Considerado como um grande marco para a Inteligência Artificial, o GPT-3 tem chamado a atenção desde o seu lançamento, em meados de 2020, pela capacidade de produzir textos ricos e diversificados. De fato, muitos conteúdos criados pela IA são tão bem desenvolvidos que poderiam ter sido escritos por pessoas reais, o que gera ainda mais curiosidade e empolgação em torno da tecnologia! 

Para satisfazer um pouco dessa curiosidade, preparamos este artigo para responder algumas dúvidas que cercam o sistema, por exemplo:

Fique com a gente e aproveite a leitura!

O que é GPT-3?

O GPT-3 (Generative Pre-Training Transformer 3) é o modelo de linguagem natural mais avançado da atualidade. Essa ferramenta de Inteligência Artificial é baseada em Machine Learning (em português, Aprendizado de Máquina) e foi desenvolvida pela organização OpenAI para ser a substituta do famoso GPT2.

Graças ao seu gigantesco arsenal de parâmetros — a ferramenta conta com 175 bilhões, enquanto a GPT2 tinha 1,5 bilhão — o GPT-3 é capaz de escrever os mais variados tipos de texto. De maneira geral, seu funcionamento consiste em prever o que alguém vai escrever e retornar uma sugestão para completar o trecho.

No entanto, quando bem preparado por uma pessoa, os casos de uso do GPT-3 se tornam ainda mais diversificados. A ferramenta pode ser aplicada, por exemplo, para escrever poesias, prototipar layouts, elaborar conteúdos jornalísticos, criar código funcional, entre outras funções.

Como funciona o GPT-3?

O GPT-3 funciona por meio de algoritmos de Machine Learning que foram alimentados com milhares de textos disponíveis na internet. Essa é a explicação mais resumida, mas vale a pena nos aprofundarmos mais para melhorar a compreensão sobre esse modelo.

Assim como toda Inteligência Artificial, o GPT-3 precisou passar por um processo de aprendizado. Isso significa que a equipe de desenvolvimento inseriu uma série de informações para “ensinar” ao algoritmo como ele deve se comportar diante de cada entrada.

É a partir disso que o aprendizado de máquina começa a acontecer, pois o sistema aprende com os dados que lhe foram passados e consegue criar textos completos para diferentes contextos. Na prática, o que acontece é o seguinte: o programa recebe um texto como entrada e, com base em todas as informações que processadas anteriormente, ele calcula qual é a resposta mais plausível para o contexto que foi apresentado.

No entanto, isso não significa que o GPT-3 entende o significado dos textos que escreve. É importante lembrar que se trata de um sistema baseado em NLP (processamento de linguagem natural) “treinado” para aprender, reconhecer e reproduzir padrões linguísticos. Ou seja, apesar da sua incrível capacidade, o GPT-3 não é capaz de raciocinar de forma abstrata como uma pessoa.

Quais as utilidades do GPT-3?

Como foi dito, o GPT-3 é um modelo de linguagem natural super avançado, podendo ser aplicado para a realização de variados tipos de tarefas. Veja a seguir algumas funções que a IA é capaz de cumprir!

Recursos linguísticos

A riqueza de recursos linguísticos do GPT-3 é uma das características mais impressionantes desse sistema. Assim como nós, a IA consegue produzir textos empregando variados elementos gramaticais, o que torna seus conteúdos mais atraentes, fluidos e de fácil entendimento.

Obviamente, isso se deve ao fato da ferramenta possuir uma base de dados de 175 bilhões de parâmetros. No entanto, uma vez que a maior parte dos conteúdos disponíveis na internet foram escritos em inglês, o GPT-3 deixa a desejar em relação aos recursos linguísticos de outros idiomas, como o português. 

Aplicações práticas

Na prática, o GPT-3 pode ser usado em diferentes aplicações e já há vários casos em que a ferramenta foi aplicada justamente para testar seu potencial. Um exemplo de tarefa que o programa é capaz de cumprir é reescrever textos que foram escritos com um tom bruto para torná-los mais amigáveis. 

Outro caso é a criação de layouts personalizados: basta descrever o tipo de layout desejado para o programa retornar o código. Há ainda a possibilidade da aplicação do GPT-3 com chatbots — afinal, com a capacidade de predição do modelo, é provável que sua aplicação facilite a criação assistentes virtuais que simulam melhor a interação humana!

Quais os pontos positivos e negativos do GPT-3?

Agora que as utilidades do GPT-3 foram apresentadas, vamos mostrar quais são as maiores vantagens que a ferramenta apresenta, além dos pontos negativos que geram preocupação sobre a IA.

Repertório abrangente e versatilidade

Por ter sido alimentado com milhares de conteúdos da internet, o repertório do GPT-3 é espantosamente diversificado, permitindo que ele seja aplicado em produções textuais de diversas áreas do conhecimento.

Essa versatilidade não se refere apenas aos campos do saber em que a ferramenta pode ser usada, mas também aos gêneros textuais que ela é capaz de absorver e dominar. Dessa forma, a IA pode ser treinada para escrever poemas, compor músicas, elaborar conteúdos ficcionais, entre outros.

Baixa necessidade de ajuste fino

Visto que o GPT-3 foi treinado com o maior conjunto de dados do que qualquer outro modelo de linguagem anterior, o programa consegue executar tarefas específicas sem precisar passar por uma etapa mais rigorosa de ajuste fino

Isso significa que, com apenas alguns exemplos de parâmetros, a ferramenta pode ser usada para realizar tarefas de tradução, programação ou até para “imitar” o estilo de escrita de pessoas famosas, como Machado de Assis.

Erros cometidos pela tecnologia

Um dos pontos negativos do GPT-3 são os erros que a tecnologia pode cometer em determinados contextos. Como falamos, apesar da sua grande capacidade de gerar textos dos mais variados estilos linguísticos, o sistema não é capaz de raciocinar como uma pessoa, o que pode levá-lo a ter dificuldades para distinguir situações para as quais não foi devidamente preparado.

Na internet é possível encontrar exemplos em que o GPT-3 gerou respostas sem sentido para questões simples, como:

  • Pergunta: Quantos olhos tem uma girafa?
  • GPT-3: Uma girafa tem dois olhos.
  • Pergunta: Quantos olhos meu pé tem?
  • GPT-3: Seu pé tem dois olhos.

Analisando esse pequeno trecho, é possível perceber que o programa não entende realmente o que escreve, apenas se baseia em um padrão linguístico para gerar a resposta que seja estatisticamente mais plausível para o contexto.

Fora isso, o GPT-3 também pode perder a coerência ao formular trechos muito longos de texto. Isso ocorre porque o modelo gera suas saídas palavra por palavra, analisando o contexto ao redor de cada uma, o que pode levá-lo a gerar contradições e sentenças não sequenciais.

Preocupações sociais e éticas

Devido aos variados tipos de conteúdos disponíveis na internet, o GPT-3 pode ser exposto a materiais com discursos de ódio, como racismo, machismo, preconceitos religiosos e xenofobia. O problema disso é que o sistema não possui a capacidade racional para distinguir o que é aceitável na sociedade.

Assim, gera-se uma discussão ética e social sobre o impacto que a implantação do GPT-3 pode ter na replicação de narrativas de ódio no ambiente virtual.

Receio com a inovação tecnológica

É bem comum que o surgimento de alguma inovação tecnológica seja acompanhado de receios sobre como nosso futuro será impacto — e com o GPT-3 não é diferente. Por exemplo, há pessoas que podem se sentir inseguras em utilizar a ferramenta por não confiarem plenamente em tecnologias de Inteligência Artificial. Outro medo bastante comum é se existe a possibilidade do programa substituir o trabalho humano e roubar vagas no mercado. Mas esse é um assunto que trataremos no próximo tópico!

A Inteligência Artificial vai substituir as pessoas profissionais no futuro?

É difícil imaginar um cenário em que ferramentas de Inteligência Artificial substituam completamente o trabalho de pessoas reais. Afinal, falta a esse tipo de tecnologia a flexibilidade do raciocínio humano. É mais provável que, no futuro, esses sistemas evoluam e sejam acessíveis o suficiente para modificar algumas profissões. Jornalistas e pessoas programadoras poderiam usá-los como um apoio para aumentar a produtividade, por exemplo.

Isso porque, mesmo os modelos mais avançados da área, como o GPT-3, ainda cometem falhas que dificilmente uma pessoa cometeria. Se fosse usado para criar conteúdos de áreas sensíveis, como a medicina, os textos certamente precisariam passar pela revisão apurada que somente profissionais de boa qualificação conseguiriam fazer.

Outro fator que pode impedir que essa substituição aconteça é a capacidade humana de auto reflexão. Nós conseguimos refletir sobre o mundo que nos cerca, criando novos conceitos, novas pautas, novas formas de pensar e agir. Por outro lado, um sistema de Inteligência Artificial é sempre alimentado por parâmetros antigos já existentes e ainda não tem a capacidade de mudar ou criar algo novo a partir do conteúdo que absorveu.

O GPT-3 é um importante avanço para a área da tecnologia, especialmente para o campo da Inteligência Artificial. Certamente, a ferramenta traz um novo paradigma para a computação e apresenta diversas possibilidades de aplicação, podendo alterar significativamente a forma como tarefas ligadas à escrita são realizadas atualmente.

Se a gente conseguiu responder as suas dúvidas sobre o GPT-3, aproveite a visita ao nosso blog e entenda o que são e como funcionam as redes neurais!

24 Shares:
Você também pode gostar