Antes de falarmos sobre a UML, temos uma pergunta a fazer: você já parou para pensar nas etapas que são necessárias para o desenvolvimento de um bom software? A verdade é que são muitas e elas abrangem desde a fase de elicitação dos requisitos do sistema (etapa na qual se obtêm informações sobre o que se pretende fazer) até a etapa de implantação e testes

No meio de todas elas, para garantir a qualidade da aplicação, reduzir as chances de problemas durante o desenvolvimento e facilitar o trabalho da equipe, uma tarefa se mostra essencial: a documentação e modelagem das especificações do sistema. 

É exatamente nesse ponto que entra a UML, pois ela é uma ferramenta extremamente importante quando se trata de documentar uma aplicação. Achou interessante e quer saber mais sobre o assunto? Então veja o que será abordado neste artigo:

  • O que é UML?
  • Para que servem os diagramas UML?
  • Quais são os tipos de diagramas UML?
  • Quando usar os diagramas UML?

Fique conosco e tenha uma boa leitura!

O que é UML?

A Unified Modeling Language, ou Linguagem Unificada de Modelagem, é, como o nome indica, uma linguagem de notação utilizada para modelar e documentar as diversas fases do desenvolvimento de sistemas orientados a objetos

Para isso, ela define uma série de elementos gráficos — como retângulos, setas, balões e linhas — que são usados em diferentes diagramas para representar os componentes de uma aplicação, suas interações e mudanças de estados.

Trata-se de uma linguagem de modelagem única, cujo papel é auxiliar a equipe de desenvolvimento a visualizar os diversos aspectos da aplicação, facilitando a compreensão do seu funcionamento.

Para que servem os diagramas UML?

Você já parou para pensar em como seria difícil desenvolver um sistema complexo, com dezenas de funcionalidades e requisitos, sem o apoio de uma documentação para guiar todo esse processo? Certamente, seria uma tarefa problemática e as chances de obter um resultado de baixa qualidade seriam altíssimas.

Por isso, os diagramas UML são essenciais para evitar dois problemas comuns no desenvolvimento de software: os erros das fases de especificação do projeto e a comunicação entre as diferentes partes envolvidas, como gerentes, pessoas desenvolvedoras, analistas, Scrum Master e Product Owner, por exemplo.

Com o uso desses diagramas, é possível obter uma visão clara e única do sistema, deixando todas as entidades envolvidas no projeto a par do que será desenvolvido e evitando erros de implementação. Afinal, trata-se de uma linguagem padrão, objetiva e eficiente que facilmente será entendida por toda a equipe.

Quais são os tipos de diagramas UML?

Existem diversos tipos de diagramas UML e eles são divididos em duas categorias: os diagramas estruturais e os comportamentais. Cada um deles é usado para especificar, documentar, modelar e visualizar aspectos específicos de uma aplicação. Veja!

Diagramas estruturais

Os diagramas estruturais são usados para modelar os aspectos estáticos do sistema. Entre eles, podemos citar a arquitetura, as classes, as interfaces, os métodos, os componentes, etc.

Diagrama de classes

O diagrama de classes é um dos modelos mais importantes no processo de engenharia de software e serve de base para outros diagramas. Isso porque ele é utilizado para mapear o sistema por meio da modelagem dos seus métodos, atributos e classes — além dos relacionamentos definidos entre elas, como herança, composição, associação e dependência.

Diagrama de objetos

O diagrama de objetos é usado para visualizar instâncias específicas das classes que foram definidas no diagrama de classes. Ou seja, ele mostra os objetos, seus valores e relacionamentos em um determinado momento da execução do programa.

Diagrama de componentes

Esse diagrama é utilizado para indicar como o sistema será implementado, quais são as suas interfaces, pacotes e artefatos, além dos relacionamentos entre os seus diferentes componentes. Nele, é possível destacar a função de cada módulo da aplicação, o que facilita a sua reutilização.

Diagrama de implantação

Também conhecido como diagrama de instalação, esse modelo mostra a relação entre os recursos de infraestrutura e os artefatos do sistema. Ele ainda representa os requisitos mínimos de hardware, mapeando as necessidades do software que será implementado.

Diagrama de pacotes

O diagrama de pacotes é usado para representar os subsistemas existentes em uma aplicação. Nesse modelo, cada pacote agrupa elementos que estão relacionados — como classes, diagramas e até outros pacotes — mostrando sua organização, disposição e relação com outros elementos.

Diagrama de estrutura

Por meio desse diagrama é possível representar as colaborações internas que ocorrem entre classes, componentes, instâncias ou interfaces para a execução de uma tarefa específica.

Diagramas comportamentais

Como o próprio nome indica, os diagramas comportamentais são utilizados para especificar como o sistema se comporta diante de determinadas interações.

Diagrama de casos de uso

Usado principalmente na fase de especificação dos requisitos, o diagrama de casos de uso documenta as funcionalidades do sistema e as interações da pessoa usuária com cada uma delas. É um diagrama simples e não exige conhecimentos técnicos para ser compreendido.

Diagrama de máquina de estados

Esse diagrama é usado para descrever como uma aplicação responde aos eventos internos e externos. Nele, é possível demonstrar as mudanças de estado que um objeto apresenta durante a execução de determinado processo.

Diagrama de atividades

No diagrama de atividades é mostrado o fluxo percorrido até a conclusão de uma atividade. Por meio dele, pode-se representar as operações feitas entre os objetos durante cada atividade.

Diagrama de interação

O diagrama de interação é dividido em quatro tipos diferentes: diagrama de visão geral, diagrama de sequência, diagrama de comunicação e diagrama de tempo. O primeiro mostra o fluxo principal das interações dentro do sistema. 

Já o de sequência descreve a interação entre os objetos de um caso de uso. Por sua vez, o diagrama de comunicação complementa o anterior, mostrando os vínculos entre cada objeto. Por fim, o diagrama de tempo é usado para descrever o comportamento das instâncias de uma classe durante um intervalo específico.

Quando usar os diagramas UML?

Os diagramas UML devem ser usados em diversas situações, por exemplo:

  • quando é preciso oferecer uma visão padronizada do projeto e de suas especificações para todas as pessoas envolvidas no desenvolvimento;
  • para documentar e visualizar o funcionamento do software;
  • comunicar os protocolos de interfaces que serão consumidas por outros sistemas;
  • auxiliar a fase inicial de especificação dos requisitos do sistema;
  • quando é preciso documentar os desejos de algum cliente sobre as funcionalidades do software.

Como foi possível perceber, a linguagem UML e os seus diagramas são ferramentas imprescindíveis para a programação. Portanto, atente-se a elas e busque conhecer cada vez mais os diferentes processos e tecnologias envolvidas no desenvolvimento de software. Assim, você estará um passo mais perto de atingir o sucesso na sua carreira!

E aí, gostou do artigo e quer continuar aprendendo? Então, aproveite para conferir o que é LaTeX e quais são os principais editores dessa ferramenta!

0 Shares:
Você também pode gostar