Antes de explicar o que é backlog, vamos falar um pouquinho sobre o início do desenvolvimento de uma aplicação. Você já deve imaginar que um software não é criado do nada, certo? Afinal, antes de iniciar a codificação do sistema, a equipe precisa passar por um longo trabalho de definição do escopo, levantamento de necessidades do negócio e descrição de requisitos do sistema.

Fazendo uma breve comparação, essa fase de planejamento pode ser considerada um esboço, no qual os primeiros “rabiscos” do software são “desenhados”. Com o tempo, esses rabiscos são refinados e modelados, até que a aplicação tome a forma desejada.

O backlog é um dos principais insumos dessa etapa inicial da engenharia de software. Por meio dele, a equipe de desenvolvimento consegue visualizar todas as funcionalidades que a aplicação deverá ter e as tarefas que precisam ser feitas para que isso seja possível.

Quer saber mais sobre o assunto? Então veja os tópicos que preparamos para este post:

Fique com a gente e tenha uma boa leitura!

O que é backlog e qual a sua importância?

Em tradução literal, o termo backlog significa acúmulo. No entanto, essa definição por si só não traz grandes explicações para a questão levantada, certo? Isso acontece, pois é preciso entender como o termo é aplicado no contexto do desenvolvimento de software.

Na área da programação é muito comum que essa expressão seja associada às metodologias ágeis, especialmente o Scrum. Isso porque, nesse cenário, o termo backlog é usado pela equipe de desenvolvimento para se referir a uma lista de tarefas pendentes.

Por sua vez, essa lista nada mais é do que um repositório, no qual são elencadas todas as atividades necessárias para que os requisitos de um projeto sejam atingidos.

É nesse ponto que entendemos a importância do backlog. Afinal, ele funciona como um planejamento estratégico e ajuda a equipe de desenvolvimento a visualizar o caminho que será percorrido até a finalização do software, garantindo que o produto final esteja em conformidade com o que foi solicitado. 

Além disso, com o backlog, um objetivo grande (no caso, a criação de um software) é quebrado em várias tarefas pequenas, o que traz mais agilidade e produtividade para seu desenvolvimento, visto que a equipe tem um escopo de atividades bem definidas para trabalhar.

O que é product backlog?

Aprofundando um pouco mais no assunto, nos deparamos com a expressão product backlog. Como o próprio nome indica, product backlog é uma lista de itens necessários para a criação do produto final. Esses itens podem incluir diversas coisas, como histórias de usuários, correções de bugs e adições de funcionalidades.

Para facilitar o entendimento, vamos ver um exemplo. Imagine que o produto final desejado é a implementação de um aplicativo de gestão de vendas. Nesse cenário, as pessoas usuárias da aplicação precisam realizar atividades como criar login, cadastrar produto, editar produto, lançar vendas, entre outras. 

Cada uma dessas atividades é uma tarefa que deve ser implementada pela equipe de desenvolvimento. Ou seja, é uma pendência que estará listada no backlog de produto. Contudo, é importante ressaltar que essa lista não é fixa. Pelo contrário, ela evolui à medida em que o software vai sendo criado e de acordo com as necessidades descobertas ao longo desse processo.

Outro detalhe importante é que o backlog de produto trabalha a priorização de tarefas. Por exemplo: a funcionalidade de cadastrar produto tem prioridade em relação a de editar produto, uma vez que a segunda depende da primeira, concorda? Mas existem outros critérios que interferem nessa priorização, como a necessidade de um cliente, a dificuldade de implementação e a urgência do feedback.

O que é sprint backlog?

Para entender o que é sprint backlog, é preciso ter familiaridade com o conceito de sprint. Na área da programação, esse termo é usado para definir um período de tempo pré-determinado — geralmente varia entre 1 a 4 semanas — durante o qual um conjunto de tarefas devem ser finalizadas.

Dessa forma, o sprint backlog pode ser entendido como uma subdivisão do product backlog. Isso porque, em cada sprint, as tarefas com maior grau de prioridade são retiradas do product backlog e alocadas no sprint backlog para serem desenvolvidas naquele momento.

É importante frisar que não existe um número máximo ou mínimo de atividades que podem ser alocadas em uma sprint. Essa definição fica a cargo da equipe de desenvolvimento, pois é preciso estimar quanto tempo será necessário para finalizar cada tarefa, a fim de determinar quantas atividades podem ser comportadas em um único ciclo.

Como funciona o ciclo de vida de um backlog?

Em empresas que aplicam os conceitos de desenvolvimento ágil, é comum que o backlog seja visto como um escopo “vivo”. Em outras palavras, ele pode ser alterado e refinado para atender melhor às necessidades de quem vai utilizar o software ou para se adequar às mudanças de escopo do produto.

Para que isso aconteça, cada item da lista de pendências deve passar por todas as etapas do ciclo de vida do backlog. Explicamos brevemente quais são elas nos tópicos abaixo, confira!

Incluído

A etapa de inclusão é exatamente o que o nome diz. Nela, a necessidade levantada é incluída como uma tarefa a ser feita. Nesse momento, a descrição do item precisa ser feita de forma clara e precisa, pois é ela que vai guiar os próximos passos do desenvolvimento. Caso ela seja mal feita, é possível que a funcionalidade implementada não corresponda ao desejado.

Além disso, existem várias formas de se escrever a descrição dos itens. Normalmente, elas são feitas como histórias de usuário, mas também podem estar em forma de regra de negócio, requisito funcional, requisito não funcional e até em texto livre.

Refinado

Durante o processo de desenvolvimento, é comum que a equipe perceba que um item do backlog não está detalhado o suficiente. Nesse caso, é necessário refiná-lo para que ele seja especificado como uma tarefa única

Por outro lado, também acontece de haver a necessidade de refinamento devido à desatualização do item. Isso porque, do momento em que ele foi incluído no backlog até a etapa em que ele é levado para o desenvolvimento, podem ocorrer alterações nas necessidades do produto final que interferem nas funcionalidades já levantadas.

Priorizado

Como citamos mais acima, uma das funções do backlog é promover a priorização das tarefas mais importantes, garantindo que recursos de tempo e trabalho não sejam desperdiçados. Nesse momento, é importante entender quais itens trazem mais valor agregado para o negócio, pois eles deverão ter prioridade perante os outros.

Ademais, tais itens devem ter um bom nível de detalhamento, visto que serão os primeiros a serem implementados pela equipe.

Estimado

Após analisar a prioridade das necessidades do produto, é preciso haver uma estimativa de quanto esforço será necessário para a realização de cada item do backlog. Ou seja, nessa fase, avalia-se quanto tempo e quais recursos financeiros serão investidos durante o desenvolvimento.

Essa etapa é de extrema importância, pois ela pode interferir na ordem de prioridade das tarefas. Isso acontece, por exemplo, quando um item tem um grau de relevância alto e, ao mesmo tempo, apresenta um custo muito elevado para o momento. Nesse caso, ele pode perder sua prioridade.

O contrário também pode acontecer. Itens que, inicialmente, não trazem um grande valor para o negócio, podem ser priorizados pela equipe devido ao seu baixo custo de desenvolvimento.

Construído ou cancelado

Finalizadas as etapas anteriores, o item chega em seu estágio final, no qual ele está maduro o suficiente para ser desenvolvido. No entanto, antes de ser considerado concluído, é importante checar se:

  • o item foi detalhado o suficiente a ponto de ser visto como uma tarefa única;
  • seu grau de prioridade está de acordo com o valor que ele gera para o negócio;
  • a descrição do item é compreensível para a equipe de desenvolvimento;
  • sua estimativa de esforço de construção é coerente;
  • a implementação do item é tecnicamente viável para o momento.

Caso o item seja aprovado em todas as questões, ele pode ser encaminhado para a fase de desenvolvimento. 

Contudo, devemos lembrar que nem todos os itens alocados no backlog de produto são implementados. Afinal, ao longo da maturação da lista, muitos podem ser considerados inviáveis — tanto pelo custo quanto pelas dificuldades técnicas — e outros deixam de ser relevantes para o negócio passado algum tempo. Nesses casos, eles recebem o status de cancelado.

Agora você já sabe o que é backlog e entende a importância dessa ferramenta para a área da TI. Portanto, não se esqueça que a primeira coisa necessária para a construção de um bom software é uma lista que esclareça as necessidades do negócio e os requisitos que a aplicação deverá atender. O backlog é um dos itens que mais auxiliam nessa questão e o seu bom preparo facilitará todo o ciclo de desenvolvimento.

Gostou do conteúdo e quer continuar aprendendo? Então, aproveite a visita ao blog e saiba mais sobre o Scrum — uma metodologia ágil utilizada no gerenciamento de projetos de software!

0 Shares:
Você também pode gostar