Compreender que a comunicação vai além das palavras é essencial para enxergar o quadro geral e entender mensagens que nem sempre estão explícitas.

Caso não reconheçamos esses outros tipos de comunicação, poderemos acabar não recebendo a mensagem na totalidade, levando a maiores chances de má-interpretação e desentendimentos.

Para saber mais sobre a comunicação e suas diferentes classificações, você pode conferir o conteúdo que preparamos abaixo, que serve como um guia completo sobre o assunto. Confira:

Boa leitura!

Qual a melhor definição para comunicação?

Para conseguir a melhor definição de uma palavra, é importante conhecermos sua etimologia, isso é o traço histórico que fez com que ela chegasse até nosso vocabulário nos dias de hoje. Comunicação vem do termo latino “Communicare”, que pode ser interpretado como “participar, compartilhar, tornar algo comum”.

Logo, a comunicação é essa troca de informações, ideias concretas ou abstratas, opiniṍes, sentimentos e expectativas, permitindo que consigamos sobreviver em sociedade. Por meio desse compartilhamento, conseguimos definir grupos, trabalhar em equipe e resolver problemas com maior facilidade. 

Aliás, a comunicação é essencial para que as pessoas sintam que pertencem a algo. Não é à toa que uma das principais características de uma nação é ter um sistema linguístico o qual toda a sua população compartilhe. 

Como funciona o processo de comunicação?

Independentemente do tipo de comunicação adotado, o processo de comunicação ocorre sempre de maneira semelhante, em sua estrutura. Esse processo faz parte da teoria da informação, desenvolvida por diversas pessoas linguistas, filólogas e filósofas desde muito tempo. Apesar da variedade de modelos, aqui escolhemos o mais simples e conhecido, o de Roman Jakobson. Esse modelo envolve alguns elementos. São eles:

  • Remetente: Processa uma informação em sua cabeça e, com intenção de transmitir, codifica-a em uma mensagem. Transmite essa mensagem por meio de um canal.
       
  • Destinatário: Recebe a mensagem, a decodifica e processa a informação.
       
  • Mensagem: Objeto da comunicação. Refere-se a uma informação que é codificada em algum sistema e transmitida para alguém que pode compreendê-la.
       
  • Contexto: Cenário previamente disponibilizado ao qual o Remetente utilizará direta ou indiretamente para construir sua mensagem.
       
  • Código: Maneira de fazer com que a mensagem possa ser entregue. Pode ser um sistema linguístico, um código mais simples propriamente dito, etc. É crucial que ambos Destinatário e Remetente conheçam previamente esse código para que o processo de informação se complete.
       
  • Canal: Conexão psíquica e física que existe entre Remetente e Destinatário. 

Faz parte ainda desse sistema o ruído. No entanto, ele não é apontado como elemento por não ser integrante essencial de um processo de comunicação, além de um fator externo. Chamamos ruído qualquer coisa que possa atrapalhar o processo de comunicação. Normalmente, quando pensamos em ruído logo pensamos em um barulho, mas, literalmente qualquer coisa que impeça a comunicação de acontecer é um ruído. 

Adicionalmente, não adicionamos o Feedback como elemento de comunicação pois ele não está presente no modelo da teoria da informação originalmente, apesar de diversas pessoas na internet o incluírem. Normalmente, ele é visto como uma resposta imediata do Destinatário a uma informação do Remetente. No entanto, qualquer retorno do Destinatário representará uma inversão do sistema, com agora este sendo o novo Remetente do processo. 

Abaixo, você encontrará como funciona a teoria da informação no geral:

Modelo da Teoria da Informação Roman Jakobson

Para o processo de comunicação ser bem-sucedido, é necessário haver pelo menos uma parte representando um Remetente e outra representando um Destinatário

Ambos precisam estar compartilhando um mesmo contexto, ou seja, ter as mesmas informações prévias nas quais se embasam aquelas que a mensagem exigirá. Além disso, ambos precisam conhecer o mesmo código da mensagem. Exemplo, se a conversa estiver sendo em francês e você não saber como falar essa língua, não haverá processo de comunicação. 

O Remetente e o Destinatário se interligam em um vínculo físico e psicológico chamado canal. Esse canal é o que vincula e permite que o Remetente envie informações ao Destinatário. 

Ao receber a mensagem, o Destinatário fará o processo contrário, decodificando a mensagem e processando a informação. Ao responder, o turno de fala se encerra e o processo de comunicação se inverte, agora com o Destinatário como Remetente e vice e versa. 

15 tipos de comunicação que você precisa saber!

Abaixo, você encontrará informações sobre 15 tipos de comunicação. É importante que você tenha noção de que os tipos não excluem mutuamente. Isso significa que, por vezes, eles são interligados ou até mesmo podem se sobrepor. Um exemplo é a comunicação formal, que pode ser feita de maneira, escrita, verbal, não verbal, etc. 

Logo, apesar da nossa separação em diferentes tópicos, tente não enxergá-los como assuntos distintos, mas sim como interdependentes. Com isso, queremos dizer que é possível ter mais de um tipo de comunicação envolvida em um processo de comunicação. 

Dito isso, podemos conhecê-los. Vamos lá?

1. Comunicação Verbal

Tipos de comunicação, comunicação verbal

A comunicação verbal é constituída por:

  • Signos linguísticos (unidades de “som” e significado dentro de nossas cabeças. Podem ser palavras, somente sons ou outras construções). 
  • Sistema linguístico (uma língua, como o português);
  • Construções de Discurso;
  • Semântica (ou o sentido construído pelas palavras). 

Geralmente, quando pensamos em comunicação em um sentido amplo, pensamos naquilo que é dito, ou seja, nas palavras (léxicos). Ainda que seja parte importante da nossa comunicação diária, um pesquisador de linguagem corporal chamado Albert Mehrabian concluiu que as palavras representam somente 7% do processo de comunicação no todo

Exatamente, é incrivelmente pouco! O restante, nos comunicamos com outros tipos de comunicação que serão abordados adiante. Logo, apesar de sua importância, isso indica que a comunicação verbal não deve ser a única forma de interpretar uma informação. 

  • Exemplo de comunicação verbal: Uma pessoa conversando com a outra pelo telefone, em uma ligação. 

2. Comunicação Não Verbal

Comunicação não verbal

Assim como a comunicação Verbal, a Não Verbal representa uma categoria guarda-chuva dentro dos tipos de comunicação, englobando outros como linguagem corporal, expressão facial, tom de voz, etc. Na pesquisa apresentada anteriormente, a comunicação não verbal foi identificada como a que representa 55% do processo de comunicação, ou seja, a maior parte. 

A ideia por trás da comunicação não verbal é comunicar informações por meios que não envolvam exatamente um código pautado em um sistema linguístico. Em outras palavras, dizer sem precisar falar propriamente. 

Ela envolve:

  • Linguagem corporal;
  • Voz;
  • Distância;
  • Informação visual;
  • Escuta ativa;
  • etc. 
  • Exemplo de comunicação não verbal: Em meio a uma discussão calorosa, uma das partes de um casal se cala, fica com expressões mais sérias e dá de ombros. A outra parte interpreta automaticamente que há algo de errado com a outra parte, pois possivelmente algo a deixou chateada. 

3. Comunicação Oral

Comunicação oral

A comunicação oral é outro tipo de comunicação que está presente tanto no campo da comunicação verbal quanto do da não verbal, pois, o que a define de verdade é a presença de recursos anatômicos que produzem som. Qualquer comunicação que venha do som é referente a uma comunicação oral, mesmo que esses sejam apenas grunhidos. Ainda falando sobre a pesquisa de Mehrabian, os 38% restantes da comunicação são provenientes de fontes sonoras. 

Podemos colocar como componentes e exemplos da comunicação oral:

  • A presença de um aparelho fonador (lábios, língua, dentes, faringe, cordas vocais, pulmão, etc.);
  • Modulação da voz (altura, volume, tom, consistência);
  • Construção de discursos e narrativas;
  • Semântica;
  • Signos linguísticos;
  • Canto.
  • Exemplo de comunicação oral: Em uma biblioteca, a pessoa responsável por cuidar do espaço continuamente comunica que precisa de silêncio com um sonoro “Shh”, feito com a pressão do ar sendo expelido entre os dentes entreabertos.

4. Comunicação Escrita

comunicação escrita

A comunicação escrita é aquela que é feita por meio de sinais gráficos para representar os sons, palavras e elementos linguísticos. A ideia é conseguir tornar a mensagem mais duradoura (podendo conservá-la inclusive durante séculos, o que ajuda no estudo de muitas áreas) e poder enviá-la a um Destinatário sem necessariamente estar presente no mesmo ambiente. Logo, a comunicação escrita tem algumas vantagens.

No entanto, apesar das tentativas de sinais gráficos de traduzir emoções (como o negrito como ênfase, para dizer que você realmente deve prestar atenção em algo), esse tipo de comunicação está majoritariamente ligado à comunicação verbal. Portanto, muito do que seria comunicado não verbalmente se perde e acabamos tendo que nos virar para interpretar a mensagem por meio dos 7% que nos resta. 

Esse é o motivo pelo qual muitas mensagens de texto no Whatsapp podem ser mal interpretadas. Às vezes uma pessoa tenta traduzir uma mensagem em um tom suave e cordial, e pode acabar sendo interpretada como fria e inacessível, pois isso depende realmente de cada parte do processo de comunicação. 

Para comunicação escrita, os componentes são:

  • Representação gráfica visual ou sensorial (um alfabeto, como braille por exemplo);
  • Sistema linguístico;
  • Normas gramaticais;
  • Ortografia;
  • Registro linguístico (se formal ou informal).
  • Exemplo de comunicação escrita: Um email enviado para alguma pessoa colaboradora no trabalho. 

5. Comunicação Formal

Comunicação Formal

A comunicação formal funciona mais como um registro linguístico, isto é, como uma maneira de construir o processo de comunicação. Ela geralmente é bastante utilizada em contextos em que as partes envolvidas não se conhecem e não possuem intimidade suficiente para uma comunicação informal. Ela é necessária também para processos oficiais, em que haverá interferência de entidades e instituições, como na formulação de um contrato.

A comunicação formal impacta em tipos de comunicação como Escrita, Oral, Verbal, Não Verbal, etc.

Fazem parte da comunicação formal os elementos:

  • Postura e distâncias adequadas;
  • Utilização de pronomes de tratamento adequados (vossa excelência, por exemplo);
  • Gramática;
  • Ortografia;
  • Organização do Discurso. 
  • Exemplo de comunicação formal: Um email enviado para alguma pessoa colaboradora no trabalho. 

6. Comunicação Informal

Comunicação informal

Contrária à comunicação formal, a comunicação informal é outra forma de registro que afeta os outros tipos de comunicação. Ela é utilizada para cenários em que há familiaridade entre as partes envolvidas. Sua utilização é mais flexível do que a formal, porém, por conta da ausência de uma determinação, ela é bastante suscetível a ser dúbia ou má-interpretada. 

Fazem parte da comunicação informal os elementos:

  • Flexibilização da comunicação não verbal (distância mais próxima, expressões mais relaxadas;
  • Utilização de gírias e outros códigos mais internos a um grupo de pessoas;
  • Narração e descrição de eventos;
  • Pouca atenção com a gramática e estrutura;
  • Linguagem mais simples e direta.
  • Exemplo de comunicação informal: Pessoas amigas sentadas em um bar conversando sobre questões pessoais. 

7. Comunicação Visual

Tipos de comunicação, comunicação visual

Em uma situação de comunicação, seja ela formal ou informal, verbal e não verbal, a comunicação visual é bastante importante. Ela é responsável por transmitir informações por meio de recursos gráficos e visuais, como imagens, gráficos, tabelas, etc. É uma linguagem bastante utilizada em meios empresariais, por sua facilidade em transmitir difíceis e complexas ideias. Ainda, ela é bastante aliada de setores como o Marketing. Não é à toa que dizem que uma imagem vale mais que mil palavras. 

Elementos presentes na comunicação visual:

  • Cores;
  • Símbolos;
  • Imagens;
  • Posicionamento de elementos;
  • Quantidade de elementos disponíveis;
  • Semântica das imagens apresentadas;
  • Movimentos;
  • Iluminação.
  • Exemplo de comunicação visual: Uma apresentação de uma equipe sobre os resultados do último projeto, apresentando os dados por meio de gráficos e outros recursos visuais. 

8. Linguagem corporal

Linguagem corporal

A forma como você dispõe seu corpo durante um processo comunicativo também contribui para como a mensagem será transmitida. Isso se torna ainda mais evidente, por exemplo, em uma entrevista de emprego, quando as pessoas recrutadoras percebem no momento em que a candidata entrou que ela não está tão confiante. Logo, essa subcategoria da comunicação não verbal é fortemente responsável pelo que dizemos e como dizemos. 

Elementos que contribuem para a linguagem corporal:

  • Posição da cabeça, se olhamos para baixo, se temos a cabeça erguida em sinal de arrogância ou se está no mesmo nível da pessoa com quem falamos;
  • Posição e disposição dos braços e pernas, indicando se estamos abertos ou fechados à determinada opinião;
  • Como ocupamos o espaço, por exemplo, se sentamos em toda a cadeira ou somente na ponta dela;
  • Postura do corpo, se mantemos a coluna curva ou reta;
  • Comportamentos viciosos, como bater o pé, balançar o joelho, roer as unhas ou tapar a boca antes de dizer algo. 

Para além desses elementos mais práticos, também se inclui dentro da linguagem corporal a capacidade de transmitir e traduzir emoções complexas em movimento, como acontece na dança contemporânea, por exemplo. 

  • Exemplo de linguagem corporal: Uma pessoa fica de braços cruzados o tempo todo durante uma conversa, indicando que não concorda e que não está aberta ao que está sendo dito. 

9. Voz

Comunicação por voz

O processo de comunicação pela voz é bastante interessante. Essa subcategoria que se encaixa em ambas comunicação verbal e não verbal, para além de outras como oral, é a principal fonte de transmissão de informação daqueles 38% que representam as reproduções sonoras. E como ela faz isso? Vejamos. A voz é capaz de comunicar informações por meio de:

  • Volume (se você está falando alto ou baixo);
  • Velocidade (se você está falando rápido ou devagar);
  • Consistência (Se o que é dito sai de forma integral, sem falhas ou interrupções abruptas, como em um soluço de choro);
  • Entonação;
  • Ênfase.
  • Exemplo da comunicação pela voz: Para ilustrar melhor o que estamos falando, vamos considerar a frase a seguir. A expressão em negrito representa a que estamos dando ênfase, ao seu lado, está o significado que a ênfase exprime:
FRASE COM DISTINTAS ENTONAÇÕESO QUE ELA COMUNICA
Eu disse para ela que você não viria hoje.Indica que foi você, e mais ninguém, que revelou essa informação. 
Eu disse para ela que você não viria hoje.Reforça o fato de que você realizou sim a ação de dizer.
Eu disse para ela que você não viria hoje.Indica que você está reforçando para quem foi a pessoa que você disse, dizendo que foi para ela e mais ninguém. 
Eu disse para ela que você não viria hoje.Indica que você transmitiu a informação de que somente a pessoa com quem você está falando não viria. 
Eu disse para ela que você não viria hoje.Dá ênfase no fato de que a informação passada era negativa, ou seja, que ela não aparecia naquela noite. 
Eu disse para ela que você não viria hoje.Dá a entender que a pessoa com quem se fala não viria, porém estaria disponível para realizar outra ação.
Eu disse para ela que você não viria hoje.Informa que somente naquele dia a pessoa com quem se fala não estaria disponível. Ou seja, amanhã, ela poderia vir. 

Viu só como a mesma frase pode expressar mais de um significado, tendo somente como alteração a flexão da voz e a entonação?

10. Espaço Físico

Esquema de distância pessoal

Como mostra o diagrama acima, como nos posicionamos fisicamente em um ambiente também diz algumas coisas sobre a gente, especialmente relacionadas à questão da comunicação formal e informal. É importante ter noção de que esse fator se altera de uma cultura para a outra. 

  • ZONA ÍNTIMA (Até 45cm de distância da gente): Ficam somente as pessoas mais próximas, com quem temos um envolvimento íntimo. Ou seja, é extremamente inadequado estar nessa zona se você não tiver essa intimidade. Logo, você poderá estar transmitindo uma mensagem errada. 
  • ZONA PESSOAL (Entre 45cm e 1,2 m. de distância da gente): Pessoas que são nossas amigas e conhecidas mais próximas podem se posicionar a essa distância da gente. Colocar-se nessa distância de alguém é informá-la que você acredita que ela considera você uma pessoa amiga. Por isso, devemos ter cuidado com isso.
  • ZONA SOCIAL (Entre 1,2 m. e 3,7 m. de distância da gente): Serve para comunicar que a interação é formal, como uma reunião de negócios.
  • ZONA PÚBLICA (Entre 3,7 m. e 7,6 m. de distância da gente): Indica que as pessoas nessa zona são completamente desconhecidas. A partir do momento que elas estão à essa distância, o processo de comunicação já começou, porém, essa barreira física indica que não há liberdades e que elas não se conhecem. 
  • Exemplo da comunicação por espaço físico: Uma pessoa amiga se aproxima de outra com o intuito de entrar em sua zona íntima, comunicando assim que deseja ter um relacionamento ainda mais próximo com aquela pessoa. 

11. Expressões faciais

Comunicação por Microexpressões faciais
Ator Tim Roth, protagonista da série Lie to Me, baseada no trabalho do psicólogo Paul Ekman.

As expressões faciais fazem parte também da linguagem corporal, mas elas ganham uma categoria própria por serem tão relevantes. Há um mundo de possibilidades de interpretação de mensagens, emoções e informações por meio de micro ou macro expressões faciais

Geralmente, a comunicação por expressões faciais funciona com:

  • Olhos (se estão abertos, fechados, relaxados, etc.);
  • Olhar (se está fixo, relaxado, sem foco, contínuo, etc.);
  • Boca (quais músculos são utilizados para esboçar reação, sorrisos verdadeiros x falsos);
  • Nariz;
  • Músculos faciais;
  • Posição das sobrancelhas. 
  • Exemplo da comunicação por expressões faciais: Por meio das expressões faciais, é possível saber se uma pessoa que sorri para você realmente está sorrindo de alegria e prazer ao lhe ver, ou se o sorriso é apenas um gesto de educação. 

12. Postura

Comunicação postura

A forma como apresentamos nossa postura pode servir para comunicar às outras pessoas como a gente se sente. Por exemplo, uma coluna reta, a depender do contexto, pode indicar que estamos felizes, alegres e com energia, ou até mesmo que estamos adotando uma postura de arrogância. Por outro lado, uma postura curvada pode dizer que estamos tristes ou cansados. 

A comunicação por meio da postura envolve:

  • Alinhamento das costas;
  • Posição dos braços;
  • Posição da cabeça;
  • Abertura do peito;
  • Distância entre as pernas.
  • Exemplo da comunicação por postura: Uma pessoa curvada cobrindo o rosto indica, mesmo à distância, que ela pode não estar se sentindo muito bem. 

13. Escuta Ativa

Tipos de comunicação escuta ativa

Pode parecer curioso que escutar seja um tipo de comunicação à primeira vista. Quando pensamos em comunicação, pensamos sempre no Remetente, ou seja, na pessoa que comunica algo. Poucas vezes voltamos nossa atenção para o Destinatário em si. Porém, lembra-se do modelo de comunicação? Ela somente termina quando o Destinatário recebe a informação e a processa em seu cérebro. 

Logo, escutar também comunica. Por exemplo, se uma pessoa não estiver escutando o que estamos dizendo, ela pode estar comunicando que a conversa está desinteressante ou que ela tem outras preocupações no momento. 

Dentro da escuta ativa, temos:

  • O processamento da mensagem;
  • A interpretação da informação;
  • A inferência e pressuposição;
  • Acarretamento lógico;
  • Feedbacks ocasionais (como acenar com a cabeça, manter contato visual, ou concordar, para testar o canal e dizer que estamos participando do processo de comunicação como deveríamos). 
  • Exemplo da comunicação por escuta ativa: Uma pessoa curvada cobrindo o rosto indica, mesmo à distância, que ela pode não estar se sentindo muito bem. 

14. Storytelling

Gravura de fábula infantil chapeuzinho vermelho

Aqui dizemos Storytelling mas o foco é no processo de contação de histórias como um todo. As histórias são uma forma simbólica e metafórica de nos comunicarmos com o inconsciente de outras pessoas, utilizando muitas vezes de arquétipos e símbolos para conduzir uma determinada situação, induzir uma emoção ou ensinar uma lição. 

A contação de histórias tradicional inclui:

  • Uma estrutura bem definida, com começo, meio e fim;
  • Utilização de linguagem verbal mesclada com não verbal;
  • Originalmente, feita por meio oral (depois, com a literatura, passou-se também ao formato escrito.);
  • Símbolos, imagens e arquétipos.
  • Exemplo da comunicação por Storytelling: Séculos atrás, era comum que as pessoas se juntassem em torno das fogueiras para contar histórias como fábulas e contos de fadas. Essas histórias serviam para avisar e entreter adultos, ao mesmo tempo que educava e preparava as crianças para temas complexos, como a morte. 

15. Digital

comunicação digital

A comunicação digital é um novo tipo de comunicação que ainda está se consolidando. Sua principal característica é que ela representa a junção das nossa capacidade de nos comunicarmos com as tendências e necessidades que a tecnologia traz. 

O principal meio de veículo da comunicação digital são as redes sociais, em que há uma troca constante de informação e mensagens dos mais variados tipos. Por exemplo:

  • Imagens, em mídias como Facebook e Instagram;
  • Informações curtas e rápidas, como no Twitter;
  • Mensagens de áudio, texto e chamadas, como feito no Whatsapp, Instagram, Telegram, etc. 

Esse tipo de comunicação é um que envolve grande parte dos outros tipos de comunicação, cada qual a sua maneira. Além disso, outra forma bastante popular de se comunicar originou-se dele, que é o meme. 

  • Exemplo de comunicação digital: O meme é uma forma de trazer uma mensagem cômica e comum de maneira leve, divertida, rápida e objetiva. Esse recurso se tornou tão popular que até mesmo pessoas pesquisadoras já desenvolveram teses e outras plataformas para estudar esse fenômeno, como chamado Museu de Memes.
Meme da Nazaré confusa

Quais os 6 tipos de comunicação empresarial?

Dentro de um contexto específico, como uma empresa, por exemplo, a comunicação pode acabar se adaptando para adotar novos papéis. Logo, é comum que os tipos citados acima se especifiquem para atender às necessidades. 

Pensando nisso, a comunicação empresarial poderia ser definida como um conjunto de estratégias específicas para viabilizar a comunicação em uma estrutura organizacional. Em palavras mais simples, é como uma empresa facilita a troca de informações entre pessoas colaboradoras, liderança e clientes. 

Vejamos alguns tipos específicos desse contexto:

1. Comunicação interna

Uma empresa é um ambiente fechado. Isso é, há pessoas que trabalham dentro dela e devem trocar informações que são sigilosas a todo instante. Isso faz com que seja necessário um tipo de comunicação que veicule mensagens somente entre as pessoas que fazem parte dela

2. Comunicação externa

Se há uma comunicação entre as pessoas que trabalham na empresa, há também a necessidade de dialogar com pessoas que são clientes, ou seja, que estão fora do processo de funcionamento dela

Sendo assim, essa comunicação se dá por meio de campanhas e estratégias de Marketing, posicionamentos em redes sociais e eventos em que haja interação com o público geral. Esse tipo de comunicação é importante para manter as pessoas engajadas e ajudar na construção de uma marca forte e impactante no mercado. 

3. Comunicação vertical

Esse tipo de comunicação faz referência à organização estrutural da empresa em seus níveis hierárquicos. Então, todas as vezes que é necessário uma comunicação entre dois níveis distintos da empresa, como liderança e pessoas subordinadas, esse tipo está em uso. 

Há dois tipos de comunicação vertical:

  • Ascendente: A informação parte das pessoas colaboradoras para a liderança. Pode vir em formato de feedbacks ou relatórios de desempenho. 
  • Descendente: a informação sai da liderança com destino às pessoas colaboradoras subordinadas. Podem servir como comunicados, ordens ou instruções. 

4. Comunicação horizontal

Essa comunicação ocorre entre pessoas colaboradoras de uma mesma equipe que ocupam níveis hierárquicos semelhantes. Assim, o objetivo desta comunicação é o alinhamento estratégico e o compartilhamento de informações referentes à tarefas e projetos

5. Comunicação diagonal

A comunicação diagonal tem por objetivo informar todas as pessoas da empresa de uma única vez, sejam elas gestoras, líderes ou simplesmente colaboradoras. A ideia é que seja uma informação mais geral e estrutural. 

6. Comunicação transdisciplinar

Nesse tipo de comunicação, cada parte é representada por uma pessoa ou equipe com conhecimentos técnicos e contextos diferentes que, por alguma razão, precisam trabalhar juntas para algum projeto ou tarefa. Nesse caso, a comunicação deverá ser objetiva e bastante organizada, pois os contextos deverão se encontrar na metade do caminho. 

O desafio aqui está em transmitir a informação técnica de uma maneira que ela seja compreensível a todas as pessoas que a acessam, mesmo de áreas distintas. 

Como escolher o tipo certo de comunicação para usar?

Essa é uma pergunta complicada. Afinal, como explicamos acima, os tipos de comunicação normalmente não são utilizados isoladamente, eles precisam ser utilizados em conjunto para um determinado objetivo em específico. 

Logo, o que você precisa considerar é o que você precisa comunicar, para quem e como é a forma mais adequada de fazer isso. Alguns exemplos:

  • Feedback: Ele pode ser dado a partir de uma comunicação oral ou por escrito. Se você acredita que seja uma situação complexa, prefira falar com a pessoa cara a cara. Se for mais pontual e você deseja que a pessoa possa ler novamente mais tarde, prefira escrever. A formalidade ou informalidade depende do grau de intimidade que existe com a pessoa.
  • Estratégias de Marketing: estratégias de Marketing são mais impactantes quando utilizada a comunicação visual, pois, assim, é mais garantido que você conseguirá captar a atenção do público-alvo. A depender, a comunicação digital e Storytelling podem ser usadas aqui também. 
  • Entrevista de emprego: em uma entrevista de emprego, você deve adotar uma comunicação verbal e não verbal bastante formal. Você deverá prestar atenção em expressões faciais, linguagem corporal e como você se posiciona no ambiente. Sua postura também poderá dizer muito. Lembre-se de pensar em como sua voz estará sendo utilizada, e faça com que ela seja consistente e tenha um tom adequado. 

Para que você consiga decidir quais tipos de comunicação são adequados em cada situação, você pode começar a analisar e observar quais são os tipos comumente utilizados nos contextos comunicativos ao seu redor. 

A partir disso, você conseguirá compreender melhor os tipos de comunicação, os contextos em que são adequados e como utilizá-los propriamente. 

Agora que você conheceu os tipos de comunicação, o que acha de aprender sobre o que é Percepção seletiva e como ela impacta em nosso comportamento e opiniões? Continue estudando com a gente!

0 Shares:
Você também pode gostar