E se houvesse uma forma de uma marca comunicar com clientes sem necessariamente usar palavras?

Apesar de parecer estranho, isso é possível ao utilizar arquétipos de marca. 

Quem nunca sentiu vontade de ir descobrir o mundo só de ver o logo da RedBull? Ou ainda se inspira pelas histórias dos atletas da Nike?

Sim, por trás dessa estratégia de storytelling estão os arquétipos de marca.

Não pare por aqui. Entenda tudo sobre o assunto e veja os 12 principais. Os tópicos apresentados no texto são:

Boa leitura!

O que são arquétipos?

De uma maneira bastante resumida e geral, arquétipos são imagens ou conceitos que estão presentes em diversas culturas e sociedades, mesmo que elas não tenham tido nenhum tipo de contato anteriormente. Isso nos leva a acreditar que existem tendências humanas a criar certas ideias a partir da nossa realidade, como é a questão da vida, da morte, do bem e do mal. 

Logo, os arquétipos estão presentes desde sempre e são inseridos em narrativas, mitos, contos, fábulas e passados e geração em geração. Atualmente, eles são bastante encontrados na indústria cinematográfica, nas artes plásticas e na literatura. 

Eles funcionam como uma estrutura de funcionamento de algo. Podemos sempre mudar sua aparência ou a forma como elas se apresentam para a sociedade de acordo com os valores do contexto histórico, mas na essência o “esqueleto” é igual. 

Pensemos por exemplo em personagens icônicos como Harry Potter, Frodo, de O Senhor dos Anéis e Luke Skywalker, de Star Wars. Todos eles são diferentes, estão localizados em contextos diferentes, mas no fundo, agem de forma similar e passam por trajetórias bastante semelhantes em suas narrativas. 

Qual a relação entre a marca e o arquétipo?

Ao tentar criar uma marca ou apresentar um produto no mercado, você estará invariavelmente tentando contar uma história. Qual seu produto, sua missão, sua visão de mundo e sua tarefa perante a sociedade, todos esses são elementos dessa narrativa que as pessoas necessitam conhecer apra que possam confiar em determinada marca. 

É aí que os arquétipos de marca entram. Ao fornecer uma estrutura comum para a narrativa da marca, clientes serão capazes de compreendê-la instantaneamente. Elas saberão o que você quer, qual seu objetivo e o que você tentará fazer para alcançá-lo. Essa segurança é um fator que auxilia na solidificação da marca no mercado e na disputa entre concorrentes. 

Qual a importância dos arquétipos de marca?

Atualmente, é difícil pensar em uma empresa ou corporação que não se encaixe em uma narrativa arquetípica. Seja ela Google, Nike ou Apple, todas se beneficiam ao estruturar sua marca em um arquétipo. 

A verdade é que isso personifica a marca e permite que clientes criem uma conexão genuína com o produto que está sendo vendido. Logo, as pessoas consomem pois querem se tornar ou fazer parte da realidade que aquela marca ajuda a construir. 

Isso pode significar a sobrevivência de uma marca e seu estabelecimento no mercado. Afinal de contas, usar arquétipos de marca pode fazer com que clientes jamais esqueçam do seu produto e tenham sua marca como referência. 

Por que os arquétipos são tão efetivos no Marketing?

Marketing pode ser definido como um conjunto de estratégias específico para cada negócio que visa a compreensão da personalidade de um determinado público para conseguir satisfazer suas necessidades e desejos. Logo, o segredo do Marketing está em compreender como as pessoas pensam, como elas consomem e por qual razão elas consomem. 

A compreensão dos arquétipos de marca não só fornece um insight sobre como funciona a personalidade humana como também ajuda a atrair determinado público. Ao usar arquétipos para alicerçar uma marca, você se torna capaz de direcionar uma mensagem explícita e inconfundível, que conversará com o inconsciente das pessoas que compõemo público-alvo de determinada empresa. 

Logo, os arquétipos de marca servem como a fundação de campanhas e estratégias de Marketing bem-sucedidas. Se você está sob um arquétipo, você já sabe o que esperar dela em essência, e isso traz segurança e conforto. 

Quais são os 12 principais arquétipos de marca? 24 Exemplos famosos!

A teoria dos arquétipos foi formalizada pelo acadêmico austríaco Carl Jung. Com o tempo, 12 arquétipos foram se solidificando como os mais tradicionais na nossa cultura popular atualmente. Posteriormente, descobriu-se que esses 12 arquétipos que são amplamente utilizados no cinema e na literatura poderiam também serem convertidos em marcas. Vamos conhecer esses 12 arquétipos de marca famosos a seguir:

1. O HERÓI

O arquétipo mais eleito como protagonista, o herói é aquela personagem que todos amamos e queremos ser. Ela sempre fará o que é moralmente correto, não importa o que isso a custe, e demonstrará iningualável valentia e persevarança. Ao converter-se em uma marca, esse arquétipo leva consigo a ação, a valentia e a vontade de romper barreiras e desafiar limites físicos e mentais. 

  • MISSÃO: Salvar o mundo, sendo o único que pode fazê-lo.
  • MENSAGEM: “Se você realmente quiser, você pode realizar”
  • AVERSÕES: Injustiça, covardia, incompetência, incapacidade
  • EMOÇÕES: Motivação
  • NICHO: Para públicos que acreditam que sua missão é tornar o mundo um lugar melhor e que desejam deixar sua marca de algum modo.
  • MERCADO: Funciona para tudo aquilo que permite a perseverança e o esforço. Logo, produtos que conferem energia de algum modo, como pilhas, cereais e energéticos, marcas de produtos esportivos, etc.
  • ESTRATÉGIA: Motivar a seguir os sonhos e objetivos, independentemente de qual seja a dificuldade. A marca é um meio de chegar até lá, pois, assim como a pessoa consumidora, ela também é destemida e protagonista de sua própria história.
  • RISCO: Uma das grandes falhas do Herói é a arrogância. Assim, a mensagem da marca deve ser pensada para que seja ousada e corajosa, mas mantenha sua nobreza e humildade. 
  • CORES: Há bastante a ocorrência do preto e branco. No entanto, se a marca tiver uma conotação mais infantil, cores como vermelho, azul e laranja podem ser utilizadas. 
  • EXEMPLOS: 

NIKE

Anúncio da Nike arquétipo de marca Herói
Anúncio da marca Nike. “Acredite em algo. Mesmo que isso signifique arriscar tudo”. Fonte: Reprodução

A propaganda acima carrega uma frase que diz, em tradução literal “Acredite em algo. Até mesmo se isso significar sacrificar tudo” e com toda a certeza não há nada mais heróico do que isso. A personagem Herói é aquela que sempre coloca tudo a perder em prol de sua missão, que é salvar o mundo. Além disso, seu slogan é “Just do it”, ou “Simplesmente faça” encorajando as pessoas a agir e dar o seu melhor até que consigam atingir seu objetivo. 

DURACELL

Coelhinho mascote da Duracell
Fonte: Reprodução

A empresa Duracell, de pilhas e baterias, apresenta um produto completamente diferente da Nike, mas com a mesma estratégia. O fofo coelhinho rosa de seus comerciais geralmente aparece em ambientes inóspitos, desafiando seus limites em esportes radicais e perigosos, como rafting e escalar montanhas. Na maioria dos casos, o coelho que está sendo alimentado com Duracell chega muito mais longe, até mesmo carregando adversários nas costas. 

Assim como o arquétipo do Herói, o coelho é valente, forte e corajoso. No entanto, um dos segredos do sucesso da marca está justamente na justaposição entre um brinquedo infantil de cor rosa, que indica maior passividade, calma e lentidão  dialogando com a questão infantil, com o laranja e preto da marca. Isso comunica que literalmente qualquer pessoa pode ser Herói, independentemente de quem você seja. 

2. O EXPLORADOR

Outro arquétipo que funciona bem como protagonista de uma narrativa é o explorador. Esse arquétipo tem traços heróicos, mas suas motivações são completamente diferentes. Em vez de ser guiado pela moral e pela vontade de salvar o mundo, O Explorador deseja ver, conhecer, experienciar e usufruir de sua liberdade, trazendo histórias emocionantes para serem contadas em casa mais tarde. 

  • MISSÃO: Viajar o mundo, experienciar novas coisas e voltar para casa com histórias para contar.
  • MENSAGEM: “Faça seu próprio caminho e seja livre”
  • AVERSÕES: confinamento, rotina, sentimento de estar perdido
  • EMOÇÕES: Autorrealização, satisfação e autenticidade.
  • NICHO: Para públicos que acreditam que sua missão é desbravar o mundo serem pioneiros em algo. Serve para pessoas que não se conformam com a rotina e desejam viajar o mundo para conhecerem a si próprias. 
  • MERCADO: Serve para toda e qualquer marca que proporcione a possibilidade de sair da zona de conforto e explorar um mundo novo. Exemplos são carros, agências de viagens, fotografias, etc.
  • ESTRATÉGIA: Fazer com que o público consumidor se sintam impelido a desbravar sua vida e nunca se acostumar com a rotina. Fomentar o desejo pela descoberta do novo e desconhecido.
  • RISCO: O Explorador é um nicho bastante específico e se encaixa com maior dificuldade no mercado, exatamente por não conseguir dialogar com todo mundo.   
  • CORES: As cores devem lembrar explorações e ambientes inóspitos, como desertos, cavernas, montanhas. Logo, cores quentes como amarelo e laranja, e outras como bege e marrom, funcionam bem. 
  • EXEMPLOS: 

JEEP

Anúncia da Marca Jeep arquétipo de marca Explorador
Fonte: Reprodução

Os carros da marca Jeep não são carros quaisquer. Eles servem para levar você a lugarem nunca antes explorados, proporcionando uma vida única e somente eles poderiam fazer isso. É exatamente essa a mensagem que a marca comunica e é a essência do arquétipo do Explorador. 

RED BULL

Anúncio Red Bull
“Red Bull te dá aaaasas”. Fonte: Reprodução

Red Bull é uma marca mista. Ela apresenta traços tanto do Herói quanto do Explorador, o que é comum, já que esses arquétipos se sobrepõem a todo instante. Muitas personagens protagonistas são heróis e exploradoras ao mesmo tempo, como Indiana Jones. Porém, o que realmente amarra a marca a uma essência exploradora é o slogan “Red Bull te dá asas”. Para quê você teria asas? Para voar, obviamente, e ser livre! E com isso, você pode fazer o que quiser e ir para onde quiser. 

3. O CUIDADOR

Em uma pegada bastante distinta dos dois anteriores, a marca sob o arquétipo do Cuidador não se preocupa em protagonizar algo. Até porque, o altruísmo é seu maior objetivo. A existência da personagem Cuidadora serve para criar a sensação de que existe alguém que esteja lá tomando conta de você todo o tempo. 

  • MISSÃO: Cuidar, ensinar e ajudar as pessoas de uma forma em que elas se sintam protegidas. 
  • MENSAGEM: “Trate outras pessoas como gostaria que lhe tratassem”.
  • AVERSÕES: Riscos desnecessários, perigos, ingratidão, negligência, egoísmo.
  • EMOÇÕES: Segurança, proteção e carinho.
  • NICHO: Para públicos que acreditam que sua missão é cuidar do próximo e dedicam sua vida em prol de bem e da segurança de todas as pessoas.  
  • MERCADO: Serve para toda e qualquer marca que fomente o cuidado, o carinho, a atenção aos detalhes e a proteção. Isso é efetivo especialmente para ONGs ou marcas destinadas à maternidade/paternidade. Exemplos são produtos de saúde básica, produtos para crianças e bebês, ONGs, organizações políticas e sociais. 
  • ESTRATÉGIA: Ao mesmo tempo dar a sensação de que há alguém cuidando de você enquanto pessoa consumidora e desenvolver um sentimento de empatia, cuidado e carinho para com a próxima pessoa. 
  • RISCO: Para dar certo, uma marca sob o arquétipo do Cuidador deve direcionar toda a energia e o foco para as pessoas e sociedade. O produto ou marca entra como uma forma de proporcionar cuidado e carinho a quem se ama. O risco se encontra nesse ponto, afinal, se a marca deixar muito explícita a relação empresa-cliente, isso pode se perder.    
  • CORES: Geralmente são cores mais sutis e pouco agressivas. Azul claro, vermelho e branco funcionam. 
  • EXEMPLOS: 

DOVE

Logomarca Dove arquétipo de marca O Cuidador
Fonte: Reprodução

A Dove é uma marca de produtos de saúde pessoal e bem estar. A escolha da marca pelo nome logo simbolizando a pomba funciona bem dentro do contexto do Cuidador, pois remete diretamente à paz. Em todas as propagandas, assim como em seus produtos, os designs são feitos para simular a suavidade do toque, o que implica carinho e cuidado. Há ainda uma contribuição muito forte para a Inocência da marca, o que indica uma conexão com o arquétipo do Inocente, que será representado a seguir. 

JOHNSON & JOHNSON

Cena de um anúncio antigo de xampus para bebês Johnson & Johnson
Fonte: Reprodução

A Johnson & Johnson, apesar de ser uma empresa com uma ampla variedade de produtos de cuidado pessoal e trabalhar em outras áreas não diretamente relacionadas (como a da confecção da vacina para COVID-19, por exemplo), sempre investe muito na relação de cuidado entre pai/mãe e crianças. Essa relação em concordância com aimagem de que o produto não causa ardência nos olhos, demonstra o pensamento cuidadoso e a atenção aos detalhes para proporcionar o maior conforto cuidado possível. 

4. O INOCENTE

Se fosse para um processo de criação de Storytelling, você encontraria o Inocente majoritariamente como uma pessoa órfã ou uma criança que ainda não foi corrompida pelas dificuldades do mundo. Seu desejo é simples e tão inocente quanto: ser feliz e herdar o paraíso. Tem uma relação direta com o arquétipo do Cuidador, uma vez que é uma contraparte desse relacionamento. 

  • MISSÃO: Fazer sempre a coisa certa e ser uma pessoa boa.
  • MENSAGEM: “Tente ver sempre a vida pelos olhos de uma criança” e “O paraíso é um lugar na Terra”.
  • AVERSÕES: O mal, punições.
  • EMOÇÕES: Amor e felicidade para todas pessoas.
  • NICHO: Pela proximidade com a infância, é uma ótima marca para crianças e pessoas que acreditam que deveria existir mais positividade no mundo.  
  • MERCADO: Serve para marcas que têm um anseio em tornar o mundo um lugar mais bonito e melhor. É ótimo para lojas de brinquedos, produtos infantis e aquelas que enxergam que seu produto é voltado para um público mais familiar. Escolas também se beneficiam desse arquétipo.
  • ESTRATÉGIA: Mostrar como o mundo pode ser um lugar melhor por meio de positividade, alegria e união de familiares e pessoas amigas. É importante apostar nos valores, na moral e utilizar um tom um pouco mais nostálgico.
  • RISCO: Se não empregadas corretamente, marcas podem ser tediosas.
  • CORES: Cores associadas à infância. Vermelho e Branco são bastante utilizadas.
  • EXEMPLOS: 

NINTENDO

Família em anúncio da Nintendo Arquétipo de Marca O Inocente
Anúncio do console Nintendo Switch, voltado a uma diversão mais familiar. Fonte: Reprodução

Se você é uma pessoa que curte o mundo gamer, você já deve ter notado como a Nintendo vai na contramão de outras empresas como Sony e Microsoft, suas maiores concorrentes. Diversas vezes, ela já foi apontada como “muito infantil” por pessoas jogadoras. Certamente, isso não está totalmente errado, pois essa vem sendo sua estratégia desde sempre. O diferencial da Nintendo não é o equipamento potente e os melhores gráficos, é a família, as pessoas amigas e como ela consegue aproximá-las em um ambiente seguro e feliz, asim como propõe o arquétipo do Inocente. 

COCA-COLA

Anúncio Coca-cola
Fonte: Reprodução

Já percebeu como a Coca-cola sempre figura em seus comerciais uma mesa rodeada por pessoas felizes em uma ocasião especial? Ou no Natal ela apresenta o tradicional urso polar que conquistou gerações? Esses são elementos que apresentam a magia da infância, trazem segurança e fazem as pessoas acreditarem que é possível criar um mundo melhor. 

5. O AMANTE

O arquétipo do Amante é sobre intimidade, amor e desejo. Esse amor não necessariamente precisa estar relacionada a uma mensagem mais íntima ou romântica, pode ser associado também ao amor familiar. 

  • MISSÃO: Amar e ser amado, criar conexão
  • MENSAGEM: “O amor move o mundo”
  • AVERSÕES: Rejeição e solidão. 
  • EMOÇÕES: Amor, desejo, paixão, conexão, intimidade.
  • NICHO: É possível seguir por diversas áreas aqui. A mais nítida é a relação com o desejo e a intimidade. Logo, pessoas que desejam amar e ser amadas e anseiam por criar conexões e intimidade. 
  • MERCADO: Excelente para perfumes, marcas de roupa e outras áreas relacionadas à moda. 
  • ESTRATÉGIA: Criar uma relação de intimidade com a pessoa consumidora, indicando que o produto a auxiliará a alcançar seus desejos e criar laços mais profundos com outras pessoas. 
  • RISCO: Se não for bem trabalhado, pode ser confuso.
  • CORES: Vermelho, Rosa, Roxo, Lilás, e outras do espectro.
  • EXEMPLOS: 

YVES SAINT LAURENT

Banner de anúncio de Perfume Yves Saint Laurent arquétipo de marca O Amante
Fonte: Reprodução

Comerciais de perfume são excelentes para a representação do arquétipo do Amante. O perfume é um produto que pressupõe intimidade, uma vez que é um dos elementos sentidos quando alguém se torna mais íntimo de outra pessoa. Criar uma relação com Paris, a cidade que é a representação do amor arquetípico, ajuda na construção da marca. 

HÄAGEN-DAZS

Anúncio da Häagen-dazs
Ator Bradley Cooper, famoso galã de Hollywood, em campanha para Häagen-dazs. Fonte: Reprodução

Curiosamente, a Häagen-dazs conseguiu atribuir um produto que não é muito sensual, o sorvete, ao arquétipo do Amante. Um dos slogans lançados recentemente é “A luxúria está onde você está”, indicando que o amor e a intimidade podem vir de lugares inesperados. Isso demonstra que é possível usar a criatividade e usar diferentes arquétipos de marca para diferentes produtos. 

6. A PESSOA COMUM

O arquétipo da Pessoa Comum está muito feliz sendo somente mais uma na multidão. Diferentemente de outros arquétipos, ela representa pessoas que não tem traços diferenciais e extremos. Representam a rotina, o dia a dia e a realidade. 

  • MISSÃO: Formar o coletivo e sentir-se parte
  • MENSAGEM: “Juntos somos mais fortes e podemos construir um lugar melhor e mais justo para se viver”
  • AVERSÕES: Exclusão, isolamento e chamar atenção para si.
  • EMOÇÕES: Conexão e pertencimento.
  • NICHO: Todo mundo, uma vez que é destinado à vida normal e corriqueira.
  • MERCADO: Serve perfeitamente para produtos que são utilizados no dia a dia, como ferramentas, móveis, roupas para trabalhar e usar casualmente. É especialmente indicado caso você não tenha um único nicho ou foco de atuação (como uma loja de departamentos, por exemplo)
  • ESTRATÉGIA: Promover um sentimento de pertencimento a uma comunidade. Logo, demonstrar casualidade. 
  • RISCO: Ser esquecido.
  • CORES: Fortes e vibrantes. 
  • EXEMPLOS: 

AMERICANAS

Logo Americanas arquétipos de marca Pessoa Comum
Fonte: Reprodução

Se você está em um shopping e precisa de qualquer coisa, onde ir? Americanas! A americanas é conhecida por a empresa que oferece de tudo para todo mundo. A estratégia do nome também é interessante, utilizada por outras marcas, como “Pernambucanas” e “Havaianas”, por exemplo. Eles fazem referência a um grupo de pessoas, uma comunidade, mas sem definí-las por completo. Isso cria essa sensação do arquétipo da Pessoa Comum.

HAVAIANAS

Havaianas. Atriz Isis Valverde com produtos na mão
Atriz Isis Valverde em comercial para Havaianas. Fonte: Reprodução

Havaianas é um caso interessante e muito explícito do arquétipo da Pessoa Comum. O chinelo é um produto estigmatizado e normalmente associado a uma classe social baixa. Dando a volta por cima, baseando-se no arquétipo e com o slogan “todo mundo usa”, ela conseguiu converter seu produto em um verdadeiro símbolo nacional. Isso foi possível com diversos comerciais usando pessoas famosas no ato corriqueiro e comum de ir para a loja e comprar chinelos. Isso criou um pertencimento à comunidade. Se você viaja para o exterior e vê uma pessoa usando uma havaianas, automaticamente, você sabe que ela é brasileira.

7. O REBELDE

Fora da lei, busca revolução e tem suas próprias formas de fazer justiça. Esse é o arquétipo do Rebelde, que busca quebrar paradigmas e regras em prol de fazer algo completamente único. 

  • MISSÃO: Quebrar regras e desafiar as autoridades, fazer justiça por conta própria. 
  • MENSAGEM: “Nascido para ser selvagem” e “Regras foram feitas para serem quebradas”
  • AVERSÕES: Conformidade, regras.
  • EMOÇÕES: Revolução e Independência
  • NICHO: Pessoas que se consideram pensadoras livres e fora da influência do senso comum. Público não conformado e com anseio por justiça social e independência. 
  • MERCADO: Produtos voltados ao público adolescente, jovem ou automobilístico.
  • ESTRATÉGIA: Promover um sentimento de justiça e de estar quebrando com o status quo da sociedade. Demonstrar que não segue a mesma estrutura tradicional, revolucionando em algum aspecto.  
  • RISCO: Ser recebido e intepretado como agressivo no mercado.
  • CORES: Fortes e mais escuras, como laranja, marrom, preto, amarelo, etc.
  • EXEMPLOS: 

HARLEY-DAVIDSON

Anúncio Harley Davidson arquétipos de marca Rebelde
Anúncio Harley Davidson. “Não ser [como todo mundo]. Que se dane, pé na estrada”. Fonte: Reprodução

Motos tem uma relação bem próxima com pessoas que se sentem contempladas pelo arquétipo do Rebelde. Com isso, a Harley-Davidson conseguiu traduzir perfeitamente isso em sua marca. Na imagem acima, por exemplo, o uso de uma linguagem mais agressiva e informal (“Screw it” que equivale a “que se dane!”) e o texto maior que pode ser interpretado como “não quero ser” em conjunção com “wannabe”, que é uma pessoa ambiciosa no sentido negativo, que vive de aparências. 

CHEETOS

Chester Cheetos, mascote da Cheetos
Fonte: Reprodução

Cheetos é uma marca de salgadinho voltado ao público adolescente e tem como mascote Chester Cheetos, uma Chita descolada e radical que traduz todo esse sentimento de rebeldia da fase adolescente. É uma forma mais suave de construir o arquétipo do Rebelde em uma marca. 

8. O CRIADOR

O Criador é, como seu nome diz, uma personagem que deseja criar algo valioso. Seus principais traços são a criatividade e a imaginação. Permite um pouco de excentricidade. 

  • MISSÃO: Criar algo significativo.
  • MENSAGEM: “Pense fora da caixa”
  • AVERSÕES: estagnação, bloqueio criativo, falta de originalidade.
  • EMOÇÕES: Criatividade e autenticidade
  • NICHO: Pessoas que se consideram criativas, originais e inovadoras. 
  • MERCADO: Por mexer muito com a imaginação, é excelente para brinquedos ou produtos tecnológicos disruptivos. 
  • ESTRATÉGIA: Fomentar autilização da criatividade, motivar as pessoas a serem elas mesmas e a resolverem problemas de maneiras inovadoras. 
  • RISCO: Ser visto como idealista ou fora da realidade. 
  • CORES: Depende do público. Se for mais tecnológico, cores neutras, como branco e preto. Se for voltado à imaginação do público infantil, todas as cores. 
  • EXEMPLOS: 

APPLE

Logo da Apple arquétipos de marca O Criador
Fonte: Reprodução

Até os dias de hoje, Steve Jobs é considerado por muitas pessoas como um gênio visionário. Seus produtos e sua marca ainda constituem o que há de mais inovador e disruptivo no mercado de aparelhos eletrônicos e dispositivos móveis. 

LEGO

Anúncio antigo da LEgo
Anúncio antigo da Lego: “(…) Já havia visto algo assim? Não o que ela fez somente, mas o quão orgulhosa ela ficou de tê-lo feito. É um olhar que você verá sempre que algo ela mesma (…)” Fonte: Pinterest.

Lego é uma das marcas que mais proporcionou esse sentimento de criador para crianças e até mesmo pessoas adultas. Com suas peças montávies, qualquer coisa é possível de ser montada e imaginada. Essa essência de transferir o poder de criação é uma das essências das marcas pautadas no Criador. 

9. O Sábio

Nos filmes, o sábio é aquele personagem confiável que sempre ajudará a personagem protagonista com palavras de sabedoria, muitas vezes proféticas. O arquétipo do Sábio parece conhecer todos os segredos do universo.  

  • MISSÃO: Encontrar e propagar a verdade 
  • MENSAGEM: “A verdade vos libertará”
  • AVERSÕES: ignorância, mentiras, desinformação
  • EMOÇÕES: Inteligência e reflexão
  • NICHO: Pessoas que acreditam que a verdade e a informação são essenciais.  
  • MERCADO: Geralmente, o produto envolve informação. Logo, mecanismos de busca, jornais, canais de televisão, etc. 
  • ESTRATÉGIA: Proporcionar conteúdo confiável, pertinente e valioso. 
  • RISCO: Ser visto como parcial. 
  • CORES: Vermelho, preto, branco.
  • EXEMPLOS: 

TED TALKS

Palco do TED Talks arquétipo de marca Sábio
Fonte: Reprodução

As famosas palestras no TED Talks são vistas como únicas, informativas e confiáveis. Elas trazem pessoas especialistas em diversos assuntos que conhecem muito sobre uma determinada área para que possam ensinar algo novo. 

GOOGLE

Google logo
Fonte: Reprodução

Se o arquétipo do Sábio pudesse se personificar atualmente, provavelmente ele se tornaria o Google. Qualquer pessoa que tem uma dúvida só precisa acessar a plataforma para encontrar as respostas que busca. 

10. O Mago

O arquétipo do Mago é sobre transformação. Ele nos encanta com suas ilusões e magias, moldando uma nova e excitante realidade. 

  • MISSÃO: Fazer sonhos se tornarem realidade 
  • MENSAGEM: “O impossível é possível”
  • AVERSÕES: ignorância, dúvidas, tédio, estagnação
  • EMOÇÕES: Animação e espiritualidade
  • NICHO: Pessoas que acreditam que podem realizar seus maiores sonhos se sonharem o bastante e acreditam que de certa forma há magia escondida pelo mundo.  
  • MERCADO: O produto tem de ser único e proporcionar entretenimento. Esse arquétipo é ideal para marcas da indústria cinematográfica. Marcas de maquiagem conseguem se aproveitar desse arquétipo também. 
  • ESTRATÉGIA: Ajudar pessoas a encontrar um pouco de “magia” ao proporcionar experiências transformadoras. Inspirar mudança. Contar histórias.  
  • RISCO: Pode não ser levado a sério, a depender do produto ou ideia. 
  • CORES: Roxo, rosa, branco, azul. 
  • EXEMPLOS: 

ABSOLUT

Absolut Vodka arquétipos de marca O Mago
Fonte: Reprodução

A marca Absolut Vodka conseguiu transformar seu produto em algo único, adicionando a questão de que ela pode ser misturada com diversas coisas para criar sabores únicos e ininguláveis como se fosse mágica! É um ponto de vista interessante e uma forma excepcional de usar o arquétipo do Mago. 

DISNEY

Castelo da Disney
Fonte: Reprodução

A Disney é a marca que mais incorpora o arquétipo do Mago. Ela verdadeiramente conseguiu criar uma experiência que se assemelha à magia, tudo envolvendo sua marca. Tanto que, um dos episódios mais memoráveis da personagem Mickey Mouse é a sua aparição em “O Aprendiz de Feiticeiro”, no filme Fantasia, em que ele tenta se tornar um mago e as coisas não saem bem como a planejado. 

11. O SOBERANO

O Soberano é o arquétipo cujo dever é criar a ordem em meio ao caos. Ele pode ser tanto uma personagem amada e repeitada quanto uma antagonista detestada e tirânica. Seja como for, seu maior objetivo é manter o controle. Como um dos arquétipos de marca, representa quem já está consolidado no mercado.

  • MISSÃO: Manter o poder, controlar, ordenar. 
  • MENSAGEM: “Os fins justificam os meios”
  • AVERSÕES: Perder o poder, revoluções, rebeldes.
  • EMOÇÕES: Poder, status, sucesso, lealdade
  • NICHO: Pessoas que acreditam que falta ordem no mundo e que precisa existir maior segurança e proteção.  
  • MERCADO: Para as marcas soberanas, o seu produto é exclusivo e é lider no mercado. Sendo assim, qualquer produto que seja inovador e proporcione um novo modelo pode se encaixar nessa categoria.
  • ESTRATÉGIA: Proporcionar serviços e produtos que ajudam a manter a ordem, criar um sentimento de ordem e estabilidade.  
  • RISCO: Pode ser visto como autoritário. 
  • CORES: Branco, preto, cores mais neutras. 
  • EXEMPLOS: 

MICROSOFT

Microsoft anúncio arquétipos de marca Soberno
Anúncio agressivo da Microsoft em que ela compara o MacBook ao seu novo produto Surface Pro. Fonte: Reprodução

A Microsoft é uma das maiores soberanas do mercado. Como ela está presente desde a década de 80 no mercado, seu produto foi visto como exclusivo durante muito tempo para diversos nichos consumidores. Um exemplo é que dificilmente um computador vendido atualmente não virá com o sistema operacional Windows instalado direto de fábrica, com exceção dos dispositivos fabricados pela concorrente Apple. 

HUGO BOSS

Hugo Boos anúncio
Fonte: Reprodução

Hugo Boss é uma marca de moda que, como o nome diz com “Boss”, se coloca como “chefe” no mercado. Seus anúncios são sempre muito elegantes e refinados, para indicar essa soberania. Essa é uma estratégia interessante para dizer que é melhor e mais exclusivo que as concorrentes. 

12. O LOUCO

O Louco é um dos arquétipos mais imprevisíveis de todos, pois ele não segue as leis morais tradicionais e você nunca sabe o que esperar dele. Geralmente, as personagens sob o arquétipo do Louco se apresentam como bobos da corte ou humoristas. Podem ser personagens um pouco trapaceiras e aparentam não dar muita importância a coisas que outras personagens acreditam ser relevante. 

  • MISSÃO: Fazer as pessoas rirem
  • MENSAGEM: “Se você não estiver se divertindo, tem algo de errado”
  • AVERSÕES: Tédio, negatividade, tristeza, não entreter. 
  • EMOÇÕES: Positividade e leveza
  • NICHO: Pessoas que acreditam que o mundo não precisa ser levado tão a sério o tempo todo.  
  • MERCADO: Não existe um nicho direcionado para o Louco. Qualquer área pode construir uma visão assim de si mesma. 
  • ESTRATÉGIA: Fazer as pessoas se sentirem confortáveis e divertirem-se com o que elas fazem. Fomentar a espontaneidade. 
  • RISCO: Pode ser visto como desrespeitoso. 
  • CORES: Variadas
  • EXEMPLOS: 

BEN & JERRY’S

Anúncio Ben & Jerry's arquétipos de marca Louco
Fonte: Reprodução

Outra marca de sorvete, dessa vez com uma estratégia completamente diferente. A sorveteria Ben & Jerry’s utiliza as vacas que proporcionam um dos ingredientes principais do sorvete como forma de divulgação. Suas propagandas são sempre coloridas e misturam diferentes tipos de elementos para criar humor. 

OLD SPICE

Comercial Old Spice
Ator Terry Crews para comercial da Old Spice. Fonte: Reprodução

A marca de desodorantes masculinos Old Spice ganhou fama na internet ao produzir os comerciais mais malucos e improváveis que você possa imaginar. Diversos deles contém cenas absurdas e sem sentido nenhum, mas que certamente arrancam risadas de quem os assiste. 

Como identificar o arquétipo por trás de uma marca?

É bastante fácil identificar arquétipos a partir de marcas já consolidadas no mercado. Mas e em relação à marcas pequenas que ainda não sabem ao certo sua personalidade, como identificar qual os arquétipos de marcas delas?

Analise os elementos que ela tem

Marcas normalmente têm elementos como um slogan, identidade visual, uma logo e uma mensagem a ser transmitida. Elas serão as maiores pistas para que você identifique a qual arquétipo elas mais se assemelham. Lembre-se de comparar a mensagem com aquelas que foram disponibilizadas acima!

Tente determinar seu público-alvo

Uma marca age para determinado nicho na sociedade. Esse nicho também pode fornecer pistas sobre qual arquétipo ela mais se aproxima. Há alguns nichos que são quase sempre frequentes. Por exemplo: muito provavelmente uma escola infantil ou uma marca de brinquedos educativos estará projetando o arquétipo do Criador. 

Não se prenda em um arquétipo só

Marcas podem apresentar características de mais arquétipos de marca, assim como uma pesonagem de um filme ou livro também pode. Assim, não precisa se limitar a somente uma opção ao realizar sua análise. 

Como criar uma marca baseada em um arquétipo? 3 Passos!

PASSO 1: Conhecendo o público-alvo

Antes de qualquer coisa, você precisa conhecer quem são as pessoas que fazem parte do seu público consumidor. Você pode fazer isso criando pesquisas especializadas ou fazendo perguntas diretamente em uma entrevista informal. 

O ponto é descobrir os motivos pelos quais essas pessoas decidem comprar seu produto, o que elas sentem em relação à marca e quais são os elementos mais importantes para que elas se sintam seguras.

PASSO 2: Responda perguntas sobre sua marca

Se sua marca fosse uma pessoa, como você acha que ela responderia as perguntas a seguir?

  • Quais são os valores que são mais importantes para você?
  • Quais marcas você se espelha?
  • Quais marcas são suas rivais?
  • Qual você acha que é seu tom de voz ao falar com clientes?
  • Como essas pessoas lhe respondem?
  • Que emoções você gostaria de fazer com que clientes sentissem?
  • Quais são os principais adjetivos que descrevem você?

PASSO 3: Selecione um arquétipo (ou mais!)

Uma vez que você tiver os resultados das clientes e respostas bem definidas das perguntas acima sobre sua marca, você pode refletir sobre quais arquétipos de marca fazem mais sentido. Depois, estude mais sobre tal arquétipo e veja como você pode fazer para criar uma representação única, inovadora e inesquecível dele

Você pode usar mais arquétipos de marca para construí-la, somente cuidado para não misturar dois que são contraditórios e acabar criando uma narrativa pouco verossímil para sua marca.

Arquétipos de marca são formas de conseguir contar uma história, transmitir uma mensagem e cativar pessoas consumidoras com o poder dos arquétipos. Grandes marcas atualmente possuem explicitamente uma construção arquetípica em torno de si, o que indica que essa estratégia é assertiva. 

Conheça agora um pouco sobre arquétipos animais, que ajudam a consolidar arquétipos de marca!

Você também pode gostar