Bit, byte, código binário e linguagem de máquina. Esses são conceitos básicos de tecnologia, que causam uma certa confusão na hora de entender a diferença e a ligação entre eles. Tendo isso em mente, é importante saber que o computador é um componente eletrônico que funciona com base em impulsos elétricos, que são representados por apenas dois valores: 0 e 1.

São esses valores que dizem a ele tudo o que é preciso fazer, desde uma simples representação na tela que indique qual tecla foi pressionada no teclado até a execução de jogos de última geração. Por isso, é fundamental entender como esse sistema funciona.

Se interessou? Então confira o nosso post em que explicaremos:

Vamos lá? Boa leitura!

O que é código binário e qual a utilidade desse sistema?

Como mencionamos, os computadores trabalham com impulsos elétricos, por isso, o sistema binário é a melhor alternativa, pois fornece a representação de apenas dois números: 0 e 1. Você pode se perguntar como apenas dois números podem representar as informações armazenadas em um computador?

Para responder essa pergunta é preciso se lembrar dos diferentes sistemas numéricos, entre eles: o decimal, o octal e o hexadecimal, e que existe uma maneira de converter um ao outro. Portanto, quando digitamos o número 9 no teclado, por exemplo, o sistema operacional faz a conversão desse valor para o seu correspondente binário.

Existem outros dois conceitos importantes em computação: que são o bit e o byte. Cada representação binária ou dígito binário corresponde a um bit. Portanto, um bit pode ter o valor de 0 ou 1. Entretanto, o bit sozinho não consegue representar todo o conteúdo de uma informação.

Por isso, temos o byte, que é o conjunto de 8 bits. Esse grupo também pode ter o tamanho de 16, 32 ou 64 bits. Dessa forma, podemos converter qualquer informação em código binário e seu valor será representado em bytes.

Como funciona o sistema de código binário?

O sistema de código binário permite a execução de cálculos aritméticos e de operações lógicas. Dessa forma, ele consegue executar o que solicitamos a ele. Para isso, ele utiliza apenas dois valores binários, ou seja, 0 e 1, que são interpretados pelo processador. As instruções para o processamento dessas operações são feitas em linguagem de máquina.

Os programas desenvolvidos em linguagens de alto nível, como Java, C#, Ruby, entre outros, precisam ser traduzidos para o código binário para que o processador entenda o que eles desejam executar. A compilação é responsável por executar essa tarefa, ou seja, ela transforma as instruções desses programas em linguagem de máquina.

Tradutor de código binário? Saiba como converter!

Todas as informações processadas precisam ser traduzidas para código binário. O número 1, por exemplo, corresponde ao binário 00000001. Mas, como é feito o cálculo para chegar a esse valor?

O sistema binário utiliza a base 2, isto é, para transformar um número com base decimal em binário todos os valores devem ser divididos por 2 até que o resto da divisão seja 0 ou 1. Ficou confuso? Veja um exemplo em que vamos converter o número 157 em binário:

157 dividido por 2 = 78 e o resto = 1

78 / 2 = 39 e o resto = 0

39 / 2 = 19 e o resto = 1

19 / 2 = 9 e o resto = 1

9 / 2 = 4 e o resto = 1

4 / 2 = 2 e o resto = 0

2 / 2 = 1 e o resto = 0

resultado= 10011101

O resultado da conversão é formado de baixo para cima, ou seja, desde o resultado da última divisão por 2 e o resto dessa divisão, mais os restos correspondentes a todas as divisões efetuadas até chegar ao número original. Portanto, no nosso exemplo o resultado será 10011101

Já para fazer a conversão ao contrário, ou seja, traduzir de binário para decimal, é feita a multiplicação de cada bit por 2 elevado à sua posição. A seguir, confira o exemplo com o mesmo número que foi utilizado acima:

10011101 =

(1 x 27) + (0 x 26) + (0 x 25) + (1 x 24) + (1 x 23) + (1 x 22) + (0 x 21) + (1 x 20) =

128 + 0 + 0 + 16 + 8 + 4 + 0 + 1 = 157

ASCII

Transformar os números do sistema decimal em binários é simples, mas como fazemos com as palavras? Não tem como dividir a letra A por 2 e assim sucessivamente. Entretanto, elas também têm a sua representação binária. Para atender a essa necessidade existe a tabela ASCII — American Standard Code for Information Interchange — criada por Robert W. Bemer.

A tabela ASCII contém uma escala que vai de 0 a 127, na qual cada elemento corresponde a um respectivo caractere. Dessa forma, é possível atribuir um valor numérico para as letras, teclas de funções, números de 0 a 9, acentos e outros símbolos.

A letra T em maiúscula, por exemplo, corresponde ao código ASCII 84. Portanto, se você pressionar a tecla <ALT> e digitar o número 84, a letra T será exibida na tela. Já a versão minúscula corresponde ao valor 116. Entretanto, ainda é preciso converter os valores da tabela ASCII para o código binário das letras.

Isso é feito pela conversão do valor da posição do caractere em binário. Por exemplo, para converter a letra T, que corresponde ao decimal 84, devemos fazer a divisão de 84 por 2 sucessivamente, conforme explicado no tópico anterior, e o resultado será 1010100.

O código ASCII utiliza 7 bits de um byte para a representação dos 128 elementos. Entretanto, o último bit passou a ser utilizado para adicionar mais alternativas à tabela, que conta atualmente com 256 elementos, inclusive os caracteres acentuados.

UTF(8)

Existem outros formatos de codificação binária, como o UTF-8 — Unicode Transformation Format. Trata-se de um padrão compatível com a tabela ASCII, mas o seu comprimento pode ser variado, pois admite de 1 a 4 bytes para a representação.

Esse é um dos formatos mais utilizados em aplicações web. Observe que na maioria dos códigos fontes de páginas HTML contém a seguinte declaração:

<meta charset="utf-8"/>

Essa é a indicação para que o navegador entenda qual o tipo de codificação deve utilizar na página. Sem essa especificação podem aparecer caracteres estranhos quando utilizamos palavras com acentuação.

Apesar de o processamento do código binário ser automático pelos compiladores e pelo sistema operacional, pode ser necessário inserir algum elemento da tabela ASCII ou especificar a utilização da codificação UTF-8 nas aplicações. Por isso, é importante que as pessoas que desenvolvem softwares entendam como esse sistema funciona.

Gostou do nosso conteúdo sobre o que é código binário? Então, confira este post sobre o que é e quais os principais tipos de processamento de dados!

7 Shares:
Você também pode gostar