A possibilidade de adotar o modelo de trabalho remoto tornou-se um dos benefícios mais estimados pelos profissionais de diversas áreas, incluindo desenvolvedores de software. O relatório 2022 State of Remote Engineering Report, publicado pela plataforma de software Terminal, traz um levantamento realizado com mais de 1 mil engenheiros.

O objetivo do estudo foi analisar os sentimentos dos desenvolvedores de software em relação a uma série de questões que impactam a profissão, como trabalho remoto, burnout e produtividade, benefícios e igualdade salarial. 

Os resultados da pesquisa mostram que o trabalho remoto continua sendo altamente desejado pelos profissionais, uma vez que a modalidade oferece maior flexibilidade e equilíbrio entre vida pessoal e profissional.

Home office a longo prazo

Cerca de três quartos (75%) dos desenvolvedores que participaram do estudo afirmaram que gostariam de adotar o home office pelo menos três dias por semana. Mais de 60% já está trabalhando de forma completamente remota, enquanto que 75% adere à modalidade três vezes por semana ou mais.

Já em relação à produtividade, 68% dos entrevistados acreditam que conseguem realizar seu trabalho melhor quando estão em home office, enquanto que 32% afirmam ser mais produtivos no local de trabalho.                    

O trabalho remoto também está associado a um maior equilíbrio entre vida pessoal e profissional, de acordo com 64% dos desenvolvedores, e com a redução de estresse, segundo 48% dos entrevistados. No entanto, adotar essa modalidade de forma permanente também levanta algumas preocupações. 

O isolamento foi uma das principais reclamações entre os engenheiros de software que trabalham remotamente. Mais da metade (55%) dos entrevistados afirmam sofrer com a falta de interações sociais diárias, com 40% citando solidão ou sentimentos de isolamento.

Pessoa desenvolvedora trabalhando com um computador em um escritório em casa.
Cerca de três quartos (75%) dos desenvolvedores que participaram do estudo afirmaram que gostariam de adotar o home office pelo menos três dias por semana.

A ausência desse contato direto com pessoas também dificulta a colaboração e inclusão, segundo 38% dos participantes do estudo. Além disso, 31% afirmam que o trabalho remoto dificulta o desenvolvimento de carreira, uma vez que os profissionais tornam-se menos visíveis a seus gerentes e supervisores. 

Diante dessas preocupações, o desafio agora é descobrir como o trabalho remoto pode ser implementado de forma sustentável a longo prazo, e a resposta inclui um suporte maior para os trabalhadores que escolherem a modalidade,

Cerca de 23% dos entrevistados concordam que a empresa deveria oferecer equipamentos, internet ou o que for necessário para ajudá-los a trabalhar de casa. Para 18%, o essencial seria fornecer ferramentas de produtividade e tecnologia, enquanto 16% citaram oportunidades de aprendizado remoto e desenvolvimento. 

Respostas das empresas

O equilíbrio entre vida pessoal e profissional parece ganhar cada vez mais importância entre os profissionais. De acordo com o estudo da Temrinal, a expectativa entre os desenvolvedores que trabalham remotamente é que a empresa também ofereça condições que facilitem esse equilíbrio. 

Horários de trabalho flexíveis foram citados por 21% dos entrevistados, enquanto 13% gostaria de ter acesso a serviços de saúde mental e bem-estar, e 10% deseja apoios relacionados à criação dos filhos.

Por parte das empresas, a pesquisa revelou que 59% dos empregadores já oferecem horários de trabalho flexíveis, enquanto 53% organizam reuniões informais virtuais, e 35% estão mantendo um contato mais próximo com a equipe de desenvolvedores.

Um terço dos desenvolvedores (33%) admitem que receberam dias de folga adicionais como forma de combater o burnout, além de perceberem que as empresas estão menos exigentes com deadlines (31%) e reduzindo a carga de trabalho (12%). 

Diante desses resultados, a Terminal ressalta que a demanda crescente por desenvolvedores forçará as empresas a atenderem às expectativas desses profissionais caso não queiram perder seus talentos para a concorrência.

Deixe um comentário
Você também pode gostar