O meta charset= utf-8 é um recurso da programação que poderá facilitar a sua vida na hora de completar uma tarefa. De uma maneira geral, ele é um conjunto de caracteres utilizado para escrever um determinado documento, mas que possui funções específicas por causa de sua denominação.

O atributo charset é aquele utilizado para fazer a indicação de um formato de codificação definido por caracteres que foram utilizados em um determinado documento. Juntamente a isso, também temos outras informações que são capazes de descrever o conteúdo do arquivo, complementando-o para facilitar a identificação.

Dessa maneira, ter um conhecimento básico sobre meta charset= utf-8 é extremamente necessário para garantir que você possa identificar os seus arquivos, pontuando, de maneira simples e ágil, sobre o que se trata aquele determinado documento em um momento posterior.

Neste artigo, você vai ver:

O que significa meta charset= utf-8?

Todos os arquivos de texto são embalados por um código de caractere, sendo o mais conhecido o ASCII. Dessa maneira, ele pode ser definido como uma forma de indicar qual a lógica binária foi utilizada para armazenar letras e números dentro de bits. Assim, o usuário conseguirá organizar as suas informações.

Caso você escolha utilizar uma lógica CHARCODE diferente para salvar um determinado arquivo, é muito provável que ele comece a ser exibido por meio de caracteres incompreensíveis. É por isso que há uma grande importância em entender essa etapa da programação.

O que é a tag <meta>?

Dentro de meta charset= utf-8, temos um elemento muito importante: o <meta>. No entanto, o que ele significa? Qual a sua importância dentro do código?

Ele nada mais é do que um elemento capaz de definir qualquer tipo de informação, mais conhecidas como metadados — os quais não podem ser definidos por qualquer outro elemento HTML.

Dentro desse elemento, podemos encontrar outros atributos, como é o caso do “charset”. É importante que o programador ou programadora saiba a hora certa de utilizá-los para definir o seu código, fazendo com que ele fique inteiramente legível e possa ser compreendido em um momento posterior ao salvamento.

O que é o atributo charset?

Ainda dentro da definição de meta charset= utf-8, é possível encontrar o atributo charset. Ele tem uma função muito importante, pois se mostra capaz de indicar o formato de codificação de alguns caracteres que são utilizados dentro do documento. Alguns exemplos desse atributo são ASCII, UTF-8 e ANSI.

É válido lembrar que pessoas que falam idiomas diferentes possuem computadores diferentes e, consequentemente, caracteres diferentes. Sendo assim, para cada um que for digitado ou lido, há uma representação dele dentro de um byte de memória. Isso quer dizer que cada pequena categoria possui um código específico.

Logo, cada charset possui uma representação de caracteres diferente dentro da memória do documento. O UTF-8, encontrado em meta charset= utf-8, é o mais utilizado na web na atualidade, visto que se enquadra no padrão que comumente podemos chamar de Unicode. Ele pode representar qualquer caractere de qualquer idioma.

O que é o utf-8?

O UTF-8, que faz parte do código tema principal deste artigo, é uma maneira de viabilizar a programação e a leitura de documentos em qualquer tipo de idioma. Ele está dentro do padrão Unicode e pode ser responsável por substituir um caractere estrangeiro por algo que seja legível em outro idioma.

Quando é possível adicionar esse tipo de charset dentro de uma tag meta do arquivo produzido, quer dizer que qualquer pessoa que desejar ter acesso ao documento precisará utilizar as regras estabelecidas pelo UTF-8. Dessa forma, as informações poderão ser uniformizadas em qualquer lugar do mundo.

Qual a importância e porque o meta charset= utf-8 é usado?

Ainda a respeito do meta charset= utf-8, é necessário falar sobre a sua importância dentro do código. Ele tem como principal objetivo fazer a indicação do tipo de formato de codificação dos caracteres em um documento específico. Além disso, como já falado anteriormente, ele pode ser utilizado para universalizar a linguagem do arquivo.

Quando o UTF-8 é introduzido em um documento, significa que suas regras podem ser seguidas para que uma determinada pessoa consiga ter acesso ao conteúdo que está procurando, independente de qual língua ela consiga ler ou falar. Assim, a possibilidade de acesso e decodificação se torna universal.

O charset de meta charset= utf-8 é extremamente necessário para promover o acesso de milhares de pessoas a um tipo de documento. Antes, era um verdadeiro problema ter que configurar as pastas com determinados caracteres porque, muitas vezes, eles não existiam em outra língua. Atualmente, esse empecilho não ocorre.

Lembre-se:

  • todos os autores de documentos são encorajados a utilizar o UTF-8;
  • é importante que os autores não utilizem codificações que não sejam compatíveis com ASCII;
  • os autores devem saber que não podem utilizar CESU-8, UTF-7, BOCU-1 e SCSU, evitando possíveis ataques aos seus scripts.

A importância do HTML para a programação

O HTML não é, necessariamente, uma linguagem de programação, mas sim uma linguagem de marcação. Isso quer dizer que o objetivo dele não é criar um software, mas sim um conjunto de regras que sejam capazes de estruturar adequadamente uma página web, fazendo com que os componentes visuais fiquem organizados.

Essa ferramenta é muito utilizada para fornecer diversas informações para as pessoas usuárias que têm acesso aos sites, bem como aos navegadores e aos demais mecanismos de busca. Ainda que não seja uma linguagem de programação, possui regras de sintaxe, bem como palavras reservadas.

Uma das principais importâncias do HTML é que a sua comunidade de programadores é bastante ampla, permitindo que todas as pessoas programadoras encontrem um bom suporte na internet. Além disso, ele é o principal responsável por fazer com que usuários e usuárias visualizem as informações disponíveis nas páginas da web.

Conjunto de caracteres e codificação de caracteres: entenda os dois estágios

Compreendendo um pouco mais acerca do meta charset= utf-8, é importante saber sobre o conjunto de caracteres. Na programação, ele é utilizado para representar uma sequência de caracteres que, na maior parte dos casos, pode representar palavras, frases ou, até mesmo, um texto completo de um programa.

Em muitos tipos de linguagem de programação, o conjunto de caracteres pode ser apresentado em sua forma literal, mas também por uma variável. Quando é expresso em forma de variável, o conteúdo apresentado na cadeia pode ser modificado, incluindo ou excluindo elementos por meio da substituição de elementos por outros.

A codificação de caracteres é um estágio a mais desse conhecimento acerca da programação de computadores. É por meio dele que os codificadores podem estabelecer um padrão de relacionamento entre um determinado conjunto de caracteres com um conjunto de uma outra coisa que ele possa desejar.

O termo charset é o mais utilizado para denominar a codificação de caracteres, fazendo com que haja uma confirmação de nomenclaturas históricas para com os sistemas que foram baseados nelas.

Como declarar charset em HTML e outras linguagens? 8 exemplos!

Sempre que há a criação de um novo código HTML, precisamos informar ao browser o charset específico para aquele documento em que estamos trabalhando. No entanto, é importante que você saiba diferenciar todos os charsets para incluir na HTML, assim como é possível fazer no caso do meta charset= utf-8, facilitando a sua identificação com facilidade.

Também é importante ter em mente alguns pontos relacionados à programação como:

  • a primeira tabela com maior índice de utilização foi a ASCII;
  • os computadores trabalham com conjuntos de números binários, ou seja, 1 e 0;
  • uma tabela com 7 bits em vez de 8 era utilizada nos Estados Unidos, visto que nesse país os acentos não são utilizados. Dessa maneira, 128 posições podiam ser encontradas no lugar de 256.

Outras tabelas utilizadas para HTML

Assim como já foi mencionado em alguns pontos deste artigo, a web é mundial e globalizada. As pessoas do mundo inteiro podem ter acesso a milhões de sites simultaneamente. Além disso, quando uma bolha da internet explode, os profissionais precisam limitar o seu conteúdo para um público mais restrito.

É exatamente por isso que novas tabelas foram criadas ao longo dos anos. Isso significa que tabelas diferentes funcionam para pessoas com perfis pouco semelhantes. Assim, os países conseguem restringir os seus conteúdos disponibilizados. É por isso que o meta charset= utf-8 inclui novas tabelas da Unicode UTF-8. 

É válido ressaltar que a tabela Unicode é capaz de suportar cerca de 1 milhão de caracteres, o que se mostra bem mais amplo do que as singelas 128 posições apresentadas na ASCII. Sendo assim, ela tem como principal objetivo a universalização dos códigos.

O número elevado de caracteres se explica a partir da necessidade de incluir novos códigos para atingir o maior número de usuários possível. Apenas dessa maneira a maior parte dos sites pode funcionar com Unicode UTF-8, sendo compreendidos em qualquer lugar do globo terrestre.

Como é possível saber qual tabela usar?

Levando em consideração que a tecnologia avançou e que o meta charset= utf-8 é um dos mais populares dentro do código de programação, também é importante saber que existem diferentes linguagens que se referem à web. No entanto, a mais simples dela é expressa pelo metatag Content-type dentro do HTML.

Sendo assim, para facilitar os acessos, será necessário colocar o código de listagem 1 no HEAD de um determinado documento HTML, fazendo com que o trabalho seja finalizado. Confira, abaixo, as principais listagens disponíveis para que você possa fazer as alterações nos arquivos:

Listagem 1 — Metatag Content Type em HTML 4.1:

<meta http-equiv="Content-Type" content="text/html; charset=UTF-8"/>

Listagem 2 — Declarando no HTML 5:

<meta charset="UTF-8"/>

Listagem 3 — Declarando em PHP:

header('Content-type: text/html; charset=utf-8');

Listagem 4 — Declarando em ASP:

<%Response.charset="utf-8"%>

Listagem 5 — Declarando em Python:

print "Content-Type: text/html; charset=utf-8\n\n"

Listagem 6 — Declarando em Perl:

print "Content-Type: text/html; charset=utf-8\n\n";

Listagem 7 — Declarando em Java Servlets:

resource.setContentType ("text/html;charset=utf-8");

Listagem 8 — Declarando em JSP:

<%@ page contentType="text/html; charset=UTF-8" %>

Compatibilidade do meta charset= “utf-8” com navegadores

Antes de mais nada, é importante lembrar que o conteúdo pode ser composto por meio de uma sequência de caracteres. É por meio deles que os conteúdos podem ser devidamente armazenados em um computador, formando uma sequência organizada de bytes, que equivalem a valores numéricos.

Para que haja uma boa compatibilidade com computadores, como é o caso de meta charset= utf-8, será necessário que o programador leve em consideração a declaração da codificação de caracteres dentro do documento. Caso isso não seja feito, não será suficiente para colocar uma página web para funcionar.

Sendo assim, será preciso que o texto seja salvo dentro da mesma codificação que foi declarada, fazendo com que ela seja devidamente aplicada ao conteúdo. É como uma peça de quebra-cabeças que precisa se enquadrar exatamente no espaço para o qual foi designado.

Para que o UTF-8 apresente compatibilidade com o seu navegador, configure-o de maneira padrão para os novos documentos do seu editor. Além disso, também poderá haver a necessidade de verificar se o servidor realmente serve para os documentos com suas respectivas declarações HTTP.

Agora que sabemos que o meta charset= utf-8 é indispensável para garantir que as informações sejam devidamente expostas nas páginas da web, bem como permitir o salvamento de dados dentro de um documento, é necessário continuar propagando esta ideia para que os programadores sigam um padrão estabelecido mundialmente.

A linguagem do UTF-8 é inteiramente inclusiva, fazendo com que qualquer pessoa, de qualquer lugar do mundo, possa ter acesso aos milhares de sites disponíveis na internet. Sendo assim levar essas regras adiante significa contribuir para a disseminação das informações.

Gostou deste conteúdo? Então não deixe de ler sobre as Tuplas em Python!

Deixe um comentário
Você também pode gostar