É com certa frequência que algumas determinadas nomenclaturas surgem juntamente com o nome de determinadas vagas ou cargos. Alguns dos mais famosos títulos são júnior, pleno e sênior, e eles podem aparecer em grande parte das áreas e ramificações do mercado de trabalho. 

No entanto, apesar de sua ampla utilização, é muito comum que diversas pessoas que estão aplicando para concorrer à vaga fiquem em dúvida sobre do que se trata e se ela se enquadra em determinado nível. 

Pensando nisso, preparamos um material completo para que não reste mais dúvidas em relação a essa utilização. Logo, se você também se pergunta muitas vezes o que é necessário para ser júnior, pleno e sênior e se você tem o que é necessário para ocupar um desses cargos, continue com a gente! 

Confira o conteúdo apresentado neste artigo:

Boa leitura!

O que é profissional Júnior?

Júnior é uma palavra de origem latina derivada do termo Iuvenis (jovem), que no superlativo fica Iunior (o mais jovem). No entanto, ser Júnior não significa que você tem pouca idade ou que você é uma pessoa jovem, ela tem a ver com você ter acabado de iniciar sua carreira. Nesse caso, júnior se refere ao tempo de carreira e experiência. Dessa forma, conseguimos definir esse termo como “o momento mais jovem de uma carreira”

É comum que pessoas juniores comecem suas carreiras logo após sair de um curso ou formação específica. Assim, elas estão literalmente dando o primeiro passo para a construção de sua trajetória profissional.

Apesar de já ter bastante conhecimento, a falta de experiência faz com que as tarefas designadas para uma pessoa júnior sejam menos exigentes, assim como os requisitos técnicos para ocupar tal posição. 

Um exemplo que podemos fornecer, dentro da lógica de uma empresa de desenvolvimento, é a de uma pessoa júnior que é desenvolvedora ou programadora. Ela deverá saber lógica de programação e como utilizar efetivamente um determinado conjunto de ferramentas e linguagens de programação. No entanto, é possível que não fique a seu critério outras responsabilidades, como a definição de tarefas ou a supervisão de determinado projeto. 

Antes de prosseguir, aproveite e faça o download do material sobre Profissões do Futuro e entenda quais outras carreiras farão sucesso no mercado.

Banner de download de ebook sobre Profissões do Futuro

O que é profissional Pleno?

A pessoa profissional que tem nível de Pleno ocupa uma posição que se encontra entre os níveis de Júnior e Sênior, como uma ponte. Essa pessoa já tem experiência e domina as atividades e tarefas que fazem parte da sua área de atuação

Por conta disso, essa pessoa normalmente tem mais liberdade para trabalhar de maneira mais independente e tomar certas decisões, ainda reportando-se a pessoas que são superioras. 

Nessa fase, já é possível que alguns projetos, tarefas e pequenos times fiquem sob responsabilidade dessa pessoa, afinal, ela já conhece o “modus operandi” da empresa e de sua área.  

O que é profissional Sênior?

Depois da pessoa Júnior e Pleno, o estágio seguinte é a pessoa profissional Sênior. Como você já pode imaginar, ela ocupa uma posição mais importante, elevada e complexa que as anteriores. Oposto a Júnior, Sênior também é derivado de uma palavra latina que significa “o mais velho”. Nesse caso, dentre os títulos, é o posicionamento de uma pessoa que já atingiu a maturidade necessária em sua carreira e tem bastante experiência em determinado assunto

Além da experiência, outras habilidades devem ser incluídas na conta da pessoa sênior, independentemente de sua área. Ela deve ser uma excelente gestora, coordenadora e líder, uma vez que todas as pessoas de cargo inferior (júnior e pleno), estarão sob sua supervisão. 

Para esse nível, há autonomia e independência para guiar, organizar e gerenciar o projeto por meio das próprias decisões. Com isso, há um grau maior de cobrança e complexidade, afinal, outras pessoas estarão dependendo desse posicionamento para trabalhar, afetando diretamente a produtividade da equipe.  

Normalmente, essas pessoas também possuem graus mais elevados de formação, como MBAs, Mestrados e Doutorados. 

Qual o motivo de haver os níveis Júnior, Pleno e Sênior?

A razão para essa divisão é a facilitação da compreensão da estrutura organizacional interna da empresa. Afinal, por meio dessa organização, é possível definir grupos de atuação, metas, lideranças, salários, hierarquias, etc. 

Além disso, é possível pensar em um plano de carreira pré-estabelecido para cada cargo dentro da empresa, em relação ao tempo que cada pessoa colaboradora terá nela, e também fixar um organograma com todas as posições. 

Esse método de organização é bem tradicional e já existem outros tipos de hierarquização de pessoas colaboradoras por meio de sua experiência, especialmente nas startups. 

Quais as principais diferenças entre Júnior, Pleno e Sênior?

Para deixar esses conceitos ainda mais evidentes em nossa mente, vamos conferir algumas principais diferenças entre esses três tipos de níveis em relação a diferentes tópicos, lado a lado:

JÚNIORPLENO SÊNIOR
EXPERIÊNCIA PROFISSIONALFormação recente. Poucos anos no mercado, logo, pouca ou nenhuma experiência profissional.Já tem longos anos de atuação no mercado, pode ter especialização. Já trabalha por volta de uma década na área. Normalmente, conta com especialização, doutorado, pós-doutorado, MBA, etc. 
AUTONOMIAPrecisa de bastante orientação de pessoas superioras. Já está envolvido em decisões importantes e auxilia na gestão das pessoas juniores, trainee e estagiárias. Por sua relação direta com a direção e o conselho das empresas, a pessoa sênior tem autonomia para tomar decisões definitivas e liderar equipes.
GRAU DE RESPONSABILIDADEBaixo. As tarefas são mais simples e gerais, mais voltadas às habilidades técnicas. Não envolve posições de liderança. Mediano. Aqui já é possível apresentar papel de liderança e começar a trabalhar em fluxos de tarefas mais complexos.Alto. A pessoa sênior é responsável por toda uma área ou projeto dentro de uma empresa. O sucesso ou fracasso da sua equipe depende diretamente de suas habilidades de gestão e liderança. 
FORMAÇÃO A pessoa júnior pode vir de alguma formação para indicar que ela tem as habilidades técnicas necessárias para atuar na posição. No entanto, muitas vezes pessoas estagiárias que se destacam conseguem essa posição, mesmo sem ter efetivamente um certificado. É preferível que haja uma formação mais ampla, como cursos de especialização, treinamentos, workshops, etc. As pós-graduações também são bem aceitas nessa posição. Como padrão, as pessoas seniores possuem formações mais elevadas, o que indica um nível maior de experiência e conhecimento do assunto. Como dito, MBAs, pós-graduações, doutorados e mestrados são reconhecidos. 

O que é o nível Master?

Para algumas empresas, ainda há um nível que representa mais conhecimento e experiência que o Sênior, o Master. Esse nível tem ainda mais anos de trabalho e tempo de casa na empresa, e tem uma posição mais elevada, próxima a da diretoria.

No entanto, essa nomenclatura não é utilizada com frequência, apesar de ser adotado por algumas empresas. Um dos motivos para isso seria a dificuldade em encontrar uma pessoa que cumpra com esses requisitos no mercado, e ainda a dificuldade em separar a atuação da pessoa Master da Sênior. Dessa forma, o mais comum é encontrar os níveis tradicionais no mercado. 

Qual a importância dos níveis hierárquicos para as empresas?

Atualmente, há uma infinidade de formas de estruturar uma empresa em relação a pessoas colaboradoras. A definição de níveis júnior, pleno e sênior auxilia na criação de um organograma funcional que permite a visualização do funcionamento interno da organização. 

Dessa forma, a empresa consegue enxergar quantas pessoas estão disponíveis para cargos de liderança, quantas equipes podem ser formadas, quais projetos podem ser montados, além de conseguir definir com maior assertividade um plano de carreira para cada cargo. 

Além do mais, essa organização facilita a troca de informações e feedbacks dentre os diferentes projetos e equipes da empresa. Sabendo que a pessoa Júnior se reportará a pessoa de nível pleno, e esta informará as pessoas seniores, que difundirão a mensagem para os cargos executivos, fica mais fácil compreender como será a comunicação interna. 

Qual a importância dos níveis hierárquicos para os colaboradores?

Para pessoas colaboradoras, essa classificação é importante por dois motivos:

1) Ajuda a identificar a etapa que está na vida e quais serão os próximos passos em relação à aquisição de conhecimento, desenvolvimento pessoal e profissional — Afinal, sendo uma pessoa júnior, ela saberá como e quando pedir ajuda até ter experiência suficiente para o próximo passo, por exemplo. 

2) Permite a visualização da construção de uma carreira profissional sólida e bem estruturada — Por meio do plano de carreira fornecido pela empresa, é possível compreender quais são os requisitos necessários para a promoção e quais são as possibilidades de crescimento dentro da empresa. 

É importante colocar o nível no currículo ou portfólio?

Se o nível em questão faz referência a um antigo cargo que você ocupou com tal nível, a resposta é sim, não há problema nisso. Contudo, é importante ter em mente que há variações na atuação e na visualização do posicionamento de cada nível entre empresas. Isso significa que, por vezes, pode ser que você seja uma pessoa Júnior para uma empresa, porém já possa ser qualificada como Sênior para a outra. 

Assim, se você almeja alcançar um desses cargos e está aplicando para uma vaga de determinado nível, não é pertinente rotular-se como júnior, pleno ou sênior. Isso fará com que a pessoa que estiver recrutando crie uma visão pré-determinada e pode ser que você acabe não fazendo parte do processo de seleção por pensarem que é uma pessoa mais ou menos qualificada para a vaga. 

Assim, a dica é somente incluir no seu currículo ou portfólio as informações referentes à níveis de cargos ocupados anteriormente. Dessa forma, haverá um leque maior de possibilidades para você, sem medo de haver um possível desencontro de categorização de informações. Prefira descrever as habilidades e competências, deixando a cargo da pessoa recrutadora a compreensão de seu nível. 

Qual a diferença salarial entre Júnior, Pleno e Sênior?

Como já é possível imaginar, a diferença salarial é diretamente proporcional ao tempo de atuação e complexidade das atividades desempenhadas na empresa. Desse modo, a relação entre júnior, pleno e sênior representa, respectivamente, a escala do menor para o maior salário. 

No entanto, para deixar a questão mais palpável, vamos tomar como exemplo a função de pessoa desenvolvedora de uma empresa de software. Segundo o Glassdoor de pesquisas de salários:

  • A posição de Pessoa Desenvolvedora Júnior tem como salário médio R$3 mil no Brasil.
  • A posição de Pessoa Desenvolvedora de nível pleno tem como salário médio R$5.500 no Brasil.
  • A posição de Pessoa Desenvolvedora de nível Sênior tem como salário médio R$9 mil no Brasil.

Podemos perceber, então, que o salário de uma pessoa desenvolvedora Sênior é três vezes maior que o salário de uma pessoa desenvolvedora Júnior. A pessoa de nível pleno se encontra em um patamar intermediário. 

Antes de seguir para o próximo tópico, deseja saber quanto recebe alguém que trabalha em alguma profissão digital? Faça o download do Guia das Profissões Digitais e confira a remuneração de profissionais, juniores, plenos e sêniores de 30 carreiras digitais.

banner para download de guia das profissões digitais 2022

Você está mais para Júnior, Pleno ou Sênior? Faça o teste e descubra!

Muito já falamos sobre Júnior, Pleno e Sênior nesse artigo. Contudo, pode ser que você ainda não tenha conseguido aplicar diretamente esse conhecimento no seu caso. Sendo assim, preparamos um teste simples para ajudar você a se localizar entre os níveis! 

Marque a alternativa abaixo que mais corresponde com você. Ao final, conte quantas alternativas de cada letra você marcou e confira o resultado!

1. Há quanto tempo você atua no setor?

a. Há menos de 6 meses;

b. Entre 2 e 3 anos;

c. Entre 4 e 6 anos;

d. Há mais de 7 anos atrás

2. Qual das alternativas a seguir lhe define melhor?

a. Não sei muito bem o que esperar ou quais são as minhas tarefas dentro da minha área de atuação;

b. Ainda não tenho muita segurança em liderar uma equipe ou gerenciar um projeto por conta própria. Gostaria de ter pessoas me ajudando e mostrando o caminho para que eu possa aprender;

c. Já atuei algumas vezes em papéis de liderança e já gerenciei alguns projetos, porém com equipes pequenas e tarefas pouco complexas;

d. Tenho vasta experiência em gestão de pessoas e consigo facilmente lidar com diversas equipes e projetos ao mesmo tempo. Quando estive em situações de liderança, tive um bom desempenho;

3. Qual sua opinião em relação à tomada de decisões?

a. Nunca experimentei ter autonomia para tomada de decisões;

b. Estou tentando aprender a tomar decisões assertivas, mesmo que pequenas e de pouco impacto no quadro geral;

c. Já precisei tomar algumas decisões importantes na minha área de atuação que poderiam impactar diretamente na organização ou produtividade da minha equipe/empresa;

d. Tenho o costume de tomar decisões cotidianamente e sou capaz de distinguir em boa parte do tempo quais são os melhores caminhos a se seguir;

4. Em relação às suas habilidades técnicas, você:

a. Está em formação, aprendendo habilidades técnicas da área desejada;

b. Sabe utilizar as ferramentas necessárias para realizar suas atividades, mas ainda não tem uma ampla variedade de habilidades, principalmente as relacionadas à gestão de pessoas;

c. Já as domina por completo e está começando a explorar outras habilidades adjacentes e multidisciplinares, com o intuito de avançar na carreira;

d. tem um amplo repertório, contando as habilidades necessárias na área de atuação e outras que complementam, mesmo não sendo diretamente relacionadas. 

RESULTADO

Não existe um diagnóstico que vale para todos. Inclusive, o perfil de um colaborador em uma empresa pode variar bastante, pois há casos em que um profissional é pleno em uma companhia, mas em outra, com o mesmo desempenho é considerado sênior.

Para ter uma ideia de que qual estágio você pode estar, veja as opções abaixo:

a. Se você marcou mais dessa opção, pode ser que você ainda precise de um pouco mais de preparação antes de ocupar a posição de Júnior. Utilize esse tempo para preparar-se e aprender. Aceite vagas de estágio e trainees para conseguir experiência e finalize os estudos. Muitas vezes, pessoas estagiárias que têm bom desempenho são efetivadas como Júnior ao demonstrar as habilidades necessárias. 

b. Se você marcou mais dessa opção, você está no nível Júnior. Aproveite o momento para aprender mais com quem está em posições superiores, e aproveite para desenhar uma carreira que levará você a ter o emprego dos sonhos!

c. Se você marcou mais dessa opção, você está no nível Pleno. Você já tem confiança e domina as técnicas, basta especializar-se! Saia da sua zona de conforto e complemente seu rol de habilidades técnicas com atividades adjacentes para destacar-se. 

d. Se você marcou mais dessa opção, você está no nível Sênior. Você já é uma pessoa experiente e consegue realizar seu trabalho de olhos fechados. No entanto, apesar disso, nunca deixe de se aprimorar. Afinal, nunca se sabe quando uma vaga de Master estará disponível.

Neste artigo, conversamos um pouco sobre as definições, diferenças e particularidades dos níveis Júnior, Pleno e Sênior, comumente encontradas em estruturas organizacionais tradicionais de empresas. A importância de saber mais sobre esses nomes é compreender qual o nível em que somos capazes de atuar e ainda entender melhor o que uma empresa espera de determinado cargo. 

Já descobriu qual seu nível? Agora, confira uma lista de 25 soft skills que podem fazer toda a diferença para qualquer nível que você estiver!

Deixe um comentário
Você também pode gostar