Você já ouviu falar sobre o eXtreme Go Horse? Esse é um termo utilizado para se referir a um processo bastante inadequado para desenvolvimento de software. Muitas vezes ele é citado quando nos deparamos com algum improviso — as famosas “gambiarras” — em um código, que compromete sua qualidade.

Neste artigo que preparamos para que você saiba exatamente do que se trata o Go Horse Process e por que é tão importante fugir dele, você vai ver:

Boa leitura!

O que é eXtreme Go Horse?

O Go Horse Process ou eXtreme Go Horse é composto por mandamentos que descrevem uma série de más práticas para desenvolvimento de software. Eles estimulam a escrita de códigos sem planejamento e sem se preocupar com questões importantes como segurança, legibilidade e bom funcionamento da aplicação.

Nele, a ideia é desenvolver um software de forma rápida, mesmo que isso envolva deixar de lado a qualidade do projeto. Por isso, o eXtreme Go Horse não deve ser visto como uma metodologia de desenvolvimento séria, e sim como uma sátira a comportamentos inadequados na área de programação.

Quais são os 5 principais motivos para não usar o Go Horse Process?

Apesar de ser composto apenas por más práticas, conhecer o eXtreme Go Horse pode ser útil para as pessoas programadoras. Isso porque ele ajuda a saber exatamente o que não deve ser feito quando o assunto é desenvolvimento de software.

Quer entender melhor? Veja abaixo as principais razões para nunca utilizar o Go Horse Process em seus projetos!

1. Não respeita prazos

Entre as características mais marcantes do eXtreme Go Horse está a falta de planejamento. Uma das consequências disso é a dificuldade gerada para cumprir prazos, que devem ser levados a sério em qualquer projeto.

2. Atrapalha o trabalho em equipe

Uma das habilidades mais importantes para uma pessoa desenvolvedora de software é a colaboração. Contudo, o Go Horse Process vai totalmente na contramão dessa qualidade, já que descreve um pensamento mais egoísta — como culpar colegas pelos erros da aplicação.

3. Dificulta o trabalho da própria pessoa

O processo estimula o desenvolvimento de aplicações sem se preocupar com erros que possam surgir futuramente devido às más práticas adotadas. No entanto, à medida que os problemas se acumulam, fica cada vez mais difícil corrigi-los e a quantidade de retrabalhos aumenta. Isso atrapalha a produtividade da pessoa desenvolvedora e, consequentemente, o andamento de todo o projeto.

4. Deixa clientes insatisfeitos

O uso do processo estimula que as pessoas desenvolvedoras não criem testes automatizados para encontrar problemas na aplicação. Dessa forma, são clientes que encontram os erros na hora da utilização e precisam recorrer ao suporte da empresa.

Como essas pessoas esperam que os erros sejam corrigidos rapidamente, a tendência é que quem o desenvolveu precise escrever ainda mais código sem qualidade. Em alguns casos, a insatisfação gerada pode até mesmo fazer com que a empresa perca clientes devido ao mau desempenho.

5. Arruína a sua reputação

O principal motivo para não utilizar o eXtreme Go Horse é que ele é capaz de prejudicar o sucesso de sua carreira. Isso porque práticas inadequadas — como a escrita de código de baixa qualidade — causa uma má impressão nos membros da equipe com a qual a pessoa vai trabalhar.

Dessa forma, líderes e demais colegas de trabalho podem enxergar a pessoa programadora como descomprometida ou mesmo com poucas habilidades de desenvolvimento. No futuro, isso pode atrapalhar o surgimento de oportunidades, como convites para novos projetos ou indicações para vagas de trabalho.

Como você viu, para ter uma carreira promissora na área de desenvolvimento de software é preciso evitar ao máximo as armadilhas difundidas no Go Horse Process. Nesse sentido, o caminho mais adequado é investir em qualificação e conhecer as tecnologias e métodos mais usados no mercado, como as metodologias ágeis.

Gostou do artigo e quer ler mais sobre tecnologia? Então não deixe de conferir textos exclusivos sobre o assunto em nosso blog.

0 Shares:
Você também pode gostar