Mudar de profissão pode ser uma decisão muito difícil dependendo do contexto de cada pessoa.  Afinal, estamos falando de decisões que impactam a carreira a longo prazo, bem como investimento de expectativas acerca do futuro. No entanto, também é válido levar em consideração suas próprias capacidades e interesses.

Por isso, é fundamental ter clareza sobre sua escolha e também dos impactos que essa mudança pode gerar. Diante disso, é fundamental realiza autoquestionamentos  para certificar-se de que está no caminho certo, garantindo não apenas sucesso profissional, mas também emocional e pessoal.

Neste artigo mostraremos para você:

Boa leitura!

Quais os motivos que levam alguém a mudar de profissão?

Em primeiro lugar, é importante entender o que está te motivando a querer mudar de profissão. Uma série de fatores podem estar envolvidos nisso, nas mais diferentes ordens. Claro que, para muitas pessoas, são questões altamente subjetivas. Mas há alguns casos em que as dúvidas são comuns entre todas que decidem tomar essa decisão. São elas:

  • alto nível de estresse no local atual;
  • falta de perspectiva de crescimento na atual profissão;
  • não gostar do que faz;
  • salário baixo para o padrão de vida necessário;
  • relações ruins com chefes e gestores;
  • conflitos constantes no ambiente de trabalho;
  • ter uma maior paixão por uma outra área;
  • não se identificar mais naquele lugar;
  • anseio urgente de mudança.

7 perguntas para se fazer antes de mudar de profissão!

Você se identificou com os pontos que listamos acima? Então é hora de responder algumas perguntas importantes a serem feitas antes de decidir, efetivamente, pela mudança de profissão. Veja as principais delas a seguir.

1. O que está me deixando insatisfeita ou insatisfeito com a minha carreira atual?

O que, nesse momento, está te tornando uma pessoa insatisfeita com a sua carreira? Clima organizacional? Remuneração? Desapontamento com colegas? Mercado instável? Necessidade de ingressar em uma área que seja mais promissora do que a sua atual?

Todas essas perguntas são importantes de serem observadas, pois, são elas que nortearão qual deve ser sua nova escolha ou se você deve permanecer na mesma carreira e mudar apenas o ambiente de trabalho.

Por exemplo, se você está com receio de que a sua profissão atual se torne pouco demandada nos próximos anos, é fundamental optar por uma área com boa previsibilidade, que tenha fortes indícios de como serão os próximos anos. 

2. Posso trabalhar em outra função sem precisar mudar de área?

Sim, é possível trabalhar em uma outra função sem a necessidade de mudar de área. No entanto, será preciso entrar em contato com as pessoas responsáveis por fazer essa mudança, levando em consideração todos os protocolos da empresa onde trabalha e como é o processo interno para que isso aconteça.

Além disso, as empresas possuem autorização para alterar cargos sem realizar a modificação dos benefícios nos seguintes casos:

  • Modificação do local de trabalho sem a necessidade de transferência;
  • Mudança de horário de trabalho, seja do matutino para o vespertino ou do noturno para o diurno;
  • Realização de ajuste de função, desde que nenhum rebaixamento ocorra ou algum prejuízo seja direcionado à pessoa colaboradora.

Caso almeje mudar de função, mas sem mudar de área, é possível se inscrever em cursos para se especializar em determinado cargo, trazendo uma comprovação de que há a capacidade para exercer aquela atividade e, consequentemente, alcançar o que é desejado.

3. A área para qual quero migrar é promissora?

É fundamental avaliar se a área para qual deseja migrar é, de fato, uma das tendências para os próximos anos ou se tem estrutura para sobreviver as mudanças do mundo moderno, evitando alterações drásticas que possam te colocar em uma posição delicada.

Afinal, essa transformação leva a um investimento de tempo e, também, financeira. Isso porque toda a transição exige um aprimoramento e investimento, seja em cursos de formação ou tempo para se dedicar.

Por isso, pesquise sobre a área para qual deseja investir: ela tem força para os próximos anos? Há um aumento na demanda de mercado pelas pessoas dessa área? Há uma tendência de saturação a curto prazo? Todos esses pontos merecem atenção para que você faça uma escolha adequada.

4. Eu realmente gosto da área para a qual desejo migrar?

Motivações financeiras não são as únicas que devem ser consideradas ao decidir migrar de área. Afinal, imagine mudar para uma profissão na qual você tenha que exercer suas atividades sem estar feliz ou minimamente gostando do que está fazendo?

Lembre-se sempre que a saúde mental é fundamental para conseguir lidar com o dia a dia de qualquer profissão. Estando bem psicologicamente e feliz com sua escolha, é possível conviver em ambientes de alta pressão e cobrança. Do contrário, será mais difícil.

Por isso, não motive sua mudança apenas no aspecto financeiro: observe também a sua posição sobre as atividades que pretende exercer. Se não há uma paixão que te motiva, é importante repensar sua decisão.

5. Eu tenho as habilidades prévias necessárias para mudar de profissão?

Essa não é uma pergunta de exclusão, mas necessária para planejar a sua mudança. Você, hoje, sabe exatamente o que precisa para executar as atividades na área desejada? Se ainda não, é essencial colocar pé no freio e realizar um planejamento para este fim.

Já que será necessário realizar cursos de formação a longo prazo ou que envolvam muita dedicação. Se isso ocorre, você deverá se preparar financeiramente e alinhar as expectativas. Por isso, avalie: quais são as habilidades prévias necessárias e como poderá obtê-las. 

Isso não diz respeito apenas às hard skills, que são as habilidades técnicas de casa profissão, mas também acerca das soft skills, ou seja, as habilidades socioemocionais, como flexibilidade, trabalho em equipe, empatia, comunicação eficiente, entre outras.

6. O que preciso aprender para mudar de área?

Outro passo importante é mapear quais são as hard skills necessárias para atuar nessa nova área. Essa identificação é extremamente relevante já que assim saberá não só pode onde começar, mas qual o plano de ação para essa mudança.

Por exemplo, para atuar no setor de TI é necessário saber sobre programação, linguagens, metodologias ágeis, desafios do setor, entre outras habilidades. 

Mas isso não deve te assustar, apenas será importante para planejar e mapear os desafios. Além disso, dessa forma será possível avaliar quais cursos e estudos serão imprescindíveis nessa trajetória. 

7. Estou preparado(a) para lidar com a transição?

É fato que uma mudança de profissão exige não só investimento de tempo e dinheiro, mas também paciência. Essa talvez seja a pergunta mais importante: sinto que é o momento certo para lidar com as transformações necessárias para alcançar esse objetivo?

Momentos de dúvida e estresse podem surgir ao longo do caminho. Mas se está realizando toda a preparação necessária, pode ter certeza de que os resultados tenderão a ser mais positivos, colocando você na carreira de sucesso que deseja. Ou seja, tenha resiliência e saiba traçar um plano estruturado. 

Homem sentado com notebook no colo

Como mudar de profissão de forma segura em 10 passos?

Saber como mudar de profissão é o primeiro passo para, de fato, assimilar alguma mudança em sua vida. Levando em consideração as mudanças de cenário do mercado, independente de qual seja a área, procurar por ambientes novos pode ser uma excelente opção.

Confira, abaixo, quais são os passos mais relevantes para mudar de profissão de uma maneira segura!

Passo 1: planejamento

De nada adianta desejar mudar de profissão sem que haja todo um planejamento por trás. O mercado de trabalho exige uma boa preparação, bem como a vida pessoal, pois há contas que precisam ser pagas, mostrando necessária a organização das finanças antes mesmo de realizar uma mudança radical.

Sendo assim, fazer um planejamento de como levar as dívidas adiante pode ser o primeiro passo. Algumas outras perguntas devem ser feitas, tais como:

  • Tenho condições para mudar de profissão agora?
  • Consigo exercer a função pretendida de maneira clara e assertiva?
  • Saberei lidar com a pressão do novo cargo?
  • Tenho conhecimento sobre a função que vou exercer? Ela é difícil?

Passo 2: pratique o autoconhecimento

Antes de fazer qualquer alteração na vida, e após realizar um bom planejamento emocional e financeiro, o ideal é que o foco esteja em si, entendendo quais são as suas motivações e quais as principais habilidades que, mais tarde, poderão ser vistas como competências no trabalho.

Praticar o autoconhecimento, ter noção de onde você quer chegar e até onde consegue ir para alcançar esses resultados fará muita diferença. Isso permitirá que a transição seja realizada pacificamente, além de trazer mais firmeza para sua escolha de mudança de profissão. Afinal, nada pior do que descobrir um novo desejo por mudança de profissão após a transição, certo?

Passo 3: organize suas finanças

A parte de organização de finanças se encaixa no quesito “planejamento”. Mesmo que esteja insustentável se manter em um determinado cargo, principalmente por questões psicológicas, é importante ter a área financeira em harmonia. Isso evitará possíveis frustrações e garantirá mais segurança na hora de ousar.

Passo 4: converse com alguém que já passou por isso

Muitas pessoas já passaram por um período de incerteza, principalmente porque é algo normal quando se trata de carreira. No entanto, é importante que haja uma conversa entre alguém que deseja mudar e alguém que já mudou, visando experienciar um ponto de vista diferente e maduro.

Outra dica é buscar ter um diálogo franco com quem já fez a transição para a área pretendida. Dessa forma, ficará mais simples descobrir quais são os desafios que você enfrentará no novo cargo e quais são as peculiaridades daquela área, evitando surpresas desagradáveis.

Passo 5: estude e se especialize na área ou profissão que você quer migrar

Busque por capacitação técnica. Ela é indispensável para garantir uma boa atuação profissional em qualquer tipo de área. Lembre-se que haverá uma competição com outras pessoas que também desejam se colocar naquele cargo.

É válido fazer uma pesquisa sobre qual o melhor tipo de formação para o setor pretendido. Depois disso, basta investir em uma pós-graduação, caso seja necessário, ou em cursos técnicos que oferecem certificado. Isso irá fortalecer a imagem profissional e facilitar o período de transição de carreira.

Passo 6: faça networking com pessoas de áreas de interesse

Networking é uma das ações mais importantes dentro da transição de carreira. A rede de contatos atual precisa fazer sentido de acordo com a área pretendida, visando encontrar experiências semelhantes e, também, entender como serão executadas as novas atividades.

Dentro do novo currículo ou em perfis sociais, é válido acrescentar a experiência da atividade anteriormente realizada, pois ela pode conversar diretamente com o cargo que pretende obter. Além disso, esse simples ajuste garantirá que haja uma explicação para o que gerou esse desejo de mudar de profissão.

Passo 7: tente eliminar suas inseguranças  

As inseguranças fazem parte de todas as pessoas. No entanto, em muitos momentos, elas podem ser as principais responsáveis por incapacitar e acrescentar barreiras em direção a um sonho. Então, o ideal é reconhecer as próprias habilidades e saber quais são os seus pontos fortes para migrar de carreira com confiança.

Passo 8: monte um currículo focado em mudança de profissão

É importante que um currículo seja montado cuidadosamente, sem nenhum tipo de mentira. Porém no momento em que for necessário mudar de carreira, é válido redirecionar tudo o que foi realizado em empregos anteriores para que se adapte às novas escolhas que serão tomadas.

Para quem deseja uma vaga no setor de comunicação, por exemplo, mas já trabalhou com administração, o ideal é dar ênfase em todas as habilidades que estavam voltadas para a nova área. Isso pode garantir uma chance ainda maior de aprovação e mostrar o seu valor diante da empresa.

Passo 9: considere profissões autônomas

Entre as possibilidades de migração de área, é importante não descartar nenhum tipo de profissão, principalmente as que permitem o trabalho autônomo. Dificilmente, alguém que está dando um novo ponto de partida em sua carreira alcançará um posto de liderança tão cedo.

Já quando há a possibilidade de atuar de forma autônoma, integralmente ou através de projetos freelancers, há possibilidades de se desenvolver ainda mais rápido. Afinal, a pessoa que faz isso está acelerando alguns processos através de mais networking e experiências  únicas.

Passo 10: tenha sempre um plano B na mudança de carreira

Ainda que um determinado cargo seja totalmente atrativo, é importante não depositar todas as expectativas sobre ele. E se houver alguma falha no percurso? A história não deve acabar nesse ponto. Por isso, ao desejar mudar de cargo, pense em novas possibilidades para garantir um futuro estável.

7 dicas para escolher sua nova profissão!

Saber como mudar de profissão nunca é uma tarefa fácil. Existem vários fatores que precisam ser levados em consideração, visando garantir uma estabilidade mental e financeira para a pessoa que trabalha na área. No entanto, existem algumas dicas que podem facilitar o processo de escolha.

São elas:

  1. Identificar os seus principais interesses;
  2. Ter consciência de suas habilidades;
  3. Pesquisar acerca das profissões do futuro;
  4. Realizar um teste vocacional para encontrar um bom direcionamento;
  5. Fazer uma lista de opções de carreira que combinam com os seus interesses;
  6. Buscar uma grande quantidade de informações sobre o mercado de trabalho da profissão desejada;
  7. Listar todos os pontos positivos e negativos das profissões desejadas.

Como mudar de profissão aos 30, 40 e 50 anos? Existe limite de idade?

Pessoal profissional senior sorrindo em um ambiente de startup

É importante dizer que não há qualquer restrição de idade para uma transição de carreira. Qualquer pessoa pode decidir mudar, independente dos objetivos. Desde que haja uma maior disposição para trabalhar, todos os outros fatores se mostrarão mais fáceis para atingir um determinado objetivo.

Além disso, independente de ter 30, 40 ou 50 anos, as pessoas podem enfrentar problemas em sua atual área de atuação, como um salário insatisfatório, dificuldade em exercer a função, decepção com o rumo escolhido, desejo de ter mais tempo para cuidar de si e da família, bem como outros fatores.

Por isso, para mudar de profissão após os 30 anos, é importante:

  • Analisar bem o mercado de trabalho;
  • Aceitar bem as mudanças;
  • Saber dos próprios pontos fortes;
  • Investir em capacitação.

Como mudar de profissão e se tornar um programador?

Caso deseje se tornar uma pessoas programadora, você precisará de um planejamento financeiro para ir atrás de uma boa formação. Neste cenário, é ideal apostar em empresas que forneçam opções de pagamento flexíveis e que se demonstrem genuinamente preocupadas com a sua empregabilidade. 

Já existem no Brasil escolas que fornecem o modelo de sucesso compartilhado, no qual é possível pagar pelo curso apenas quando conseguir um trabalho na área, ideal para quem deseja mudar de carreira e não pode arcar inicialmente com os custos de uma boa educação. 

Esse é o que implementamos aqui na Trybe, como uma forma de investir em sua carreira!

Logo Trybe

Quer mudar de profissão e gostou da possibilidade? Então, inscreva-se em nosso processo seletivo e comece desde já a construir a sua carreira de sucesso!

Conclusão

Para quem pensa em como mudar de profissão, é válido dizer que pode ser uma escolha difícil para muitas pessoas. No entanto, caso não haja outra alternativa, o ideal é buscar se especializar e garantir a realização de um trabalho assertivo e visivelmente competente. Por isso, buscar por cursos, como os indicados em nosso blog, pode ajudar nesse processo.


0 Shares:
2 comments
    1. Obrigada pelo seu feedback, Roberval! Em nossa aba ‘carreiras’ você encontrará outros conteúdos sobre a área de tecnologia e o mercado. Esperamos que goste 🙂

Deixe um comentário
Você também pode gostar