Com a chegada da globalização, tornou-se cada vez mais fácil acessar e trocar informações em qualquer lugar do mundo. Hoje em dia, por exemplo, é muito difícil conhecer pessoas que não estão conectadas à internet, enviando e recebendo dezenas de dados a todo momento. 

Em cenários como o que vivemos, em meio ao coronavírus, é imprescindível ter uma boa conexão, já que se tornou necessário estar conectado ou conectada para desempenhar suas atividades de trabalho, estudo ou mesmo entretenimento.

Se você está enfrentando dificuldades com o seu sinal de internet ou gostaria de aprimorar a conexão, confira o conteúdo que preparamos sobre o assunto, com muitas dicas práticas. 

Como medir a velocidade da sua internet?

Antes de ir para a prática é necessário entender o que está por trás da velocidade da internet. Um dos primeiros passos é aprender a medi-la.

Verificar a velocidade da sua conexão é muito simples. Com o serviço disponibilizado pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunições) basta acessar este link e em questão de instantes você saberá a velocidade de download, dados recebidos pelo servidor, e upload, dados enviados do seu servidor a outros ou aos provedores, do seu equipamento. Ela será mostrada dessa forma: 

Além de apontar os dados do seu computador, o site ainda exibe um relatório com o resultado médio das consultas feitas. Assim é possível identificar também se sua velocidade está dentro do padrão. 

Entendendo os resultados do teste de velocidade

Agora que você já tem os números referentes a velocidade do seu equipamento, é necessário interpretá-los, não é mesmo? Veja a seguir o que significa cada uma dessas informações que você recebeu:

Latência

De maneira resumida, latência é tempo de atraso que ocorre entre o seu computador enviar um dado e o servidor recebê-lo. Por isso, quanto menor a latência, melhor. 

Para transmissões ao vivo (chamadas de Zoom, por exemplo), por exemplo, o ideal é uma latência menor que 30ms. Já para o uso normal de internet (como enviar um e-mail ou visitar sites), uma latência menor que 100ms é razoável.

Download e Upload

O Download é o que o seu computador recebe de um servidor externo, enquanto que upload é o que ele envia. Contextualizando para uma chamada de Zoom, com compartilhamento de tela, para uma apresentação: Quem está apresentando precisa de uma velocidade de upload muito boa, afinal ele está enviando o vídeo de sua tela para várias pessoas. Quem está assistindo precisa de uma velocidade de download muito boa, para acompanhar o que está sendo transmitido pelo apresentador.

No Brasil, uma resolução da Anatel permite que as operadoras de banda larga façam propaganda e anunciem apenas a velocidade de download, sem comprometimento com a de upload. Por conta disso, situações como a ilustrada ao lado podem ocorrer com frequência. Em um plano contratado de 240MB/s, a velocidade de upload entregue é de apenas 0,3MB/s, inviabilizando uma chamada de vídeo no Zoom, por exemplo.

Velocidade mínima de download/upload sugerida para uso de alguns serviços: 

As referências abaixo indicam algumas velocidades mínimas sugeridas para serviços comuns na internet: 

  • Escutar uma música no Spotify: 0.3 MB/s de download [fonte] 
  • Assistir um vídeo no Youtube: 5 MB/s de download [fonte] 
  • Assistir um filme na Netflix: 5 MB/s de download [fonte] 
  • Fazer uma chamada 1:1 no Zoom com vídeo: 1.8 MB/s de download e upload [fonte] 
  • Fazer uma chamada em grupo no Zoom com vídeo: 5 MB/s de download e upload

Estabilidade vs. velocidade média

Além da velocidade de download e upload, é necessário se ater a outros dois pontos da sua conexão, a Velocidade Média e a Estabilidade. Confira mais sobre elas abaixo:

Velocidade Média

A velocidade média da sua conexão é uma medida instantânea, com uma média de alguns segundos nos quais a medição é feita, mas não tem garantia nenhuma de que vai se manter ao longo do tempo. Ela é um importante indicativo de qualidade, mas não é suficiente para garantir uma operação tranquila.

Estabilidade

 Já a estabilidade é um dado de longo prazo, precisa de vários dias, difícil de ser medido. 

Em caso de falhas ou queda de sinal, as operadoras têm até 48 horas para restaurar o link.

As operadoras são obrigadas a garantir internet durante 98,5% do tempo pela Anatel. Parece muito, mas em um dia, isso são 21 minutos. Em uma transmissão ao vivo, isso é catastrófico.

Para uma operação tranquila é importante ter as duas!

Wi-fi 

Redes wi-fi têm a grande vantagem de não dependerem de fios, simplificando a instalação, barateando para acessos de múltiplos dispositivos e facilitando a mobilidade dentro de um ambiente. Porém, elas apresentam também diversas desvantagens:

 ● Não são estáveis: Se você está fazendo uma chamada via zoom, por exemplo, ela pode travar a qualquer momento por uma queda súbita de sinal. 

● A qualidade da internet depende muito do ambiente: A distância entre o seu computador e o roteador interfere muito na qualidade do sinal. Adicionalmente, se existe uma parede entre os dois, certamente a sua velocidade será prejudicada porque o sinal é atenuado ao atravessar o concreto. Diversos itens domésticos podem afetar seu wifi.

● Não existe balanceamento de carga: O roteador envia pacotes de dados para o dispositivo que mais demandar, piorando a velocidade dos demais. 

Na prática, se você está em uma chamada de Zoom enquanto, na mesma rede, outro dispositivo transmite Netflix na TV e um celular acessa stories no Instagram, certamente haverá uma piora na qualidade.

Itens domésticos que afetam o Wi-Fi

Coisas simples e comuns em ambientes domésticos que são, aparentemente, inofensivas, mas que podem afetar a qualidade de um sinal wi-fi.

●  Espelhos: A mesma camada metálica que reflete a luz, também reflete o sinal do Wi-Fi, gerando uma interferência no sinal que prejudica a qualidade. O efeito diminui se o espelho estiver perto do roteador, mas aumenta quanto maior for o espelho.

●  Venezianas/Persianas Metálicas: Mesmo princípio que os espelhos, o metal reflete e dispersa o sinal no ambiente, gerando ruído eletromagnético e prejudicando a qualidade. 

Microondas: Enquanto estiverem ligados, microondas podem degradar em até 64% o sinal de internet do wi-fi, caso estejam a uma distância menor que 10m. 

Eletrodomésticos: Todos os itens com antenas, como TVs, aparelhos de som ou receptores de TV a cabo, podem afetar o seu sinal de wi-fi. As antenas deles geram interferência de sinal e geram ruído, reduzindo a qualidade. Neste caso, o melhor a se fazer, quando possível, é afastar o roteador o máximo possível desses aparelhos para reduzir o efeito.

O ponto aqui não é modificar a decoração da sua casa ou trocar a sua janela. Mas alertar que uma simples mudança de posição do seu roteador pode ajudar muito na qualidade da sua internet.

Rede cabeada

Redes cabeadas são mais rápidas e estáveis, porém mais difíceis de serem instaladas e podem demandar equipamentos especializados. Entre as vantagens delas estão:

 ● Garantem estabilidade da rede: O sinal está todo contido dentro dos cabos e não sofre interferência do ambiente, por isso é muito mais estável. 

● Têm latência menor e velocidade maior: Isso ocorre porque os cabos são projetados para conduzir o sinal melhor do que o ar. 

● Fazem balanceamento de carga: A velocidade que todos os dispositivos recebem é igual e um não prejudica o outro.

 ● Não precisam de criptografar o sinal: Como conectam apenas dois pontos conhecidos, não precisam dessa camada segurança, o que aumenta a velocidade da internet.

Wi-Fi vs Rede Cabeada

De maneira simples, redes cabeadas são mais rápidas e estáveis do que wi-fi. E, Para streaming ou chamadas de Zoom com compartilhamento de tela, por exemplo, é essencial que se tenha rede cabeada.

Dicas práticas para melhorar a qualidade da sua internet

Não existe um aplicativo ou grande segredo que faça sua internet melhorar. Ainda assim, existem boas-práticas que podem tornar sua conexão mais potente. Confira algumas dicas:

Roteador 

A maior parte desses modems já vem com a funcionalidade de roteador, distribuindo a internet através de uma rede de Wi-Fi. Porém, ao fazer essa função dupla, a intensidade da rede wi-fi fica prejudicada, o que por si só já pode ser a causa da qualidade ruim da internet. Caso seu orçamento permita, recomendamos que se use um roteador para melhorar a qualidade do seu wi-fi. Um equipamento de boa qualidade fica na faixa de aprox. R$150 [link1] [link2] A conexão entre o roteador e o modem da operadora é feita através de um cabo ethernet que, normalmente, já vem com o roteador.

Geralmente, a entrada do cabo no roteador vai estar identificada como Internet ou DSL e com uma cor diferente das demais. A saída do cabo no modem, geralmente, vai estar identificada como LAN

É importante ressaltar que existe uma infinidade de modelos de modems e roteadores no mercado. O princípio de funcionamento deles é o mesmo, mas cada um tem sua especificidade. Use a aprendizagem ativa e procure na internet um guia dedicado ao seu modelo de roteador.

Rede cabeada 

Para conectar o seu computador diretamente no modem, o princípio é o mesmo utilizado para conectar um roteador. Basta conectar um cabo de rede, também chamado de cabo ethernet ou RJ-45, ligando seu modem diretamente ao seu computador. No modem, a saída para o cabo de rede geralmente está indicada como LAN (Local Area Network)

No caso de computadores que não disponham de placa de rede instalada, é possível comprar adaptadores para entrada USB, que custam em torno de R$30.

Também é possível fazer um setup completo, com modem, roteador e rede cabeada no seu computador. Neste caso, ao invés de fazer a ligação direta entre o modem e o computador, o modem é ligado ao roteador, que por sua vez é ligado ao computador. Este caso traz o melhor dos dois mundos, uma boa rede de internet cabeada para você trabalhar com tranquilidade no seu computador e uma rede de wi-fi para os outros dispositivos, como celulares.

Ferramentas de suporte para trabalho remoto 

No mercado mundial já existem diversas ferramentas que tornam o dia a dia do trabalho ou atividades remotas muito mais eficiente, diminuindo os eventuais ruídos dessa modalidade. Confira abaixo três delas:

Zoom

O Zoom Meeting é uma ferramenta, entre outras de vídeo chamada, que pretende solucionar os problemas de pessoas, empresas, escolas e grupos que desejam encontrar uma forma remota de comunicação que seja tão ou mais eficiente que as reuniões presenciais.

Ela pode ser extremamente prática em situações em que o encontro físico não é uma opção. Confira um tutorial de como utilizar essa ferramenta

Slack 

Outra ferramenta muito relevante para pessoas que trabalham de forma remota é o Slack. 

O software, que foi desenvolvido em 2014, tem como principal objetivo acabar com o e-mail, melhorando ainda mais a comunicação interna das companhias.

Atualmente, o Slack conta com mais de 12 milhões de usuários ativos e tem atuação em cerca de 150 países. 

Suas funcionalidades permitem que as pessoas de um time troquem informações de forma efetiva, criem canais e também possam consultar conversas e arquivos enviados anteriormente, semelhante a um WhatsApp.

Confira um passo a passo de como utilizar esse software

Drive 

Além das duas ferramentas anteriores, o Drive é outro programa eficiente para otimizar o trabalho remoto. Criado pelo Google em 2012, o serviço de armazenamento permite que o usuário ou usuária deposite arquivos na nuvem. 

Para acessá-lo basta ter uma conta no gmail. A empresa oferece um espaço de 15 GB gratuitos, sendo possível comprar um armazenamento maior. 

Como pudemos perceber, existem formas práticas de melhorar a sua internet e torná-la ainda mais potente para o trabalho remoto. Em cenários como o atual, no qual diversas pessoas estão em suas casas cumprindo o isolamento social por conta do coronavírus, é essencial tem uma boa navegação, além de ferramentas que ajudem a otimizar o seu dia a dia. 

Gostou desse artigo? Então não deixe de conferir outros conteúdos sobre tecnologia.

8 Shares:
Você também pode gostar