Há quem pense que desenvolver um website é uma tarefa simples. Porém, é comum encontrarmos sites que não se adaptam bem ao nosso dispositivo enquanto navegamos pela internet. O motivo para isso é que muitas pessoas desenvolvedoras pensam que apenas fazer o design para navegadores acessados por computadores é suficiente. Entretanto, a realidade é outra. 

Segundo dados da pesquisa TIC Domicílios, 71 milhões de pessoas brasileiras acessam a internet apenas por celulares. Isso representa mais da metade da população brasileira que está conectada na rede. Logo, uma pergunta importante a ser feita no desenvolvimento de um website é: como esse site será apresentado nas mais diversas telas dos aparelhos disponíveis?

Com isso, estamos pensando na responsividade, que se tornou indispensável no cenário atual de acesso e interação com os meios digitais. Quer saber mais sobre responsividade e entender sua relação com outras áreas adjacentes? Então, confira os tópicos que preparamos para você:

Boa leitura!

O que é responsividade?

Talvez você se lembre da época em que alguns sites, inclusive grandes como o Facebook, se dividiam em duas versões: uma mobile e outra para desktop. Em alguns casos, quando não existia uma versão mobile, o acesso por qualquer dispositivo móvel era comprometido. 

A boa notícia é que isso ficou no passado e, atualmente, não há necessidade de desenvolver duas versões distintas do mesmo website. A mesma página da internet pode se adaptar para toda e qualquer resolução de tela, desde tablets aos dispositivos mais antigos. Isso é o que chamamos de responsividade, a capacidade de um website em se alterar e ser funcional independentemente do dispositivo em que é acessado

Caso seja uma pessoa interessada em web design e esteja se perguntando como isso funciona, ficará feliz em saber que não é preciso nem ao menos utilizar um framework. Para alcançar a responsividade basta apenas programar em HTML5 e CSS3 por meio das instruções no header que indicam como o site deverá se comportar frente à uma resolução (a meta-tag viewport) e como se comportará mediante um determinado dispositivo (medias queries). 

O que é um site responsivo?

Aprofundando um pouco a explicação apresentada no tópico anterior, um site responsivo é aquele que consegue passar a mesma experiência para a pessoa usuária, via desktop ou dispositivo móvel. 

Isso significa que um site responsivo é capaz de se adaptar utilizando a quantidade de espaço disponível na tela do dispositivo, alterando o tamanho de fontes, botões, imagens e outros elementos da página. Em um site responsivo, o layout é igual, o que muda é o tamanho e como são dispostos tais elementos. 

Como dito anteriormente, não podemos confundir a capacidade de um site em ser responsivo com uma versão mobile, que é uma nova plataformafeita para ser acessada de dispositivos móveis, seguindo ou não o mesmo layout da página original. 

Você saberá que seu design é responsivo quando as pessoas usuárias não precisarem ficar ajustando o tamanho, rolando desnecessariamente a tela para encontrar alguma informação ou dando zoom para ver um determinado elemento. Tudo isso prejudica a experiência de quem utiliza o website e pode acabar trazendo prejuízos. 

Quais as vantagens de um site responsivo?

Hoje, as pessoas utilizam diversos tipos de dispositivo para acessar a internet. Por conta disso, é essencial que o website seja funcional em todas as plataformas possíveis, já que você nunca saberá se quem acessa seu site usa um tablet ou um celular da geração passada. 

Como sabemos, o número de pessoas usuárias de celulares e outros dispositivos móveis superou o número de acessos em computadores desktop – e esse número só continua a crescer. Por isso, sites que sejam responsivos ranqueiam melhor em páginas de busca, como o Google. Logo, perder experiência mobile significa perder acessos

Vamos conferir uma lista de fatores que contribuem para que a utilização de um site responsivo seja vantajosa.

Custo-benefício

Uma visualização não responsiva pode prejudicar a visibilidade e credibilidade de seu site. Tendo isso em vista, temos duas alternativas: criar uma versão mobile ou tornar o site responsivo. A maior vantagem da segunda opção, além de ser mais moderna, é que custa muito menos do que produzir uma versão mobile

Então, a única coisa que a pessoa desenvolvedora deverá fazer é criar um site e fazer com que ele se adapte a todas realidades possíveis, podendo ser acessado até mesmo de uma Smart TV.

Flexibilidade

Não só o desenvolvimento do website é mais acessível dessa forma, como também é mais fácil alterar ou substituir qualquer função ou elemento. Isso devido ao fato de que modificar um site não significará ter que mexer em duas versões distintas. Logo, será muito mais simples e rápido aplicar alterações. 

Melhoria na interação com a pessoa usuária

Toda pessoa que desenvolve um site deseja que ele seja popular. Um site responsivo consegue segurar a atenção e atrair mais pessoas usuárias, dependendo de seus recursos e elementos. Portanto, um site responsivo tem muito mais acessos e proporciona melhores resultados que sites que não se adequam a essa realidade. 

Caso seu site não seja responsivo, a experiência da pessoa usuária pode ficar comprometida, dando um aspecto de falta de profissionalismo.

Ajuda em técnicas de SEO

Search engine optimization, ou otimização de mecanismos de busca, é um conjunto de técnicas muito utilizado por profissionais de Marketing para influenciar o algoritmo e melhorar a visibilidade e atração das pessoas usuárias para sites.

Para tais profissionais, o interesse está em conseguir se colocar acima dos concorrentes quando alguém buscar por alguma palavra relacionada ao tema ou nicho do site. Como mencionado antes, o Google dá preferência para sites que sejam responsivos. Por consequência, esse é um dos fatores necessários para melhorar a posição nos sites de busca. 

Fácil de gerenciar

A depender do tamanho do empreendimento, muitas vezes é difícil ter tempo ou recursos para contratar uma pessoa web designer especializada em criação de sites para ajustar e gerenciar seu funcionamento. Um site responsivo permite que pequenas mudanças sejam feitas de maneira muito mais simples e rápida, podendo ser realizada até mesmo por alguém que não tem experiência no ramo. 

Fora que outros recursos do negócio e do Marketing poderão ser integrados de maneira mais descomplicada em sites responsivos, o que tira muita carga e responsabilidade em um negócio. 

Qual a relação entre responsividade e UX?

UX significa User Experience, ou experiência da pessoa usuária. Uma pessoa que trabalha nessa área é responsável por toda a relação da pessoa que acessa o conteúdo com a aplicação ou programa. Logo, a parte de funcionamento, tempo de carregamento dos componentes, organização e estética estão dentro dessa categoria, influenciando diretamente na manutenção da boa experiência da pessoa usuária.

Uma pessoa desenvolvedora que se aproxima da área de UX precisa ter em mente que um site responsivo deverá exibir apenas os elementos básicos para a melhor experiência da pessoa usuária. Além disso, tudo deve estar ao seu alcance, sem que seja necessário deslizar muito a tela e a fonte deve estar no tamanho exato para evitar redimensionamentos. Esses são os parâmetros fundamentais para UX positiva e para que a responsividade do site esteja adequada. 

Logo, responsividade pode ser considerada um pré-requisito para qualquer desenvolvimento que deseja impactar positivamente e profissionalmente a experiência da pessoa usuária. Sem responsidade, é improvável conseguir que a UX seja qualitativa. Caso você seja uma pessoa que trabalha na área, é essencial que entenda como aplicar esse recurso em seus projetos e criações. 

Em resumo, a responsividade é essencial para qualquer pessoa que esteja interessada em desenvolvimento e criação de sites e softwares que incluem interação direta com a pessoa usuária. Um site responsivo pode ser o divisor de águas para o negócio, definindo quem ganha a corrida dentro do mercado

Você gostou do nosso artigo sobre responsividade? Que tal agora aprender sobre usabilidade e sua importância para o sucesso do negócio?

0 Shares:
Você também pode gostar