Em sua nona edição, a “European Cybersecurity Month” é uma iniciativa da União Europeia para promover boas práticas de cibersegurança durante o mês de outubro. O slogan deste ano é “Think Before U Click” (“Pense antes de clicar”, em tradução literal) e reflete o propósito da campanha de educar cidadãos e organizações. 

O projeto anual é organizado pela Comissão Europeia e pela Agência de Cibersegurança da União Europeia (ENISA), além de contar com mais de 300 parceiros nos estados membros, o que inclui autoridades locais, governos, universidades, think tanks, ONGs e associações profissionais. 

De acordo com a ENISA, a pandemia de Covid-19 evidenciou ainda mais a importância da cibersegurança, com uma quantidade massiva de pessoas fazendo home office e estudando online. Por isso, educar a população sobre os hábitos de segurança no ambiente digital é essencial para minimizar os riscos de ataques hacker

De fato, pesquisas indicam que durante o mês de março de 2020, um dos períodos mais críticos da pandemia, o número de golpes online disparou 400% em relação aos meses anteriores. Além disso, o Google afirmou bloquear mais de 18 milhões de e-mails maliciosos relacionados à Covid-19 diariamente em abril de 2020. 

Pensar antes de clicar

Com início em 1º de outubro, a iniciativa europeia para promover o mês da cibersegurança inclui uma série de atividades online, como treinamentos, conferências, quizzes, apresentações e campanhas nacionais em diferentes países.

O objetivo é oferecer informações atualizadas sobre práticas de segurança online, principalmente em atividades do dia a dia, que passaram por um processo de digitalização acelerado devido à pandemia, obrigando parte da população a se adaptar às novas dinâmicas sem estarem preparadas para identificar as ameaças que elas carregam. 

Por esse motivo, a campanha deste ano busca encorajar as pessoas a “pensar antes de clicar”, em referência aos ataques phishing, que utilizam engenharia social para manipular as vítimas.

As técnicas adotadas por hackers estão cada vez mais sofisticadas, sendo capazes de contornar processos como a autenticação de dois fatores e até mesmo sistemas de reconhecimento facial. 

Isso apenas reforça a necessidade de ensinar a população a identificar ameaças e evitar golpes. A campanha deste ano, portanto, será dividida em dois temas principais: “Being Cyber Secure From Home” e “First Aid”.

Prevenir e remediar

O primeiro deles, “Being Cyber Secure From Home”, fornecerá dicas de como garantir a segurança ao realizar transações, se comunicar, trabalhar ou estudar online. Ou seja, o foco será nas recomendações de boas práticas para atividade diárias.

Computador na aba de programação

Já o segundo tema, “First Aid”, consiste em uma espécie de guia de instruções sobre como agir no caso de um incidente de cibersegurança. Neste caso, o objetivo é orientar as pessoas a tomarem as atitudes adequadas após serem vítimas de um golpe, seja envolvendo uma fraude em compras online ou uma invasão no perfil das redes sociais. 

Todas as atividades e conteúdos educativos serão reunidos no site da campanha. A página também conta com uma seção que permite cadastrar atividades abertas ao público e que sejam desenvolvidas para conscientizar as pessoas sobre cibersegurança. 

Os materiais estarão disponíveis nos 24 idiomas oficiais da União Europeia. No site, ainda é possível acessar um mapa interativo que permite consultar os países participantes e quais serviços estão disponíveis em cada local para que a população possa denunciar incidentes e solicitar apoio quando forem vítimas de algum golpe.

Deixe um comentário
Você também pode gostar