é o profissional que trabalha com comunicação visual?

Por ser uma área muito ampla e com diversas utilizações, não existe apenas uma pessoa profissional que trabalha com comunicação visual. Assim, podemos encontrar esse tipo de comunicação presente em diversos cargos e posições, como:

  • Analista de Mídia;
  • Web designer;
  • Gerente de Marketing;
  • Pessoa diretora criativa;
  • Pessoa Ilustradora;
  • Pessoa fotógrafa;
  • Pessoa designer gráfica;
  • Artista;
  • Pessoa animadora;
  • Pessoa cineasta;
  • Designer de Games;
  • etc.

E essas são somente algumas áreas. Se você se especializar em comunicação visual, você poderá trabalhar com isso e muito mais!

A comunicação visual é um dos três pilares da comunicação básica. Junto com a comunicação verbal e a não verbal, ela ajuda a construir sentido e transmitir mensagens em dimensões que as outras podem não alcançar. 

Se você trabalha com Marketing, tem uma empresa ou deseja criar uma marca, você deve investir no conhecimento da comunicação visual como um todo, de maneira bem aprofundada. Matérias mais específicas como Semiótica e Psicologia podem ser indicadas para ajudar a fundamentar esse conhecimento. 

Agora que você conheceu um pouco sobre a comunicação visual, saiba mais sobre a personal branding, o processo criativo em que a própria pessoa constitui sua marca!

Você também pode gostar