Mesmo com o “boom” do trabalho híbrido ao redor do mundo por conta da pandemia da Covid-19, algumas pesquisas revelam que muitas organizações e profissionais não estão preparados e nem otimistas com a possibilidade do trabalho remoto permanente.

Dados de pesquisas da Salesforce e da PwC realizadas no início deste ano com executivos dos Estados Unidos comprovam. A primeira revelou que 64% dos mais de 3500 trabalhadores consultados gostam da ideia de dividir o espaço de trabalho entre casa e escritório.

E a segunda mostrou que apenas 13% dos executivos de negócios estão realmente prontos para trabalhar de casa. 

Uma pessoa em uma mesa de trabalho.

“São opiniões e comportamentos que também encontram eco em outros mercados, inclusive no Brasil e em demais países da América Latina. No entanto, um modelo de trabalho híbrido precisa de mais estrutura do que um desktop no escritório, um laptop em casa e uma conexão de internet entre os dois”, diz Edgar Garcia, Diretor Comercial da UiPath para a América Latina.

Saída para adaptação pode estar na tecnologia

A solução para fazer a adaptação de quem precisa trabalhar de casa pode estar na tecnologia. Segundo a UiPath, três ferramentas são fundamentais e capazes de suportar a estrutura de TI do modelo híbrido. Conheça abaixo as principais tecnologias que têm norteado os investimentos para um futuro corporativo híbrido pós-pandêmico e de sucesso.

Tudo na Nuvem

Os fornecedores de computação em nuvem e serviços gerenciados têm sido os principais beneficiários da mudança para o trabalho remoto e híbrido, e na oferta de suporte tecnológico que a mudança exigiu.

De acordo com uma pesquisa da Radware, realizada em 2020, 76% das empresas adotaram os serviços em nuvem mais rápido do que o planejado. A consultoria Gartner divulgou uma pesquisa anunciando que serviços de nuvem pública de infraestrutura cresceram 40,7% somente em 2020.

Mais comunicação e colaboração

Para que todos se comuniquem à distância, as empresas precisarão de ferramentas modernas de comunicação e gestão.  “Sem ferramentas de colaboração eficazes, os funcionários correm o risco de ficar isolados, desengajados e improdutivos. Muitas empresas já investiram em algumas ferramentas de colaboração existentes, mas agora startups estão surgindo com foco específico nas necessidades advindas do trabalho híbrido”, aponta Garcia.

Automação para máxima eficiência e engajamento

“A automação é a tecnologia que tem ajudado as empresas a garantir que as mudanças realizadas na maneira de se trabalhar e no fluxo de trabalho não terminem em perdas de eficiência”, explica Garcia. De acordo com a pesquisa da McKinsey & Company, realizada em 2020 com 800 tomadores de decisão, quase metade deles relataram que a adoção da automação foi moderadamente acelerada em suas companhias e  20% afirmaram vivenciar um aumento significativo na automação.

Segundo a UiPath, quanto maior a empresa, mais a automação de processos e tarefas é necessária. “E ela se mostra ainda mais urgente, inclusive e sobretudo às empresas que não têm como investir nesta nova infraestrutura tecnológica adequada ao modelo híbrido de trabalho”, diz Garcia.

Deixe um comentário
Você também pode gostar