Com o objetivo de ganhar mais espaço no mercado, o Google decidiu direcionar seus esforços em cloud computing para atrair desenvolvedores; mesmo que isso signifique sacrificar parte dos seus lucros. 

O serviço de nuvem da empresa, chamado Google Cloud Platform, reduzirá significativamente a comissão das vendas feitas no Google Cloud Marketplace, passando de 20% para 3%

Por enquanto, a gigante de buscas ainda não confirmou os números, mas disse que, de fato, está reestruturando as taxas do Marketplace, que é a loja de aplicativos utilizada para distribuir apps para clientes corporativos.

Embora este seja um dos passos iniciais do Google para alavancar seus serviços de nuvem, não é a primeira vez que a empresa reduz suas comissões de vendas. Inclusive, a estratégia tem sido adotada por outras gigantes de tecnologia que brigam pela liderança do mercado. 

Redução de taxas para atrair desenvolvedores

Em julho, o Google havia anunciado uma medida similar a esta mais recente, reduzindo a porcentagem retida pelas vendas na Play Store de 30% para 15% para o primeiro US$ 1 milhão em receita obtido por um desenvolvedor a cada ano.  

A Apple seguiu pelo mesmo caminho, oferecendo reduções nas taxas para os desenvolvedores que obtivessem menos de US$ 1 milhão em vendas anuais. Já em agosto, a Microsoft diminuiu de 30% para 12% a comissão das vendas de jogos na loja de aplicativos Windows.

Outra medida anunciada recentemente pelo Google no segmento de computação em nuvem inclui a adição de novos termos em suas Cláusulas Contratuais Padrão (SCCs, conforme a sigla em inglês) para clientes europeus que transferirem dados para fora do continente. 

De acordo com o documento atualizado, que afeta a Google Cloud Platform, a empresa passa a assumir todas as responsabilidades impostas pelas novas SCCs. Ainda com foco na Europa, o Google anunciou um investimento de 1 bilhão de euros em infraestrutura de nuvem na Alemanha em um período de 10 anos.

As mudanças refletem os esforços mais recentes da gigante de buscas para tentar ganhar relevância no setor de cloud computing, que ainda é dominado pela Amazon Web Services (AWS). 

AWS lidera mercado de cloud computing

A AWS detém a maior fatia do mercado de nuvem, 32%, seguida pelo Microsoft Azure, com 19%. O Google Cloud, por sua vez, ocupa o terceiro lugar, com apenas 7%. Um dos grandes desafios da empresa é a oferta de produtos em seu marketplace.

Enquanto o Google oferece soluções de empresas de software como Confluent, Elastic e MongoDB, as grandes desenvolvedoras como Accenture, Equifax e Hewlett Packard Enterprise estão na AWS. 

Segundo estimativas, a comissão cobrada pela plataforma da Amazon é de apenas 5%, o que reforça o motivo de o Google apostar na redução de taxas como estratégia para atrair mais desenvolvedores. 

No segundo trimestre deste ano, o Google Cloud faturou US$ 4,63 bilhões em vendas, o que representa um salto de 54% em relação aos US$ 3 bilhões contabilizados no mesmo período no ano passado. 
Ainda assim, a empresa precisa lidar com o prejuízo de US$ 591 milhões desse segmento, que, embora seja bem menor que os US$ 1,43 bilhões do ano anterior, ainda representa um obstáculo significativo para que o Google possa alcançar a concorrência.

Deixe um comentário
Você também pode gostar