A linguagem Python é conhecida por sua versatilidade e é bastante utilizada em áreas como Ciência de Dados — o que desperta o interesse de muitas pessoas programadoras. Se esse é o seu caso, vale a pena conhecer o Google Colab.

Ele é uma boa opção para quem busca uma ferramenta gratuita para escrever e executar códigos em Python sem complicações. Por isso, preparamos este artigo para que você conheça as vantagens que ele tem a oferecer e como aproveitá-las nos seus estudos de programação. Nele você vai ver:

Boa leitura!

O que é o Google Colab?

O Google Colaboratory — também conhecido como Google Colab — é uma ferramenta em nuvem que permite criar e executar códigos na linguagem Python. Com ele, você pode rodar os programas diretamente do seu navegador, de forma simples e rápida.

Essa ferramenta oferece um ambiente bastante semelhante ao do software de código aberto Jupyter Notebook, com a praticidade de não necessitar configurações — já que funciona inteiramente online. Por isso, os códigos criados em ambos são chamados de notebooks, e são estruturados como um conjunto de células.

As células de um notebook podem conter texto explicativo ou código executável, e é possível rodar o código de uma célula separadamente ou todas as células de uma só vez. O resultado gerado pela execução é apresentado logo abaixo da célula correspondente, o que torna o estudo ainda mais objetivo.

Quais as vantagens de usar o Google Colab? Vale a pena?

O Colaboratory é um serviço bastante útil tanto para estudantes quanto para pessoas pesquisadoras, já que traz diversas funcionalidades e vantagens. Veja a seguir algumas das principais.

Não necessita configurações

Apesar de ser possível testá-lo online, para usar um software como o Jupyter Notebook é necessário fazer o download da aplicação e instalá-la em sua máquina para aproveitar seus recursos da melhor forma. Além disso, você pode ter que fazer configurações complicadas até conseguir deixar o software da maneira que precisa.

Com o Google Colab não existe esse problema, pois não é preciso instalar o Python e nenhum outro software em sua máquina. Ele já é pré-configurado e você pode começar a usá-lo de forma instantânea, o que ajuda a poupar tempo e evita erros.

Já conta com bibliotecas pré-instaladas

Um dos grandes diferenciais do Python é a sua enorme variedade de bibliotecas que são úteis para diversos tipos de aplicações. No Google Colab, várias delas já vem pré-instaladas, o que torna fácil importá-las e aproveitar seus recursos.

Bibliotecas como Numpy, Pandas, Matplotlib e TensorFlow estão disponíveis, o que já é suficiente para muitas pessoas programadoras. Porém, você não está limitado a isso, já que é possível instalar outras bibliotecas que não estejam disponíveis por padrão.

Facilita o compartilhamento de código

Para as pessoas programadoras, o trabalho em equipe e o compartilhamento de conhecimentos é algo importante. Com o Google Colab, disponibilizar o seu código para outras pessoas visualizarem ou editarem é algo bem simples.

Ele permite que você baixe notebooks públicos e privados diretamente do GitHub para usá-los na sua conta, ou enviar os notebooks que você criou para o GitHub. Como os notebooks também são salvos na nuvem do Google, você pode compartilhá-los diretamente do seu Drive.

É útil em várias áreas

Esse serviço facilitou a vida de quem tem interesse em estudar a linguagem Python e se aprofundar em temas como:

Na própria plataforma é possível conferir alguns exemplos de como ele pode ser utilizado para iniciar o estudo nessas áreas — que são valorizadas no mercado e podem ser interessantes para as pessoas programadoras.

Permite utilizar recursos computacionais gratuitamente

Uma das maiores vantagens do Google Colab é a possibilidade de usar o hardware de qualidade disponibilizado pelos servidores da Google. O serviço permite inclusive habilitar a opção de utilizar Unidades de Processamento Gráfico (GPUs) na hora de executar os códigos. Isso é útil para quem deseja usar a famosa biblioteca de aprendizado de máquina TensorFlow, por exemplo.

O uso das GPUs e demais recursos computacionais é gratuito, porém caso a pessoa programadora deseje ainda mais vantagens pode optar pela versão Pro do serviço. Ela permite executar seus códigos de forma mais rápida com prioridade para uso das GPUs de melhor desempenho e com mais memória RAM para armazenar dados.

Como usar o Google Colab? Passos iniciais!

Você já decidiu por começar a usar o Google Colab? A ferramenta é bastante intuitiva, mas cumprir os passos a seguir vai ajudá-lo a fazer isso de maneira ainda mais descomplicada.

Fazer o cadastro inicial

Para conseguir criar o seu primeiro notebook no Colaboratory é preciso ter uma conta do Google. Com ela, você tem acesso ao Google Colab e ao Google Drive — que permite salvar seus códigos na nuvem — e vários outros recursos oferecidos pela empresa. Caso você ainda não tenha uma conta, basta seguir os passos neste link.

Criação do primeiro código

Para iniciar, basta seguir para a página principal do Colaboratory e clicar na opção de criar um novo notebook. O arquivo já é criado com uma célula para escrever código, mas você pode acrescentar quantas quiser acionando os botões de inserir código ou texto.

Se você tem conhecimento em inglês, uma boa forma de entender o Google Colab é acompanhar o guia oferecido no site do produto. Ele apresenta uma visão geral de suas funcionalidades básicas e como utilizá-las. Além disso, na página de introdução do Colaboratory é possível encontrar vários links com exemplos interessantes para começar a estudar.

Salvar o seu código

Como o Google Colab tem integração com o Google Drive, seu código já é salvo automaticamente na plataforma. Caso queira acessar a pasta onde seu notebook está salvo, basta acessar o item “Arquivo” do menu principal da ferramenta e clicar em “Localizar no Drive”.

No item “Arquivo” do menu, você encontra também a opção de fazer o download do código em formato .py ou .ipynb para salvar na sua máquina. Além disso, você pode salvar uma cópia do arquivo no GitHub ou no própr

0 Shares:
Você também pode gostar