De tempos em tempos, o mercado de trabalho se renova, apresenta novas demandas e algumas profissões que surgiram recentemente começam a ganhar destaque.

Muitas pessoas se antecipam e começam a se preparar para ocupar esses setores do mercado de trabalho. Mas quais são essas novas profissões?

Abaixo, listamos dez dessas novas profissões, para que seja possível conhecê-las.

Fique com a gente!

        
  1. Programador
  2.     
  3. Profissional de SEO
  4.     
  5. User Experience Design
  6.     
  7. Programador mobile
  8.     
  9. Inteligência artificial
  10.     
  11. Social Media
  12.     
  13. Big Data
  14.     
  15. Biogenética
  16.     
  17. Gerontologia
  18.     
  19. Internet das Coisas
  20.     
  21. BÔNUS: Coach
profissões que surgiram recentemente

1. Programador

Você pode estar se perguntando o que essa profissão está fazendo aqui. Afinal, pessoas programam desde que o primeiro computador foi criado. A verdade é que essa profissão nunca deixa de se atualizar. Cada vez que uma nova tendência surge, são requeridas novas pessoas programadoras, com um conjunto completamente novo de habilidades.

Um exemplo agora é a nova tecnologia do Metaverso. Pessoas programadoras do Metaverso devem conhecer as tecnologias mais novas, como blockchain e integração com aparelhos de realidade aumentada.

O que faz esse profissional?

Assim como o próprio nome propõe, a pessoa programadora é aquela que domina a lógica de programação e a traduz em um sistema que funciona, dando instruções a uma máquina por meio de um código. Esse código é escrito em uma linguagem de programação, que a máquina é capaz de entender.

Faz parte da rotina de pessoas programadoras conhecer essas ferramentas a fundo e saber resolver problemas dos mais diversos, encontrando soluções que sejam criativas e inovadoras.

Como começar e se desenvolver na área?

No Brasil, ainda não existe um curso ou faculdade que seja especificamente para formar pessoas programadoras. Desse modo, essa profissão é uma das mais abertas no quesito de formação profissional. Pode haver uma pessoa programadora muito competente, por exemplo, que não passou por nenhuma formação acadêmica. Logo, temos algumas opções:

Graduações relacionadas

Programação faz parte da grade curricular de diversos cursos relacionados à área de tecnologia, como:

  • Desenvolvimento de Sistemas;
  • Ciência da Computação;
  • Engenharia de Software;
  • Engenharia da Computação;
  • etc.

No entanto, é importante ter em mente que essas graduações não têm o foco de fazer de você uma pessoa programadora. Elas darão toda uma base teórica mais geral que abrange outros assuntos do campo da tecnologia. Outro ponto a se considerar é o tempo, já que grande parte delas têm uma duração média de 4 ou 5 anos, sem garantia de conseguir um emprego ao final.

Cursos e formações

É possível estudar programação diretamente a partir de cursos online ou formações mais específicas que não são aquelas acadêmicas.

A Trybe, por exemplo, é uma escola de programação que foca na formação de pessoas desenvolvedoras de alto nível, preparadas para o mercado de trabalho. Algumas das vantagens de fazer parte de uma de suas turmas é:

  • Oferecem uma formação objetiva e direta para o que é necessário no mercado de trabalho, passando pelas principais ferramentas de desenvolvimento web;
  • Oferece uma base teórica importante sobre algoritmos e lógica de programação;
  • Ajuda no desenvolvimento de habilidades interpessoais, as soft skills, que são importantes no ambiente de trabalho tecnológico;
  • Não é necessário pagar pela formação enquanto se estuda. É possível optar pelo Modelo de Sucesso Compartilhado, que permite pagar parceladamente ao final da formação, somente após arranjar um trabalho com uma remuneração mínima de R$3,000,00;
  • 88% das pessoas formadas conseguiram trabalhos em até 3 meses após o encerramento da formação.

Quer saber mais sobre a formação da Trybe? A empresa é uma das melhores opções para quem deseja ter uma carreira em tecnologia.

Qual o salário?

De acordo com pesquisas realizadas, atualmente:

  • Uma pessoa programadora de nível Júnior (iniciante) ganha: R$ 3.658,92
  • Uma pessoa programadora de nível Pleno (médio) ganha: R$ 7.387,42
  • Uma pessoa programadora de nível Sênior (experiente) ganha: R$ 14.399,46

2. Profissional de SEO

A pessoa profissional de SEO de fato se encaixa na categoria de profissões que surgiram recentemente. Afinal de contas, com a expansão do acesso à internet para os dispositivos móveis, fazendo com que ficássemos online o tempo todo, a utilização dos mecanismos de busca explodiu! Atualmente, usamos o Google para tudo! Encontrar receitas, assistir um tutorial, buscar por informações e inclusive comprar produtos! Logo, esse ainda é um mercado em expansão que está sendo aproveitado!

O que faz esse profissional?

SEO significa Search Engine Optimization, ou Otimização de Mecanismos de Busca. Mecanismos de busca são ferramentas que indexam páginas da internet, como o Google e o Bing. O trabalho de pessoas profissionais em SEO é tornar um site ou página otimizado para que seja encontrado mais facilmente por quem busca por determinada informação no Google.

Logo, por exemplo, se você tem uma página de cosméticos e quer que quando uma pessoa digite “batom para comprar” a sua página seja a primeira a aparecer no Google, você precisará de uma pessoa responsável por SEO.

Como começar e se desenvolver na área?

Como é uma das profissões que surgiram recentemente, também não existe formação específica em universidades. Muitas delas vêm de Publicidade e Propaganda, Jornalismo ou Marketing Digital, mas isso não é necessariamente uma regra. A pessoa deve somente cumprir com alguns requisitos técnicos e interpessoais para conseguir se estabilizar nessa profissão. São elas:

  • Um perfil lógico e analítico para conseguir encontrar informações em meio aos dados e gráficos;
  • Domínio de ferramentas básicas como Excel e Word;
  • Ter conhecimentos adequados em WordPress, HTML e CSS;
  • Saber utilizar ferramentas de análise, como Google Analytics.

Qual o salário?

De acordo com sites de busca salarial, uma pessoa que trabalha com o título de Analista de SEO, em algumas localidades no Brasil:

  • Ganha por volta de R$ 3.200,00 como piso salarial;
  • Tem uma média salarial de aproximadamente R$ 4.000,00
  • Pode alcançar até, em média, R$ 8.000,00.

3. User Experience Design

Cada vez mais estamos conseguindo resolver o que quer que seja por meio de aplicações em dispositivos móveis. Isso significa, porém, que essas aplicações devem ser capazes de dialogar com um público geral, seja ele bastante ou jovem ou idoso. Logo, a interface de interação tem que ser bastante intuitiva, explícita e fácil de usar.

Quem pensa tudo isso é a pessoa responsável pelo Design da UX, ou Experiência do Usuário.

O que faz esse profissional?

A pessoa que é UX Designer deve ser capaz de compreender a fundo uma aplicação e um público determinado a ponto de desenvolver uma interface que permita uma interação fluida entre o serviço e as pessoas a quem ele se destina.

Além disso, essa pessoa é responsável por testar, garantir a usabilidade e coletar feedbacks de pessoas clientes, implementando as mudanças e aperfeiçoando essa interação.

Como começar e se desenvolver na área?

Apesar de ser uma pessoa que deve contar com um grande senso estético e compreensão das demandas e tendências do mercado, ela ainda deve ser também uma pessoa desenvolvedora, uma vez que utilizará ferramentas de criação de páginas como HTML e CSS.

Logo, algumas habilidades importantes para desenvolver são:

  • Desenvolver conhecimentos em ferramentas como Photoshop, InDesign e Illustrator;
  • Ter noção de design e interação com pessoas usuárias;
  • Ter uma visão artística para solucionar problemas de maneira criativa;
  • Saber manejar ferramentas de criação de páginas web como HTML, CSS.

Qual o salário?

De acordo com sites de busca salarial, uma pessoa que trabalha com o título de UX Designer em algumas localidades no Brasil:

  • Ganha por volta de R$ 4.200,00 como piso salarial;
  • Tem uma média salarial de aproximadamente R$ 4.500,00
  • Pode alcançar até, em média, R$ 9.000,00.

4. Programador mobile

Já parou para refletir quanto tempo você passa utilizando seu celular diariamente? E, caso você não esteja no seu celular, pode ser que você esteja usando outro dispositivo, como um tablet, por exemplo. Cada uma das aplicações nesses dispositivos precisou de uma pessoa (ou equipe) para desenvolvê-la, desde o Instagram até aquele joguinho.

Portanto, como você deve imaginar, a presença de pessoas desenvolvedoras para plataformas mobile é muito requisitada atualmente, pensando na quantidade de aplicações que temos disponíveis nas lojas de nossos sistemas operacionais.

O que faz esse profissional?

Essa pessoa programadora é especializada em criar aplicações que funcionarão em dispositivos mobile. Logo, há alguns desafios a serem considerados, como a responsividade (o tamanho da tela), a versão de cada aparelho, a marca de cada aparelho, etc. Ela se difere de uma pessoa que faz aplicações para a web, por exemplo, pois essas deverão ser vistas por meio de um navegador. Portanto, as ferramentas são distintas para cada caso.

Além disso, criar um app não é uma tarefa simples. Essa pessoa ficará responsável por todas as etapas da parte de desenvolvimento, que envolvem desde a idealização até a testagem e distribuição.

Como começar e se desenvolver na área?

A pessoa programadora, nesse caso, segue o mesmo fluxo de todas as outras pessoas programadoras, como já dito anteriormente em outro tópico. A única diferença é que ela se especializará em ferramentas específicas para se desenvolver aplicações mobile. Algumas dessas ferramentas são:

  • Java;
  • HTML;
  • Objective-C
  • Python;
  • Swift;
  • Gestão e Armazenamento de Dados.

Qual o salário?

De acordo com sites de busca salarial, uma pessoa que trabalha com o título de Programadora Mobile em algumas localidades no Brasil:

  • Ganha por volta de R$ 5.500,00 como piso salarial;
  • Tem uma média salarial de aproximadamente R$ 6.000,00;
  • Pode alcançar até, em média, R$ 14.000,00.

5. Inteligência artificial

Inteligência Artificial não é exatamente uma das profissões que surgiram recentemente. Na verdade, ela nem sequer é uma profissão. Ela é uma grande área de conhecimento que engloba muitas profissões que agora estão se tornando tendência no mercado. Muitas dessas profissões são:

  • Cientista de Dados;
  • Pessoa Engenheira de Machine Learning;
  • Pessoa Arquiteta de Dados;
  • etc.

O que faz esse profissional?

A pessoa que trabalha em qualquer uma das profissões atreladas à inteligência artificial tem interesse em desenvolver sistemas e aplicações que simulem o funcionamento do cérebro humano. Em outras palavras, ela deseja criar máquinas que sejam capazes de pensar e tomar decisões da mesma forma que pessoas o fazem.

Por isso, essa pessoa deve saber trabalhar com redes neurais artificiais e bancos de dados, afinal, são necessárias muitas informações para ensinar uma máquina a tomar decisões por conta própria.

Como começar e se desenvolver na área?

Como já falamos anteriormente, a área de inteligência artificial está muito atrelada à análise e armazenamento de dados, pois essa é uma das principais funções que o cérebro desempenha. Logo, em prol de fazer com que a máquina aprenda por meio da experiência, como um ser humano, é necessário ter dados disponibilizados para isso. Logo, as principais ferramentas utilizadas nessa área são:

  • Python;
  • Linguagem R;

Porém, é necessário ter conhecimentos em áreas como:

  • Matemática;
  • Estatística;

Além disso, é preciso conhecer tecnologias como as redes neurais artificiais, Deep learning e Machine Learning.

É comum que pessoas nessa área tenham formação em Data Science, Engenharia de Computação ou Ciência da Computação.

Qual o salário?

De acordo com sites de busca salarial, uma pessoa que trabalha na área, em algumas localidades no Brasil:

  • Ganha por volta de R$ 7.000,00 como piso salarial;
  • Tem uma média salarial de aproximadamente R$ 8.000,00;
  • Pode alcançar até, em média, R$ 15.000,00.

6. Social Media

Com as redes sociais se tornando um espaço em que as pessoas passam cada vez mais tempo, um novo mercado surgiu. Atualmente, diversas pessoas conseguem construir uma carreira profissional inteiramente a partir de seus perfis e personas que disponibilizam nessas redes. Porém, com a necessidade de ter que constantemente estar presente, pessoas se especializaram em gerenciar e analisar as métricas desses perfis.

O que faz esse profissional?

A pessoa Social Media administra, gerencia e analisa redes sociais, gerando conteúdo e proporcionando engajamento para uma determinada marca pessoal ou empresarial. Parte desse trabalho inclui o planejamento estratégico, a criação e postagem de conteúdos periódicos e a análise do resultado.

Como começar e se desenvolver na área?

Algumas habilidades básicas, primeiramente é ser uma pessoa usuária intensa de redes sociais. Isso é, conhecer cada uma delas e suas particularidades.

Algumas pessoas com formações na área de Jornalismo, Letras, Publicidade e Propaganda e Marketing se beneficiam das habilidades adquiridas para essa área.

No entanto, é preciso ter conhecimentos como:

  • Produção de Conteúdo;
  • Inbound Marketing;
  • Marketing de Conteúdo;
  • Marketing Digital.

Além disso, é importante ter conhecimento em gestão de crises.

Habilidades de Design também são bastante bem-vindas, a partir de ferramentas como Photoshop, Illustrator ou Canva.

Qual o salário?

De acordo com sites de busca salarial, uma pessoa que trabalha como Social Media, em algumas localidades no Brasil:

  • Ganha por volta de R$ 4.000,00 como piso salarial;
  • Tem uma média salarial de aproximadamente R$ 5.500,00;
  • Pode alcançar até, em média, R$ 9.000,00.

7. Big data

Big Data, se fosse traduzido ao pé da letra, seria como “Grandes Dados”. Um dado é qualquer informação, que pode ser um caractere, um conjunto de caracteres, um número, etc. No começo era simples armazenar esses dados, pois eles cabiam em tabelas, como as planilhas do Excel. Porém, a tecnologia foi se aperfeiçoando e agora não conseguimos mais estruturar todos esses dados, pois eles são vídeos, imagens, tweets, qualquer coisa gerada a partir de computadores e dispositivos!

Assim como inteligência artificial, Big Data não é uma das profissões que surgiram recentemente. Ela é uma área, que está bastante em alta, e dentro dela temos as principais profissões que agora estão sendo necessárias. As principais são as pessoas Cientistas e Analistas de Dados.

O que faz esse profissional?

A pessoa, a depender do cargo que exercerá dentro da área de Big Data, estará responsável por coletar dados brutos, filtrá-los, categorizá-los e deixá-los prontos para análise. Outras pessoas profissionais da área usarão esses dados para ter insights e gerar informações sobre determinada questão.

Ainda, há a questão do armazenamento de dados. Muitas dessas pessoas profissionais estão envolvidas na construção e implementação de locais de dados, como Data Lakes, Data Warehouses e Data Marts.

Como começar e se desenvolver na área?

Atualmente, já há formações específicas para Data Science. No entanto, muitas pessoas que cursam Análise de Sistemas, Engenharia de Computação ou áreas afins podem se especlializar nessa área. O mais importante é conhecer ferramentas de análise como Hadoop e Power BI.

Além disso, é importante ter conhecimento na área de inteligência artificial, aprendizado de máquina e nas linguagens de programação Python e R.

Conhecimento nas áreas de Cibersegurança e Cloud Computing são adicionais que ajudarão muito tal profissional a se estabilizar no mercado.

Qual o salário?

De acordo com sites de busca salarial, uma pessoa que trabalha na área, em algumas localidades no Brasil:

  • Ganha por volta de R$ 7.000,00 como piso salarial;
  • Tem uma média salarial de aproximadamente R$ 8.000,00;
  • Pode alcançar até, em média, R$ 17.000,00.

8. Biogenética

A área de Biogenética, também conhecida pela profissão de Engenharia Genética, é uma área que está muito em alta. Afinal, a genética é um campo que ainda tem muito a fornecer para diversas indústrias, seja a do consumo, a alimentícia ou farmacêutica. Além disso, essas pesquisas podem levar a criação de vacinas e até mesmo curas para doenças mais agressivas.

O que faz esse profissional?

A pessoa Engenheira Genética pode trabalhar em muitas áreas que envolvam os genes e a biologia molecular de seres vivos. Ela pode:

  • Ajudar a desenvolver plantações mais resistentes a qualquer fator;
  • Ajudar na criação agropecuária;
  • Trabalhar na área de pesquisa e clonagem;
  • Trabalhar na área de pesquisa de células-tronco;
  • Trabalhar ajudando a desenvolver a área de seres transgênicos;
  • etc.

Como começar e se desenvolver na área?

Para essa profissão, há somente a possibilidade de seguir uma carreira acadêmica. É necessário ter uma formação em áreas como Biologia, Medicina, Biomedicina ou Biotecnologia, além de uma especialização na área.

Qual o salário?

De acordo com sites de busca salarial, uma pessoa que trabalha na área de Engenharia Genética, em algumas localidades no Brasil:

  • Ganha por volta de R$ 6.500,00 como piso salarial;
  • Tem uma média salarial de aproximadamente R$ 8.000,00;
  • Pode alcançar até, em média, R$ 18.000,00.

9. Gerontologia

Com o avanço da tecnologia e da ciência, cada vez mais há uma preocupação com a questão do envelhecimento e tudo que envolve esse tema. Dentro da Gerontologia, a pessoa Especialista em Gerontologia será a pessoa que vai estudar, pesquisar e desenvolver novos conhecimentos que permitirá a construção de novas tecnologias para essa área.

O que faz esse profissional?

A pessoa especialista em Gerontologia poderá atuar:

  • na prevenção e antecipação de problemas recorrentes na velhice, garantindo um maior bem estar ao envelhecer;
  • na criação de cenários e ambientes adequados a um envelhecimento saudável;
  • na ajuda a criar soluções para questões de saúde quando possível. No caso de ser algo impossível, ajudando a desenvolver medidas paliativas.

Como começar e se desenvolver na área?

A área de Gerontologia é bastante restrita. Para atuar como uma pessoa especialista, é necessário primeiramente ter formação em Psicologia, Serviço Social, Nutrição, Terapia Ocupacional ou Direito e depois pleitear um concurso para receber o título.

Qual o salário?

De acordo com sites de busca salarial, uma pessoa que trabalha na área de Gerontologia, em algumas localidades no Brasil:

  • Ganha por volta de R$ 7.000,00 como piso salarial;
  • Tem uma média salarial de aproximadamente R$ 8.000,00;
  • Pode alcançar até, em média, R$ 18.000,00.

10. Internet das Coisas

Internet das coisas é um novo conceito que passou a ser explorado quando a conexão à internet deixou de ser algo exclusivo de computadores e celulares. Agora, relógios, geladeiras, televisores, carros, máquinas de lavar… Todas essas coisas podem ter acesso à internet, podem gerar dados e transmiti-los pela rede. Portanto, uma nova área de pesquisa e conhecimento precisou ser desenvolvida.

O que faz esse profissional?

Internet das coisas não é exatamente uma profissão. É uma área de conhecimento multidisciplinar que faz parte da rotina de muitas profissões, entre elas:

  • Pessoas desenvolvedoras;
  • Pessoas analistas de Big Data;
  • Técnico em Internet das Coisas;

A grande questão é compreender e analisar todos os dados e informações que são gerados por essas outras fontes. Além disso, é preciso pensar em como será o software por trás de toda essa funcionalidade bastante específica. Afinal de contas, não é possível, por exemplo, utilizar um sistema operacional de computadores em uma câmera de vigilância ou geladeira.

Outro ponto importante que faz parte das responsabilidades da pessoa que se especializa em Internet das Coisas é a cibersegurança desses aparelhos e a privacidade dos dados.

Como começar e se desenvolver na área?

Existem Tecnólogos, cursos especializados e pós-graduações na área de Internet das Coisas. No entanto, é necessário primeiro ter um grande conhecimento em:

  • Estrutura de Dados;
  • Programação;
  • Banco de Dados;
  • Cloud Computing;
  • Cibersegurança;

Depois, mais especificamente, a pessoa precisará se aperfeiçoar em:

  • Microcontroladores;
  • Sensores;
  • Arquitetura para Internet das Coisas;

Qual o salário?

De acordo com sites de busca salarial, uma pessoa que é Técnica em Internet das Coisas, em algumas localidades no Brasil:

  • Ganha por volta de R$ 2.500,00 como piso salarial;
  • Tem uma média salarial de aproximadamente R$ 3.000,00;
  • Pode alcançar até, em média, R$ 5.000,00.

BÔNUS: Coach

Coaching não é uma área nova. Ela saiu dos esportes e ingressou na área empresarial na década de 80. No entanto, no Brasil, a profissão de Coach só começou a decolar recentemente, o que faz dela também uma das profissões que surgiram recentemente e estão bastante em alta.

O que faz esse profissional?

A pessoa Coach atua na organização e construção de uma motivação da pessoa que a contrata em diversas áreas de sua vida. Há várias especializações dentro da área de Coaching, que vão desde o coaching empresarial, pessoal, de carreira, de vida, etc.

Além disso, faz parte de suas responsabilidades avaliar e ajudar a quantificar as questões que mais preocupam a pessoa Coachee (como é chamada a cliente). Logo, essa profissão utiliza uma série de ferramentas e metodologias, a depender da abordagem escolhida.

Como começar e se desenvolver na área?

A área de Coaching não é reconhecida ou regulamentada por nenhum órgão oficial no Brasil, logo, não há formações acadêmicas oficiais que dão o título de Coach. Porém, há diversos cursos e treinamentos disponíveis para serem feitos que dão um certificado na área.

Qual o salário?

A pessoa Coach geralmente cobra por sessão. Cada encontro resulta em um pagamento, que pode variar de 100 reais para as que ainda estão se consolidando no mercado até 900 ou 1000 reais para aquelas que são reconhecidas e já apresentam um portfólios de casos bem sucedidos.

Caso uma empresa contrate uma pessoa Coach, os salários geralmente são:

  • R$ 2.500,00 como piso salarial;
  • Média salarial de aproximadamente R$ 4.200,00;
  • Pode alcançar até, em média, R$ 6.000,00.

Depois de conhecer essa lista de profissões que surgiram recentemente, qual delas você acha que você gostaria de atuar? Se você realmente gostou de uma delas, não hesite em buscar mais informações e ir atrás de desenvolver as habilidades necessárias! Com toda certeza, em um futuro próximo haverá muitas oportunidades bem remuneradas no mercado!

Agora, já que estamos no assunto, conheça 20 áreas que delimitarão as profissões do futuro (não tão distante)! Confira!

0 Shares:
Você também pode gostar